Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos.

Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de 36 anos chamado Aditya Singh depois de este ter passado três meses a morar no Aeroporto Internacional O’Hare. Desde outubro, Singh contava com a gentileza de estranhos para lhe comprar comida, dormindo nos terminais e usando as várias casas de banho. Só depois de um funcionário do aeroporto pedir para ver a sua identidade é que percebeu a jogada.

Singh, no entanto, está longe de ser o primeiro a conseguir uma estadia prolongada. Há pessoas que conseguiram fixar residência em terminais por semanas, meses e às vezes anos. Curiosamente, porém, nem todos os que vivem num aeroporto fazem-no por vontade própria.

Aeroportos são como “mini cidades”. Têm locais de culto, policiamento, hotéis, bons restaurantes, lojas e transportes públicos, entre outras coisas.

É possível morar em aeroportos porque eles oferecem muitas das comodidades básicas necessárias para a sobrevivência: comida, água, casas de banho e abrigo. E embora as operações aeroportuárias não funcionem necessariamente 24/7, os terminais aeroportuários geralmente abrem muito cedo pela manhã e permanecem abertos até de madrugada.

Muitas das instalações são tão grandes que aqueles que estão decididos a ficar – como o homem em O’Hare – podem encontrar maneiras de evitar serem apanhados durante algum tempo.

Uma das maneiras de os aspirantes a residentes de aeroporto evitarem deteção é simplesmente misturarem-se com a multidão. Antes da pandemia, os aeroportos dos EUA recebiam entre 1,5 e 2,5 milhões de passageiros por dia.

Com a pandemia, os números caíram drasticamente para menos de 100.000 durante as primeiras semanas da crise na primavera de 2020. Notavelmente, o homem que morou em O’Hare por pouco mais de três meses chegou em meados de outubro de 2020 à medidas que os números de passageiros estavam a recuperar. Singh foi descoberto e apreendido apenas no final de janeiro de 2021.

A viver no limbo

Claro, nem todos aqueles que dormem num terminal necessariamente querem estar lá. Viaje bastante de avião e é provável que, num momento ou outro, você se encontre na categoria de residente involuntário de curto prazo no aeroporto.

Enquanto algumas pessoas podem reservar voos que as obriguem a pernoitar no aeroporto, outras ficam presas nos aeroportos por causa de ligações perdidas, voos cancelados ou mau tempo. Estas circunstâncias raramente resultam em mais de um ou dois dias de residência num aeroporto.

Depois, há aqueles que involuntariamente se encontram numa estadia prolongada e indefinida. Talvez o residente involuntário de longo prazo mais famoso em aeroportos tenha sido Mehran Karimi Nasseri, cuja história supostamente inspirou o filme “O Terminal”, com Tom Hanks.

Nasseri, um refugiado iraniano, estava a caminho de Inglaterra, via Bélgica e França, em 1988, quando perdeu os papéis que comprovavam a sua condição de refugiado. Sem os seus documentos, ele não poderia embarcar no seu avião para Inglaterra. Nem foi autorizado a deixar o aeroporto de Paris e entrar em França.

Assim, tornou-se uma batata quente internacional à medida que o seu caso se espalhava entre autoridades em Inglaterra, França e Bélgica. A certa altura, as autoridades francesas ofereceram-lhe permissão para residir em França, mas Nasseri recusou a oferta, alegadamente porque queria chegar ao seu destino original, Inglaterra.

Foi desta forma que ficou no aeroporto Charles de Gaulle durante quase 18 anos. Saiu apenas em 2006, quando o seu estado de saúde exigiu hospitalização.

Outros residentes de longo prazo de aeroportos incluem Edward Snowden, o denunciante da NSA, que passou mais de um mês num aeroporto russo em 2013 antes de receber asilo.

Há ainda a saga de Sanjay Shah, que viajou para Inglaterra em maio de 2004 com um passaporte de cidadão britânico no estrangeiro. No entanto, a sua entrada foi recusada quando ficou claro que ele pretendia imigrar para Inglaterra, não apenas ficar lá os poucos meses que o seu tipo de passaporte permitia.

