Polícia australiana investiga alegados pagamentos no julgamento do cardeal George Pell pelo Vaticano

Ettore Ferrari / EPA

Neve em Roma

A Polícia australiana revelou esta quarta-feira que recebeu informações do órgão de controlo de crimes financeiros sobre alegadas transferências de fundos do Vaticano durante o julgamento contra o cardeal George Pell, condenado por abuso sexual de menores e depois absolvido.

“É uma questão rotineira de troca de informação financeira entre a AUSTRAC (Australian Transaction Analysis and Reporting Centre) e a AFP (a Polícia Federal Australiana)”, disseram as autoridades à agência espanhola Efe, que reconhecem estar a investigar “informações relevantes”.

A Polícia Australiana também destacou que trabalha neste assunto em conjunto com a Comissão Independente Anticorrupção do Estado de Vitoria, onde Pell foi julgado.

Segundo a imprensa italiana, o cardeal italiano Angelo Becciu enviou 700 mil euros para uma conta bancária na Austrália, dinheiro que teria sido usado para subornar a testemunha que ajudou a condenar o cardeal George Pell, outrora considerado o número três no Vaticano.

Os advogados de Becciu, que em setembro foi forçado pelo Papa Francisco a renunciar ao cargo de prefeito da Congregação para as Causas dos Santos assim como aos Direitos como Cardeal, sustentam a inocência do seu cliente.

O cardeal italiano também é suspeito de peculato por enviar fundos do Vaticano para a cooperativa do seu irmão.

George Pell foi absolvido em abril da acusação de vários crimes de pedofilia pelo Supremo Tribunal depois de passar 13 meses na prisão.

No final de setembro, Pell viajou ao Vaticano pela primeira vez após o processo judicial e em 12 de outubro encontrou-se com o Papa Francisco.

O prelado deixou o Vaticano em julho de 2017 para enfrentar as acusações de pedofilia de que era alvo na Austrália. Na altura, o Papa concedeu ao cardeal “um período de licença para se defender contra as acusações”.

George Pell foi formalmente acusado do crime de abuso sexual de menores em 2017. A acusação remetia a 1996 e 1997, período em que o cardeal desempenhou a função de arcebispo de Melbourne.

O cardeal foi considerado culpado na primeira instância pelo Tribunal de Melbourne, em dezembro de 2018, e sentenciado a seis anos de prisão efetiva.

Pell foi transferido para um estabelecimento prisional em fevereiro do ano seguinte.

O prelado declarou-se inocente e considerou o crime de que foi acusado como “hediondo e intolerável”.

Em agosto de 2019, o Tribunal de Recursos do Estado de Vitoria confirmou a condenação e apenas um juiz, Mark Weinberg, discordou da decisão.

Em março deste ano, o caso chegou ao Supremo Tribunal da Austrália e os juízes admitiram o recurso de Pell com base nas motivações para a oposição do magistrado Mark Weinberg, que, segundo a mesma nota, baseou-se no “princípio de que uma pessoa não pode ser condenada se as provas não demonstrarem a sua culpa além de qualquer dúvida razoável”.

O cardeal australiano acabou absolvido de todas as acusações, por unanimidade, pelo coletivo de sete juízes.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E a saga da pedofilia continua, na Europa, nos EUA e no mundo – o Papa (que no fundo é o “monarca” reinante nada faz, nada condena, paga, afasta cardeais e ninguém vai a tribunal e paga pelos crimes cometidos.)

    Sou católico, não preciso é de um homem a fazer de “monarca”, que nada faz em relação à pedofilia – por exemplo; existem outras areas, claro.

    Até que ponto é que acaba com os segredos? Vamos ver. Só acredito quando vir a rede “pedófila” de cardeais e afins ser punida pelos crimes cometidos.

RESPONDER

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …

Governo das Ilhas Salomão quer banir o Facebook para preservar a União Nacional

O Governo das lhas Salomão quer banir temporariamente a rede social Facebook numa tentativa de combater o cyberbullying e a difamação, alegando que a plataforma está a "minar" a União Nacional. A decisão, que já …

Sob o nariz dos militares norte-coreanos, ex-ginasta salta muro de 3 metros e foge para a Coreia do Sul

Um homem norte-coreano que queria escapar da sua terra natal deu um salto de quase três metros num muro no início deste mês. O salto, que ocorreu sob os narizes dos soldados, trouxe-o para a …

Islândia quer tornar-se um refúgio para o teletrabalho. Mas não é para todos

A Islândia fez uma série de alterações no seu programa de vistos de trabalho remoto para cidadãos foram do espaço Schengen, tendo como objetivo tornar-se num destino atraente para os trabalhadores que procuram escapar dos …