Pensões entre 705 e 725 euros podem perder 100% do apoio anunciado pelo Governo

12

Os pensionistas com reformas próximas do salário mínimo podem perder a isenção ao IRS e há casos em que o pagamento do imposto absorve a totalidade do apoio de outubro. O Governo promete que vai corrigir estes cenários para que os aumentos brutos dos rendimentos sejam também aumentos líquidos.

Os pensionistas que recebem reformas próximas do salário mínimo (705 euros) podem acabar por perder a totalidade do apoio que o Governo anunciou que será dado em outubro como parte do pacote de combate à inflação.

De acordo com as contas da consultora Ilya para o Expresso, isto dá-se porque estes pensionistas terão de pagar IRS. O atual mínimo de existênca (ME) é igual ao salário mínimo e quem tem rendimentos abaixo do ME está isento do imposto.

Por causa disto, há um grupo de reformados que vai passar a pagar IRS graças ao aumento anunciado pelo Governo e nos casos das pensões entre 705 e 725 euros, o pagamento do imposto acaba mesmo por absorver o apoio na totalidade.

Os cálculos referem-se a pensionistas não casados que deduzam 250 euros à coleta de IRS, com pensões brutas mensais, sem o extra de outubro, entre 680,69 euros e 755 euros.

Um pensionista neste cenário que receba 700,69 euros mensais perderá 83% dos 350,24 euros do apoio devido ao IRS. No caso das pensões de 705, 710, 715 e 725 euros, o aumento será mesmo perdido a 100%.

O Ministério das Finanças, em resposta a este problema, garante ao Expresso que a situação será corrigida e que ainda está a “ultimar a proposta de alteração a este mecanismo” e que se evitará que “existam casos de aumento bruto de rendimentos que não correspondam a aumentos líquidos, designadamente rendimentos próximos do SMN”.

  ZAP //

12 Comments

    • Para voltar a dupla maravilha PPC/PP?
      Já temos para troca.
      Lembro-me bem do que foi a governação deles.
      Um até se demitiu de forma ” irrevogável”, mas parece que desconhecia o significado de ” irrevogável”.
      Lembro-me bem que me queriam agravar em 7% os descontos para a SS para os reduzir à contribuição dos patrões. Não fora a gigantesca manifestação de mais de um milhão de pessoas e essa medida tinha ido para a frente.
      Uns ” gajos porreiros”. Mas com o meu voto nunca mais lá põem os pés.

      • Ó Luís Santos, é só para te lembrar que o PPC/PP foram obrigados a governar com as condições que o teu amigo Sócrates assinou com a TROIKA. Sim, foi o Sócrates que negociou e assinou as condições com a TROIKA depois de ter quase levado o país à bancarrota.

  1. Pode ser verdade mas também é verdade que essa perda é “momentánea” já que facilmente se recupera com a apresentação da declaração de IRS.
    O unico senão desta medida é que o apoio deixa de ser imediato e será apenas em maio ou junho de 2023.

    enfim… nestes casos especificos mais valia não receberem qualquer bonificação agora e receber o aumento de lei em 2023…

    • Isto foi tudo bem pensado por estes ladrões. Fazem um folclore que dão isto e aquilo e, no fundo, dão zero ou aquilo que é propriedade das pessoas. Se fosse outro partido até matavam alguém a tiro.

  2. Não os quiseram? E com maioria absoluta? Agora comam e calem. E já agora vejam se aprendem que a cartilha do Sócrates é a mesma…

  3. Toda a gente comenta ,tudo é negativo serja do Ps, do Pcp, Psd ou B,DE o que nao se alternaivas ao que diozem estar mal Nenhum destes “clubes sai si meu ideario” mas deixem de bater no cegujinho e pequem nnas botinhas e juntem 2 mil pes e vamos para a rua

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.