Quanto mais pequena é a casa, mais ecológico é o estilo de vida da pessoa

O interesse em casas pequenas aumenta a cada dia que passa – habitações que normalmente medem menos de 37 metros quadrados. Esse interesse é impulsionado pelos meios de comunicação, que afirmam que morar em casas pequenas é benéfico para o planeta.

Pode parecer óbvio que viver numa casa mais pequena reduz o nosso impacto ambiental, mas a verdade é que ainda não foram realizados estudos suficiente para medir de que forma os comportamentos ambientais das pessoas mudam quando elas alteram drasticamente o tamanho do seu lar.

Maria Saxton, investigadora da Virginia Tech, nos Estados Unidos, procurou colmatar essa falha e decidiu desenvolver um estudo que pudesse fornecer evidências mensuráveis sobre de que forma passar a viver numa casa pequena (downsizing) influencia os impactos ambientais.

A investigadora analisou as pegadas ecológicas de 80 downsizers, pessoas que viveram durante um ano ou mais em casas pequenas, de forma a compará-las com as suas pegas ecológicas em casas anteriores.

As pegadas desses downsizers, todos norte-americanos, reduziram, em média, 45%. Surpreendentemente, esta prática pode ingluenciar o estilo de vida de uma pessoa e reduzir os impactos no meio ambiente de formas muito inesperadas, afirma a cientista ao The Conversation.

O conceito de vida minimalista existe há séculos, mas o movimento moderno de pequenas casas tornou-se uma tendência apenas no início dos anos 2000. As casas minúsculas são uma abordagem de habitação inovadora que pode reduzir o desperdício de material de construção e o consumo excessivo. Apesar de não haver uma descrição universal para este tipo de casas, são habitações que dão primazia à qualidade, em detrimento da quantidade.

As pessoas optam por viver em lares mais pequenos por vários motivos. Entre eles podem incluir-se o estilo de vida mais ecológico e a liberdade financeira.

Neste estudo, Maria Saxton examinou os impactos ambientais destes pequenos lares medindo as suas pegadas ecológicas individuais. A investigadora calculou as pegadas em termos de hectares globais, considerando a habitação, o transporte, alimentação, bens e serviços. Um hectare global equivale a cerca de 2,5 acres ou, aproximadamente, o tamanho de um campo de futebol.

Entre os 80 downsizers, a pegada ecológica média é de 3,87 hectares globais, cerca de 9,5 acres. Isto significa que seriam necessários 9,5 acres para sustentar o estilo de vida dessa pessoa durante um ano. Por comparação, antes de se mudarem para estas casas minúsculas, a pegada média dos participantes era de 7,01 hectares globais (17,3 acres).

No entanto, o que surpreendeu Saxton foi descobrir que a casa não foi o único componente das pegadas ecológicas que se alterou – todos os outros componentes do estilo de vida dos downsizers (alimentação, consumo, transportes, bens e serviços) foram positivamente influenciados.

Depois de se mudarem para estas casas, os downsizers passaram a ser mais propensos a ingerir alimentos menos intensivos em termos de energia, e a adotar hábitos alimentares ambientalmente mais conscientes – como cultivar mais alimentos, por exemplo. Além disso, a cientista verificou que os participantes viajavam menos de carro, autocarro, comboio ou avião, e conduziam mais carros com consumo eficiente de combustível.

Em jeito de conclusão, Maria Saxton identificou mais de 100 componentes que alteraram após o downsizing, e aproximadamente 86% tiveram um impacto positivo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Casaco e guitarra de Kurt Cobain vão a leilão (e valem milhares de euros)

O casaco que o líder dos Nirvana usou no lendário concerto MTV Unplugged in New York vai ser leiloado, com um preço de venda estimado em 270 mil euros. Uma guitarra de Cobain pode ficar …

"50 sombras" da Idade Média. Páginas censuradas de um livro francês encontradas nos EUA

As páginas de um romance medieval foram descobertas nos arquivos da Diocese de Worcester, no estado norte-americano de Massachusetts.  Investigadores descobriram uma versão perdida de um romance medieval, que contém cenas eróticas. O poema francês - …

A tecnologia usada na Bitcoin também está a ser usada para encontrar o amor

Várias dating apps (aplicações de encontros) estão a recorrer ao blockchain para que os seus utilizadores possam encontrar a cara-metade de uma forma mais segura e transparente. O Tinder é provavelmente a dating app mais usada …

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …