PCP culpa militantes do partido por maus resultados

Miguel A. Lopes / Lusa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa

Pela primeira vez, o PCP assumiu publicamente que há militantes e ex-militantes do partido que estão em discordância radical com o rumo dos últimos quatro anos.

O PCP responsabiliza-os, em parte, pelo resultado da CDU nas legislativas (descida de 17 para 12 deputados, descida de 444,9 mil votos para 329,2 mil votos, ou seja, menos 115,7 do que em 2015).

A referência aos “ex-membros e membros do partido” surge no comunicado da reunião do Comité Central do PCP que, na terça-feira, analisou o resultado das legislativas, de acordo com o Diário de Notícias. A referência, no entanto, foi omitida por Jerónimo de Sousa na conferência de imprensa em que, no dia seguinte, apresentou as conclusões da reunião.

O problema interno é contextualizado quando se explica que o resultado da CDU nas legislativas surge na sequência de “um processo marcado pelo prolongado e sistemático ataque dirigido contra o PCP“.

É nesse ataque que “alguns ex-membros e membros do Partido se têm inserido” e que se caracteriza “pela animação de ideias e conceções retrógradas e populistas”, passando também pelo “branqueamento do fascismo e do que ele representou”, por “operações provocatórias que a partir de estruturas e movimentações diversas visam dividir os trabalhadores e descredibilizar a sua luta e as suas organizações representativas de classe” e “pela difusão de elementos que têm como alvo a própria democracia e a ação política em geral, independentemente do conteúdo concreto que ela expressa, pela inscrição de objetivos que procuram novos passos na subversão da Constituição da República Portuguesa”.

Os “ex-membros e membros do PCP” que o comunicado do Comité Central refere não são identificados. Contudo, segundo o DN, a direção do partido entende que o criticismo interno à participação do partido na geringonça tem expressão pública, nomeadamente, num blogue anónimo feito por militantes do PCP e denominado “Que fazer?”.

Nessa página considera-se que aquilo que o PCP obteve para os trabalhadores por causa da posição conjunta assinada com o PS em 2015 não foi mais do que “um rol de migalhas para conter a pressão social e enganar o povo”.

Por outro lado, afirma que a direção poderá estar a protagonizar um desvio de direita, recordando outros do passado do partido: “As tentativas de destruição do PCP ou a sua transformação num partido social-democrata por dentro são históricas e constantes.”

“Quer-se acabar com o que já foi este Partido. Nos dias de hoje a atual direção vive às custas do passado, do que foi o nosso Partido desde a sua fundação em 1921 até aos tempos da clandestinidade onde heróicos camaradas foram torturados, exilados, assassinados. Hoje vivemos de aparências: uma organização em cacos. Na verdade a nossa organização revolucionária foi propositadamente estropiada para deixar de o ser e passar a ser outra coisa” e tudo isto é “sintoma de uma doença mais grave” que “tem um nome: desvio de direita, oportunismo.”

Também se faz um diagnóstico duro do que tem sido a discussão política dentro do PCP: “Nos dias de hoje muitos somos convocados para reuniões onde às vezes nem ordem de trabalhos existe. Mas, independentemente da existência ou não de uma ordem de trabalhos, o que sentimos é que não há espaço para discutir a linha política do Partido, para discutir a situação política nacional e internacional. Há reuniões que se limitam a distribuir tarefas e argumenta-se que “não há tempo para discutir a situação política”.

Outro argumento apresentado é que, “mesmo nos sectores que ainda reúnem pelo menos uma vez por mês, podem passar-se meses sem haver um ponto de discussão da situação política nacional e internacional. O que está em cima da mesa são tarefas, metas, objetivos e fundos.”

No comunicado, fala-se na “necessidade da realização de reuniões e plenários de militantes aos diversos níveis da estrutura partidária, promovendo a análise da situação atual e programando o seu trabalho e intervenção”, e anunciam-se três iniciativas de curto prazo: um comício esta sexta-feira no Fórum Lisboa; um encontro regional de quadros dia 19 de outubro, no Porto; e um comício a 26 de outubro na península de Setúbal.

