Polícia israelita apreendeu mais de mil câmaras de filmar ilegais nos centros de voto

Enric Fontcuberta / EPA

A polícia israelita retirou na terça-feira mais de mil câmaras de filmar que auditores e observadores do partido Likud, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, tinham levado para os locais de votação das cidades árabes de Israel.

A coligação Hadash-Taal, que integra comunistas, partidos de esquerda e árabes, apresentou uma queixa à Comissão Eleitoral por ter encontrado dispositivos de gravação escondidos por simpatizantes do Likud, tendo a polícia sido chamada para retirar mais de 1200 câmaras e “garantir o direito ao voto secreto”. Questionado sobre a situação, Netanyahu defendeu que as câmaras servem para “garantir o voto legítimo”.

A Comissão Central Eleitoral de Israel proíbe gravações nos centros de voto tanto dos eleitores como do processo em si, exceto por jornalistas acreditados, tendo considerado esta situação como “ilegal”.

Cinco horas depois de terem aberto as urnas para eleger o parlamento israelita do qual sairia o novo Governo – ou seja às 12h00 locais (10h00 em Lisboa) – já tinham votado um quarto dos eleitores, incluindo o primeiro-ministro, Benjamim Netanyahu, e o seu principal opositor, Benny Gantz, informou a televisão pública israelita Kan. Os dois líderes votaram de manhã e apelaram aos israelitas para que participem e vão votar.

Netanyahu, que votou em Jerusalém, ao lado da mulher, Sara, pediu a todos os israelitas que votem porque se trata de um “ato sagrado”. Gantz, que votou na sua cidade natal, Rosh Haayin, no centro de Israel, ao lado da sua mulher, Revital, exortou os israelitas a votar e a “assumir a responsabilidade” pela democracia no país. “Vão votar. Escolham a pessoa em quem mais acreditam. Respeitem uns e outros e vamos acordar para um novo dia, uma nova história”, afirmou.

Os eleitores israelitas decidiram se o primeiro-ministro Benjamim Netanyahu continua a chefiar o Governo depois de uma década de poder numa eleição nacional que se tornou uma espécie de referendo ao líder.

Marcado por uma série de acusações de corrupção, Netanyahu estava a tentar ser eleito pela quarta vez consecutiva – quinta vez no total -, o que o tornaria o líder israelita com mais tempo de poder, ultrapassando até o fundador do Estado, David Ben-Gurion.

Netanyahu tinha como mais forte opositor o militar aposentado Benny Gantz, cujo Partido Azul e Branco tem ficado à frente do partido Likud, de Netanyahu, nas sondagens. Benjamin Netanyahu ainda tinha o trunfo de ter mais possibilidades de fazer uma coligação com pequenos partidos nacionalistas.

A eleição estava a ser vista como um referendo a Netanyahu e aos 13 anos em que ocupa a cadeira de primeiro-ministro, até porque as principais questões que Israel enfrenta foram apenas raramente discutidas durante a campanha.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Depois de um conselho nacional tenso, líder do CDS reúne-se com a bancada parlamentar

O líder do CDS vai reunir-se, esta quinta-feira, com os cinco deputados centristas para dialogarem sobre a articulação entre a direção e a bancada parlamentar. Tal como recorda o jornal Público, esta reunião de trabalho acontece depois …

Enquanto Flamengo afasta regresso de Jorge Jesus, o "Galo" vem ao ataque

O treinador benfiquista afasta o cenário de uma saída precoce do Estádio da Luz. O Flamengo rejeita o regresso de Jorge Jesus, enquanto o Atlético Mineiro manifesta o seu interesse. Jorge Jesus foi categórico: "Não vou …

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …