Testemunhas de Pedrógão Grande confirmam reconstrução de casas desabitadas após incêndio

Paulo Novais / Lusa

Duas testemunhas confirmaram nesta segunda-feira em tribunal, no julgamento das alegadas irregularidades no processo de reconstrução das casas após o incêndio de Pedrógão Grande, que casas desabitadas, algumas em ruínas, foram reconstruídas após o fogo.

Na Batalha, onde prossegue o julgamento do Tribunal Judicial de Leiria, a testemunha Deonile Feteira, de Vila Facaia, concelho de Pedrógão Grande, declarou ter havido casas onde não morava ninguém antes do incêndio que foram reconstruídas depois do fogo.

Num dos casos, ao ser questionada pela procuradora da República, Deonilde Feteira, antiga padeira que fazia a distribuição porta a porta, explicou que quando morreu a mãe de uma arguida deste processo “ninguém ficou a viver” na habitação da progenitora.



“Passava lá todas as semanas e não via ninguém”, assegurou a testemunha, também ela vítima do incêndio de Pedrógão Grande, tendo registado prejuízos num barracão e em oliveiras.

Segundo a testemunha, esta casa, que “estava toda velha e caída para o chão”, ardeu no incêndio, tendo sido depois reconstruída.

Ao colectivo de juízes, Deonilde Feteira sustentou outras situações elencadas no despacho de acusação, como a de uma habitação na freguesia de Graça, também concelho de Pedrógão Grande, na qual “as silvas já saíam dos telhados”.

No âmbito desta casa, propriedade da então sogra do presidente da Junta de Freguesia da Graça, Pedro Pereira, ambos estão acusados de um crime de burla qualificada na forma tentada e um crime de falsificação de documento.

Segundo o Ministério Público, os dois “fizeram assinalar” num formulário para candidatura a apoios que o imóvel era a habitação permanente e própria da mulher, quando se tratava de “uma casa devoluta e em ruínas”.

Sobre esta casa, outra testemunha, Joaquim Martins, igualmente vítima do incêndio, com vários bens destruídos, explicou que em Junho de 2017, quando ocorreu o incêndio, “com toda a certeza”, a mulher não morava lá, sendo que a casa que ardeu estava abandonada e “já nem tinha telhado nem nada”.

“Eu sei que passados dois meses, três meses após o incêndio, começou a construção”, disse, esclarecendo que depois “a casa parou” e “só tem a segunda placa”.

“O povo começou a dar bocas”, referiu, confessando-se revoltado por, no caso dele, ter apenas sido compensado por parte dos prejuízos de que foi vítima.

Já depois de ser questionado sobre outra alegada reconstrução irregular, a procuradora da República pediu a extracção de certidão, por eventual crime de falsidade de depoimento, dado que o depoimento prestado por esta testemunha em sede de inquérito será diferente do prestado no julgamento.

Nesta segunda-feira de manhã foi ouvida mais uma testemunha, com o julgamento a prosseguir durante a tarde.

O julgamento das alegadas irregularidades no processo de reconstrução das casas que arderam no incêndio de Junho de 2017 no concelho de Pedrógão Grande e que alastrou a municípios vizinhos tem 28 arguidos.

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, e o ex-vereador deste município Bruno Gomes estão entre os arguidos. Estão pronunciados por 20 crimes de prevaricação de titular de cargo político, 20 crimes de falsificação de documento e 20 crimes de burla qualificada, os mesmos do despacho de acusação.

Este incêndio provocou 66 mortos e 253 feridos, tendo destruído cerca de 500 casas, 261 das quais habitações permanentes, e 50 empresas.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Pais de bombeiro que morreu relatam vegetação lastimável na EN 236-1

Os pais do bombeiro Gonçalo Conceição, que morreu na sequência de queimaduras nos incêndios de Pedrógão Grande, relataram esta segunda-feira, no Tribunal Judicial de Leiria, que a vegetação junto à Estrada Nacional (EN) 236-1 estava …

Em 2020, nasceram em casa o dobro dos bebés do ano anterior. Mas não existe regulamentação

No último ano, os partos em casa aumentaram para quase o dobro em Portugal. No entanto, esta é uma realidade ainda sem regulamentação e que as seguradoras recusam financiar. Mais de 1100 mulheres optaram por …

Noah brincou e "comportou-se de forma muito normal". Alta hospitalar já foi autorizada

A criança de dois anos e meio que esteve desaparecida mais de 30 horas em Proença-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova, teve esta segunda-feira alta do Hospital Amato Lusitano, disse a diretora clínica daquela unidade hospitalar de …

Espanha. Indultos aos líderes catalães serão aprovados na terça-feira, anuncia Sánchez

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, informou que o conselho de ministros vai aprovar na terça-feira a concessão de indultos aos líderes independentistas catalães, anúncio feito esta segunda-feira, no Grande Teatro do Liceu, em Barcelona. "Amanhã [terça-feira], …

Número de desempregados inscritos nos centros de emprego recua em maio

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego recuou 1,7% em maio em termos homólogos e 5,1% face a abril, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). De acordo com …

BE quer retirar da fatura elétrica taxa de carbono paga às barragens e eólicas

A coordenadora do Bloco de Esquerda anunciou, em Torres Novas, a apresentação de uma proposta para que os portugueses deixem de pagar taxa de carbono na energia produzida pelas barragens e eólicas, a exemplo do …

"Eternizar" moratórias de crédito "é negativo", defende Centeno

O governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, defendeu esta segunda-feira que não se pode "eternizar" as moratórias de crédito, concedidas para fazer face aos efeitos da pandemia na economia, e que empresas e …

Barcelona: foram campeãs europeias mas pedem outro treinador

Época inédita no futebol feminino do Barcelona não é sinónimo de continuidade do técnico vencedor. Jogadoras pedem mudança no banco. O Barcelona protagonizou uma época histórica e inédita no futebol feminino. A equipa catalã foi novamente …

PSD/Porto diz que escolha de António Oliveira para Gaia foi "erro de casting"

O presidente do PSD/Porto disse esta segunda-feira que a escolha de António Oliveira para encabeçar a candidatura à Câmara de Vila Nova de Gaia foi “um erro de casting”, pelo que encara a desistência deste …

Há mais três mortos e 756 novos casos de covid-19

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), nas últimas 24 horas registaram-se mais 756 casos de infeção por covid-19 e três pessoas morreram. A região de Lisboa e Vale do Tejo regista …