Partidos de extrema-direita avançam sobre Estrasburgo mas aliança será difícil

Pietro Naj-Oleari / European Parliament

-

A extrema-direita poderá obter ganhos significativos nas eleições europeias deste mês mas terá dificuldade em construir compromissos no Parlamento Europeu, de acordo com especialistas em movimentos políticos extremistas.

“Creio que estes partidos têm uma ligação em termos de nacionalismo, populismo, oposição à imigração, mas também têm muitas diferenças entre si, e trabalhar em conjunto será para eles difícil”, disse à Lusa Ruth Wodak, diretora para a Áustria do Observatório Europeu do Racismo, da Xenofobia e do Anti-semitismo.

No final do ano passado, o jornal Der Standard noticiou uma reunião em Viena de membros seis partidos da extrema-direita europeia: o FPÖ (Áustria), a Frente Nacional (França), a Liga Norte (Itália), o Vlaams Belang (Bélgica), o Partido Nacional (Eslováquia) e os Democratas (Suécia). O líder do FPÖ, Heinz-Christian Strache disse ao jornal que “há muitos partidos patrióticos importantes na Europa”, e que a reunião se destinava a criar entre eles “uma parceria para ter um grupo parlamentar forte” no europarlamento.

Os partidos de extrema-direita estão atualmente distribuídos por vários grupos ou isolados em Estrasburgo. O maior grupo da extrema-direita é o Europa da Liberdade, que tem apenas 33 eurodeputados (contra 274 do Partido Popular Europeu e 195 do grupo socialista). As sondagens sugerem que este ano os partidos populistas poderão aumentar muito a sua votação face a 2011, dando nova importância à “parceria” a que Strache se referiu.

Mais o que os separa do que o que os une

Um entendimento entre os vários partido populistas poderá, contudo, ser difícil de atingir.

“É verdade que são todos partidos de extrema-direita, mas há uma diferença entre partidos extremistas, como o Aurora Dourada [Grécia], que são antidemocráticos, e partidos radicais, como a Frente Nacional [França], que não o são”, disse à Lusa Cas Mudde, investigador holandês que estuda a extrema-direita europeia.

Ruth Wodak encontra vários pontos em comum entre os vários movimentos da extrema-direita: “Todos estão orientados para uma fantasia de uma nação homogénea, que nega a diversidade das nossas sociedades”, diz a investigadora austríaca. “Todos desejam um estado-nação homogéneo composto por autênticos austríacos ou verdadeiros finlandeses ou coisas do género. É basicamente a consanguinidade, um conceito muito tradicional, nativista, da nação.”

No entanto, “para lá destas semelhanças há muitas diferenças”, que explicam a dificuldade em “encontrar um quadro de referências comum”.

“Por exemplo, o Jobbik [Hungria] tem uma espécie de organização paramilitar, tal como o Aurora Dourada [Grécia], e também têm um programa fascizante – o Aurora Dourada é essencialmente neonazi”, acrescenta Wodak.

“Não se pode comparar [o holandês] Geert Wilders com isso, nem o partido dinamarquês ou os Democratas da Suécia. Não são fascistas. O UKIP [Reino Unido] é anti-imigração e anti-UE, mas não tem nada a ver com o Jobbik.”

Outro obstáculo a um entendimento entre as extremas-direitas europeias é que “todos estes partidos são muito orientados para o poder, e são dirigidos por figuras autoritárias, como Marine Le Pen ou Strache“, afirma ainda Wodak. “Será difícil que encontrem compromissos num programa conjunto, e se esse programa for só ‘somos céticos quanto à UE‘, então ao primeiro pormenor começará a haver grandes diferenças”, conclui a investigadora austríaca.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …