Partidos pedem demissão de Van Dunem. Governo de Costa já teve vários ministros em causa

Manuel de Almeida / Lusa

A Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem

A polémica que envolve a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, ao caso relacionado com o currículo do procurador José Guerra enviado para a União Europeia (UE), têm levado o Governo a enfrentar críticas dos partidos e da opinião pública.

Segundo recordou esta terça-feira o ECO, o Governo apresentou José Guerra – cujo currículo continha dados falsos – como o candidato preferencial, depois de um comité internacional ter considerado Ana Carla Almeida como a mais indicada.

Um dos dados falsos refere que José Guerra era procurador-geral-adjunto, cargo que não ocupou. Outro dos dados aponta que este teve um papel “de liderança investigatória e acusatória” no processo UGT, que não assumiu.

Embora a ministra tenha garantido que desconhecia o conteúdo do currículo, o diretor da Direção Geral da Política de Justiça (DGPJ), Miguel Romão – que se demitiu do cargo -, afirmou que Van Dunem tinha conhecimento do seu conteúdo integral. Esta, por sua vez, enviou ao representante português junto da UE uma correção.

Esta terça-feira, o líder do PSD, Rui Rio, acusou a ministra de mentir sobre o caso, defendendo que tem de se demitir ou ser demitida. Quando chamada, Van Dunem disse aos deputados que ponderou a demissão, mas entendeu que tem “condições para continuar no cargo”.

Mas este não é caso único de polémica com ministros no Governo de Costa. Em dezembro, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, foi criticado devido à morte do cidadão ucraniano Ihor Homenyuk, em março, no Centro de Instalação Temporária do aeroporto de Lisboa. A diretora nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Cristina Gatões, acabou por se demitir.

O então ministro das Finanças, Mário Centeno, foi desaprovado pelos partidos na sua saída, ao passar para a presidência do Banco de Portugal, estando também envolvido em polémica por causa de um empréstimo de 850 milhões de euros ao Fundo de Resolução, posteriormente injetado no Novo Banco.

Já a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, foi criticada por não ler o relatório da Ordem dos Médicos sobre um surto de covid-19 num lar em Reguengos, confissão que levou a pedidos de demissão. Também a ministra da Saúde, Marta Temido, foi criticada e alvo dos mesmos pedidos.

Na primeira anterior legislatura, a na altura ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, foi alvo de várias críticas devido aos incêndios de 2017. Em outubro, quatro meses depois dos fogos em Pedrógão Grande, demitiu-se.

Na Defesa, o ex-ministro Azeredo Lopes demitiu-se em outubro de 2018, no seguimento do assalto aos paióis de Tancos, que ocorreu em junho de 2017. Entretanto, foi constituído arguido no processo.

  Taísa Pagno //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Há 42 anos, andámos "À Boleia pela Galáxia" - e descobrimos a resposta para a vida, o universo e tudo mais

Assinalam-se este mês os 42 anos da série de livros de ficção científica de Douglas Adams. Mais de quatro décadas depois, a história excêntrica continua relevante e a atrair fãs. Muitos filósofos questionaram-se durante séculos sobre …

F.C. Porto 1-0 Milan | Dragão em fúria banaliza italianos

A fúria do Dragão. O relógio marcava o minuto 65. O nulo perdurava, as tentativas portistas em busca da glória eram imensas – no total, 20 remates contra apenas quatro do AC Milan –, assim …

Veículo autónomo da Waymo

Os carros autónomos da Waymo estão a ser atraídos para uma rua sem saída

Os veículos autónomos da Waymo, detida pela Alphabet que é também a mãe da Google, são constantemente encaminhados para uma rua sem saída em São Francisco, nos Estados Unidos. Para já, ninguém sabe porquê. Nas últimas …

Com as ruas inundadas, casal indiano usa panela de cozinha para se deslocar para o próprio casamento

Um casal indiano foi transportado para o seu casamento por um meio de transporte incomum: uma panela de cozinha. Com as ruas do estado de Kerala inundadas, após chuvas torrenciais, esta foi a única forma …

OE2022: PCP propõe eliminação do adicional de ISP e da “dupla tributação” dos combustíveis

O PCP anunciou hoje que irá propor em sede de Orçamento para 2022 a eliminação do “adicional” ao Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) e da dupla tributação dos combustíveis e insistir na fixação de preços …

Besiktas 1-4 Sporting | Tratado leonino deixa turcos KO

O Sporting foi à Turquia somar a primeira vitória no Grupo C da Liga dos Campeões, ao bater o Besiktas por 4-1. Um desfecho fundamental para a equipa de Alvalade continuar a acalentar esperanças de apuramento …

Lei de David. Reino Unido pondera acabar com anonimato online depois de esfaqueamento de deputado

A morte de David Amess está a suscitar um debate no Reino Unido sobre a segurança dos deputados e os insultos de que as figuras políticas são alvo nas redes sociais. Depois do deputado conservador David …

"Não há acordo". Bloco e Governo continuam às turras por causa do OE, mas há mais reuniões previstas

Os bloquistas não se mostraram satisfeitos com o resultado da reunião com o executivo e exigem mais cedências do Governo. Ambos os lados confirmam que ainda se vão encontrar mais vezes para debater o Orçamento. "Não …

Dois mortos e 450 feridos em manifestações para assinalar protestos de 2019 no Chile

Dois mortos e 450 detidos foi o resultado da violência registada em Santiago do Chile, na sequência de uma manifestação para celebrar o segundo aniversário dos protestos de 2019 contra a desigualdade social no país. A …

Votação das leis sobre teletrabalho só para depois do Orçamento

As recentes alterações às propostas têm aproximado os partidos, mas as compensações dadas aos trabalhadores pelos custos adicionais do teletrabalho e o direito a desligar continuam sem consenso. Apesar do calendário inicial apontar que os projectos …