Mandado de volta para o Quénia, Shah temia deixar o aeroporto, pois já tinha renunciado à cidadania queniana. Ele finalmente foi capaz de sair após uma residência no aeroporto de pouco mais de um ano, quando as autoridades britânicas lhe concederam cidadania total.

Mais recentemente, a pandemia criou novos residentes involuntários em aeroportos. Por exemplo, um estónio chamado Roman Trofimov chegou ao Aeroporto Internacional de Manila num voo de Banguecoque a 20 de março de 2020. No momento da sua chegada, as autoridades filipinas pararam de emitir vistos de entrada para limitar a disseminação da covid-19. Trofimov passou mais de 100 dias no aeroporto de Manila até que a embaixada da Estónia finalmente conseguisse um assento para ele num voo de repatriação.

Embora a maioria dos residentes involuntários de aeroportos anseie deixar as suas casas temporárias, alguns tentaram voluntariamente fazer do aeroporto a sua residência de longo prazo. Os principais aeroportos dos Estados Unidos e da Europa há muito funcionam – embora em grande parte informalmente – como refúgio para os sem-abrigo.

PARTILHAR

RESPONDER

No dia da Terra, os líderes mundiais juntaram-se para "passar à ação"

A Casa Branca organizou uma Cimeira de Líderes sobre o Clima, que decorre de forma virtual e durante dois dias. Começou esta quinta-feira, dia em que se comemora o Dia da Terra, e junta cerca …

Detido em Itália homem que terá fornecido arma ao autor do atentado de Nice em 2016

Um homem que teria fornecido uma arma ao autor do atentado com um caminhão na cidade francesa de Nice, em 14 de julho de 2016, foi detido na Itália, anunciaram na quarta-feira vários veículos de …

"Invisibilidade" do LGBTI nos Censos é alvo de críticas

A Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo e o Bloco de Esquerda estão a criticar os Censos 2021 devido à ausência de perguntas relacionadas com identidade de género, o que …

Rússia vai dar início à retirada de tropas perto da fronteira com a Ucrânia

A Rússia anunciou que vai iniciar, esta sexta-feira, a retirada das suas tropas concentradas perto da fronteira com a Ucrânia e na Crimeia anexada, referindo que os exercícios foram concluídos. "As tropas demonstraram a sua capacidade …

KPMG desconhecia problemas no BESA que justificassem reserva às contas

A KPMG Portugal afirmou, numa carta enviada à comissão de inquérito do Novo Banco, que desconhecia factos no BES Angola que pudessem levar a uma opinião com reservas às contas do BES. A KPMG Portugal desconhecia …

Ferro Rodrigues está "perfeitamente de acordo" com Marcelo sobre enriquecimento ilícito

O presidente da Assembleia da República (AR) concorda com o Presidente quanto à urgência de melhorar a lei contra o enriquecimento ilícito e diz que isso pode ser feito sem pôr em causa princípios constitucionais. Numa …

Índia regista subida drástica de infeções e mortes. EUA com 200 milhões de vacinas tomadas

O número de novas infeções pelo coronavírus dispararam na Índia, com a falta de preparação do Governo e a forma como a pandemia tem sido gerida apontadas como causas para a subida dos casos e …

Técnicos de diagnóstico. Depois de mais uma coligação da oposição, Executivo avalia o que fazer

Depois de mais uma coligação da oposição, o Governo "está a avaliar" o que irá fazer em relação à aprovação das mudanças na carreira de Técnico Superior de Diagnóstico e Terapêutica.  De acordo com o semanário …

Diretor de Finanças de Lisboa está em substituição desde 2015. Já ultrapassa tempo de comissão de serviço

Fernando Lopes, a maior estrutura regional da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), é diretor da Direção de Finanças de Lisboa em regime de substituição desde março de 2015. Quando a então diretora regional, Helena Borges, foi …

Portugal regista mais quatro mortes e 636 novos casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais quatro mortes e 636 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 636 …