“Impõe-se, no seguimento da intensa intervenção do Partido, tomar medidas para o reforço do trabalho de direção aos vários níveis, assegurar a responsabilização de quadros e militantes por tarefas e responsabilidades permanentes, prosseguir a ação de formação política e ideológica, promover a afirmação dos princípios de funcionamento do Partido”, lê-se no comunicado.

“É necessário promover o reforço de quadros e meios, assegurando uma ação que tenha como preocupação fundamental o conhecimento dos problemas, das aspirações, das reivindicações e do estado de espírito dos trabalhadores e a iniciativa para promover a sua unidade, organização e luta, articulada com a afirmação e o reforço do Partido.”

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto os comunisas continuarem a defender cegamente regimes totalitários apenas porque são socialistas, tais como Coreia do Norte, Cuba ou Venezuela, onde os direitos humanos não são respeitados, pouca gente votará num partido que, mesmo tendo as melhores ideias de defesa do trabalhador, será sempre um partido que defende a ditadura socialista.
    De ditaduras fiquei eu farto.

  2. Já olhas te p/ TI? Para aquilo que representas? Só os loucos hoje em dia que seguem essa ideologia.
    O Regime Soviético foi a baixo, e ainda bem, todos os outros países que mantem regime comunista como vive o Povo? Na MISERIA. Ainda pior do que o tu chamas de capitalismo, fascismo etc. Tem juízo e vai p/ casa, já era tempo não?

RESPONDER

"Reaparecimento" de Jack Ma faz disparar o valor da Alibaba

Jack Ma, fundador da Alibaba, participou numa conferência online nesta quarta-feira, depois de mais de dois meses sem aparecer em público, fazendo disparar o valor de mercado da sua empresa, avança a Bloomberg. De acordo …

15 testes de covid-19 por mês: Rui Costa antevê a nova época

Ciclista português quer terminar o ano no topo da tabela UCI. Os Jogos Olímpicos estão na lista de prioridades mas a Volta a França também pode aparecer no calendário. Rui Costa entra na nova temporada com …

A segurança da Casa Branca pode estar em perigo (e a culpa é da bicicleta estática de Biden)

Na quarta-feira, Joe Biden assumiu a presidência dos Estados Unidos, o que significa que, a partir de agora, viverá na Casa Branca. Porém, os hábitos do novo Presidente podem ameaçar a segurança das informações de …

Rio acusa Costa de desgoverno: Só fechou as escolas por "pressão da opinião pública"

O presidente do PSD considerou que o Governo não fechou as escolas mais cedo porque não estava preparado para o fazer, acusando o primeiro-ministro de “desgoverno” e de só ter decidido perante “pressão da opinião …

Lei da eutanásia aprovada na especialidade. PS, BE e PAN votaram a favor

A lei da morte medicamente assistida foi esta quinta-feira aprovada, na especialidade, na comissão de Assuntos Constitucionais, com os votos favoráveis do PS, BE e PAN, o voto contra do CDS-PP e PCP e abstenção …

MP abre inquérito à morte de idoso que esperou três horas em ambulância em Portalegre

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito sobre a morte de um idoso, de 87 anos, na passada segunda-feira, no hospital de Portalegre, depois de estar quase três horas numa ambulância. Questionada pela agência Lusa através …

AHRESP pede revogação da proibição de venda de bebidas em take away

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defendeu, na quarta-feira, a revogação da proibição da venda, no 'take away' de qualquer tipo de bebidas, alertando que o que se pretende impedir é …

Governo garante que Portugal terá todas as vacinas para cumprir plano de vacinação

O Ministério da Saúde garantiu que Portugal terá todas as vacinas necessárias para cumprir o plano de vacinação estabelecido, tendo já assegurado mais de 31 milhões de doses, suficientes para vacinar mais de 18 milhões …

Galp compromete-se a falar com cada um dos 401 trabalhadores da refinaria de Matosinhos

A petrolífera anunciou que irá realizar, entre fevereiro e março, conversas individuais com cada um dos 401 trabalhadores afetados pela decisão de fechar a refinaria de Matosinhos. No final de dezembro do ano passado, a …

RTP anuncia intérpretes do Festival da Canção 2021. Final acontece em estúdio sem público

A RTP anunciou, esta quarta-feira, os intérpretes e as 20 canções a concurso na edição deste ano do Festival da Canção. Na conferência de imprensa, decorrida online, ficou também a saber-se que a final do …