Dezenas de pessoas sem máscara em protesto de restaurante lisboeta que recusou confinar

(dr)

Imagens da manifestação no restaurante LAPO, em Lisboa.

Depois de ter recusado fechar durante o confinamento, o restaurante LAPO organizou um protesto à porta do espaço. Dezenas de manifestantes são vistos sem máscara.

Ao decretar o novo confinamento geral, o Governo impôs que os restaurantes fechassem portas e apenas operassem em regime take-away e delivery. No entanto, o restaurante LAPO, em Lisboa, recusou fechar, argumentando que as restrições eram “desproporcionais” e “barbaramente contraproducentes”.

“Na sequência da promulgação do Decreto-Lei n.º 6-A/2021, de 14 de Janeiro, e após uma avaliação dos factos presentes coerente com os nossos princípios morais e éticos, assim como com o espírito – e a letra – da Constituição da República Portuguesa, nós, António Guerreiro e Bruna Guerreiro, sócios-gerentes da empresa Atelier Lapo Lda., decidimos manter o restaurante Lapo aberto, invocando o artigo 21.º da Constituição da República Portuguesa – Direito de Resistência”, anunciou o casal que gere o espaço no primeiro dia do confinamento.

“Entendemos que os Direitos Humanos têm sido amplamente violados e que a Constituição da República Portuguesa tem sido espezinhada. Tal como ficou bem explícito no acordão N.º 1783/20.7T8PDL.L1-3 do Tribunal da Relação de Lisboa, datado de 11 de Novembro de 2020, o Estado não tem legitimidade, em circunstância alguma, para desprezar os direitos, as liberdades e as garantias dos cidadãos”, acrescentaram ainda.

Agora, esta quarta-feira, os proprietários organizaram uma manifestação, que foi promovida nas redes sociais. Nos vídeos partilhados, entretanto eliminados, é possível ver dezenas de pessoas à porta do restaurante, sem máscara, em protesto contra o encerramento do espaço. A PSP esteve presente no local.

De acordo com o Correio da Manhã, horas antes do protesto, os donos do LAPO tinham partilhado uma publicação intitulada “Como proceder no caso de fiscalização policial por não cumprimento do dever de recolhimento domiciliário”.

Os proprietários do restaurante decidiram, entretanto, encerrar temporariamente o espaço, apesar de argumentarem que não há qualquer prova que demonstre que os restaurantes são “focos de contágio”.

O Observador realça que os responsáveis pelo espaço incorrem numa multa de entre dois mil e 20 mil euros pela decisão de manterem o restaurante aberto durante o confinamento.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Escandaloso !!!!……….. Estes Énergumènes tem de ser devidamente identificados. Se futuramente recorrerem a assistência Médica por contaminação SARS cov 2. deveriam assumir todos os custos!…além de serem levados a Tribunal por porem en risco a Saúde Publica !………….Simplesmente inaceitável !

RESPONDER

Ministra da Saúde afasta limitação de visitas. Mas Associação de lares defende regresso da proibição

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou esta terça-feira que não há necessidade de voltar a limitar as visitas a lares de idosos, advogando que as pessoas vacinadas contagiadas com o novo coronavírus desenvolvem “uma …

Tripulantes da TAP queixam-se de "extrema violência psicológica" e escrevem carta ao ministro

Um grupo de tripulantes de cabine da TAP escreveu uma carta a Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, na qual dizem temer que o processo de despedimento coletivo avance em julho e que já saíram …

Marcelo considera que legislativas de 2023 devem servir para julgar uso dos fundos europeus

O Presidente da República defendeu esta terça-feira que Portugal tem de dar "o salto" com os fundos europeus e considerou que as eleições legislativas de 2023 devem servir para os portugueses julgarem a sua utilização. "Cabe …

Portugal regista mais 1.020 casos e seis mortes. Internamentos continuam a aumentar

Portugal registou esta terça-feira 1.020 novos casos de infeção por covid-19 e mais seis mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nas …

"Toma a vacina ou ponho-te na prisão". Presidente das Filipinas ameaça prender quem recusar ser imunizado

O Presidente das Filipinas ameaçou prender quem se recusar a tomar a vacina contra a covid-19, numa altura em que o país combate o pior surto da doença desde o início da pandemia. "Se não se …

Preços das casas continuam a subir. Centeno alerta para riscos de bolha imobiliária

Os preços das casas voltaram a registar um aumento em relação ao mês passado e não subiam tanto há mais de dois anos. Uma situação que leva o Banco de Portugal a alertar para os …

Itália segue os passos de França e Espanha e abandona o uso de máscara na rua

A Itália vai suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre a partir do próximo dia 28 de junho, revelou o governo na segunda-feira. Depois de ter sido considerado o epicentro da pandemia, Itália …

União Europeia endurece sanções contra a Bielorrússia

A União Europeia, os Estados Unidos, o Reino Unido e o Canadá decidiram, esta segunda-feira, punir dezenas de personalidades e empresas ligadas ao regime bielorrusso. No final de uma reunião, no Luxemburgo, os 27 Estados-membros da …

Casimiro quer 30 milhões pela Groundforce. 10 milhões são para a banca

Alfredo Casimiro está a tentar vender a sua parte na Groundforce por 25 a 30 milhões de euros. Contudo, o acionista não deverá ficar com o montante pago já que tem pagamentos em atraso a …

Meio milhão de mortes depois, Brasil pede (em força) demissão de Bolsonaro

No sábado, o número de óbitos por covid-19 ultrapassou o meio milhão no Brasil. Centenas de milhares de manifestantes encheram as ruas de mais de 400 cidades brasileiras e do mundo, acusando o Presidente Jair …