Às vezes, as pessoas ativas ganham mais peso (e já sabemos porquê)

Somos bombardeados constantemente com dois conselhos saudáveis: fazer mais exercício e comer menos. No entanto, esta combinação representa um problema óbvio, uma vez que ser mais ativo nos torna mais famintos.

Os nutricionistas sonham com o dia em que serão capazes de criar uma dieta para que as pessoas sejam mais ativas e, em simultâneo, não sintam fome durante o processo. No entanto, este objetivo é mais complicado do que parece, já que os cientistas estão ainda em busca do mecanismo que gere a energia que gastamos e como ela se traduz no nosso nível de apetite.

Num cenário ideal, o corpo humano teria a capacidade de detetar imediatamente as mudanças na quantidade de energia que usamos e, de seguida, dar-nos o apetite para comer a quantidade certa de alimentos de forma a equilibrar essa equação. Contudo, não é isto que acontece. Todos nós ficamos com fome duas ou três vezes por dia, independentemente da quantidade de exercício que façamos.

O efeito do aumento da atividade do ser humano continua a representar um verdadeiro mistério no que toca ao apetite. A maioria de nós queima diferentes quantidades de calorias em dias diferentes. Há dias em que somos mais ativos de que outros e até os que frequentam o ginásio têm dias de repouso.

Estudos anteriores não encontraram qualquer relação entre as variações de atividade e quantidade de comida que uma pessoa consome no dia em questão.

Segundo o Inverse, a maioria dos estudos concentrou-se em pessoas que praticavam exercícios aeróbicos. Neste caso, os cientistas descobriram que enquanto algumas pessoas altamente treinadas e magras tendem a comer a quantidade certa para compensar as calorias extras que queimam, as pessoas acima do peso são mais propensas a comer demais.

Mas qual o mistério por trás desta diferença? Os cientistas colocaram em cima da mesa uma hipótese: os processos fisiológicos podem ser diferentes nas pessoas que praticam mais exercício físico. Um exemplo prático é que os hormónios intestinais destas pessoas podem ser libertados em diferentes concentrações quando elas comem, potencialmente com relação à quantidade de comida que precisam.

Outros trabalhos de investigação concluíram que as pessoas com excesso de peso eram mais famintas e consumiam mais calorias do que as pessoas mais magras. Como as pessoas com excesso de peso têm uma taxa metabólica de repouso mais alta – taxa segundo a qual o corpo queima energia enquanto estão em repouso – os cientistas propuseram a existência de uma correlação entre a taxa e o tamanho das refeições.

O facto de as taxas metabólicas de repouso das pessoas serem estáveis, independentemente das flutuações no exercício físico diário, pode ajudar a explicar por que motivos os níveis de exercício geralmente não influenciam a quantidade de comida que ingerimos nesse mesmo dia.

Ainda assim, isto não implica necessariamente que a taxa metabólica de repouso determine a quantidade de alimentos que ingerimos. Por esta razão, os cientistas propuseram que a quantidade de massa muscular pode ditar a taxa metabólica de uma pessoa.

Se assim for, a taxa metabólica pode estar apenas a atuar como intermediária: direciona as informações sobre a composição corporal através de redes hipotalâmicas no cérebro, que se acredita ser o responsável pelo controlo do apetite. Ainda assim, serão precisas mais pesquisas futuras para provar esta tese.

Para examinar verdadeiramente o que acontece na vida real, o mais recente estudo, publicado no National Center for Biotechnology Information, analisa o que acontece com a ingestão de calorias nos dias em que as pessoas estão mais ativas sem fazer exercício deliberadamente – por exemplo, uma simples ida ao dentista.

A equipa, liderada Alex Johnstone, analisou 242 indivíduos (114 homens e 128 mulheres) e descobriu que a quantidade de atividade física influenciou a quantidade de comida que os participantes ingeriram. No entanto, descobriram também que as suas taxas metabólicas de repouso também influenciavam o seu apetite – por outras palavras, as pessoas com excesso de peso tendiam a comer mais.

Apesar de este estudo significar mais um passo em frente na investigação, existem muitas variáveis que não foram consideradas pelos cientistas.

“Eu duvido que um dia cheguemos ao ponto em que olhamos para uma pessoa e conseguimos dizer como funciona o seu organismo. O que podemos dizer, com base no nosso estudo, é que muitas pessoas são propensas a comer mais quando se tornam mais ativas”, rematou a cientista da Universidade de Aberdeen, na Escócia.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Lítio pode reverter malefícios de radiação no cérebro

Cientistas concluíram numa experiência com ratos que o lítio pode reverter os malefícios da radiação no cérebro, podendo o seu uso ser promissor para tratar crianças que foram sujeitas a radioterapia e desenvolveram posteriormente défices …

Um em cada dez sites de compras online usa táticas maliciosas nos clientes

https://vimeo.com/373176205 Um em cada dez sites de compras online usa táticas maliciosas para enganar, iludir ou persuadir os clientes. A tendência é que o recurso a estas práticas aumente nos próximos anos. Um estudo apresentado na semana …

Eurovisão procura voluntários para trabalhar 18 dias seguidos sem vencimento

A procura de voluntários para o Festival Eurovisão de 2020 está a gerar polémica. A organização quer disponibilidade total durante 18 dias, não oferecendo qualquer vencimento, nem pagando despesas de viagem ou estadia. O Festival Eurovisão …

Portugal 6 vs 0 Lituânia | Ronaldo e Cia destroem lituanos

Portugal goleou a Lituânia esta quinta-feira no Estádio Algarve, por 6-0, e está a uma vitória de garantir o apuramento para o Euro 2020, decisão que está marcada para o próximo domingo, quando a seleção …

Um “caixão” nuclear da Guerra Fria pode estar prestes a colapsar

Durante a Guerra Fria, os EUA lançaram 67 bombas atómicas nas Ilhas Marshall, no oceano Pacífico. No fim nos anos 70, os detritos expostos à radiação nas seis ilhas foram transportados para um poço gigante …

App usada para ler dados biométricos de europeus no Reino Unido pode ser pirateada

A aplicação digital criada pelo governo britânico para recolher dados biométricos dos europeus candidatos ao estatuto de residente no Reino Unido, obrigatório depois do Brexit e pedido por 210 mil portugueses, pode ser pirateada, alertou …

Bruxelas abre processo de infração contra Reino Unido por não nomear comissário europeu

A Comissão Europeia anunciou esta quinta-feira a abertura de um procedimento de infração contra o Reino Unido por este Estado-membro, que está em processo de saída da União Europeia (UE), não ter nomeado um comissário. “Enquanto …

Urgência pediátrica do Garcia de Orta encerra à noite a partir de segunda-feira

O serviço de urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, vai fechar à noite a partir de segunda-feira, disse a ministra da Saúde, que prolongou o horário de duas unidades de saúde para …

Hipercarro elétrico da Aspark pulveriza recorde de aceleração

O novo hipercarro elétrico Aspark Owl vai começar a sua produção já no próximo ano e conta já com o recorde de aceleração. O carro vai dos 0 aos 100 km/h em 1,69 segundos. Depois de …

Pelé desafia Ronaldo a bater o seu recorde de 1.283 golos

O ex-futebolista internacional brasileiro Pelé desafiou esta quinta-feira o avançado português Cristiano Ronaldo a superar o seu recorde de 1.283 golos. “Espero que, com a quantidade de golos que já marcou, e foram muitos, tenha saúde …