Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN

Mário Cruz / Lusa

O PAN considera que “o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar”, ainda que apresente fragilidades como a “invasão da vida pessoal”.

O PAN agendou para sexta-feira um debate parlamentar sobre o teletrabalho, visando avaliar as posições das bancadas sobre as vantagens e “fragilidades” da modalidade, antes de avançar com um projeto de regulamentação.

“Optámos por fazer um debate e agendar essa temática precisamente para que haja esta reflexão prévia, sendo que o PAN o que defende igualmente é que haja uma regulamentação, e estamos a trabalhar num projeto de lei precisamente para promover a regulamentação do teletrabalho”, disse à Lusa a líder parlamentar, Inês Sousa Real.

Entre as vantagens do teletrabalho, o PAN aponta a redução das deslocações, com benefício para o combate às alterações climáticas, maior inclusão e a possibilidade de os trabalhadores poderem exercer as suas funções a partir de zonas menos densificadas do país, contribuindo para valorizar as regiões do interior desertificado.

Por outro lado, o teletrabalho apresenta “fragilidades”, podendo na prática representar uma “invasão da vida pessoal” ou o trabalhador não ter os equipamentos e ferramentas de trabalho necessárias, adverte o partido.

“Queremos ouvir os especialistas, queremos ouvir também os parceiros sociais e ouvir também as outras forças políticas sobre este tema”, apontou Inês Sousa Real.

Para o PAN, “o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar”, pelo que o partido quer iniciar “uma reflexão em torno desta temática”, até porque “a covid-19 antecipou precisamente a implementação” desta forma de exercer.

“Tendo em conta a experiência que hoje temos do isolamento e do confinamento em casa”, isso pode ser aproveitado para ajudar a decidir “de que forma” será possível “regulamentar o teletrabalho”, destacou a líder parlamentar.

Com o projeto de lei que vai apresentar, o PAN não quer alterar o Código do Trabalho, mas sim “regulamentar para densificar estes conceitos” e garantir que “existe uma base sólida”.

“Se esta matéria ficasse só na concertação social, corríamos os riscos de continuar a ter disparidades entre os direitos e entre aquilo que são as garantias que têm de ser dadas não só aos trabalhadores ou dos benefícios que têm de ser dados às empresas. Achamos que esse mínimo denominador comum deve estar garantido”, assinalou a deputada.

No final de maio, numa sessão de declarações políticas, o PAN já tinha defendido a regulamentação do teletrabalho, tendo o PSD apontado a necessidade de um amplo debate na sociedade, nomeadamente na concertação social, e PCP e BE alertado para os riscos em relação aos direitos dos trabalhadores.

Na altura, o PS assinalou que “em 2019 foram dados os primeiros passos na administração pública” para potenciar o teletrabalho, e o CDS manifestou dúvidas na regulamentação, criticando a confusão que o Governo, nesta fase de pandemia, fez entre teletrabalho e apoio à família.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …