Parlamento avança para queixa na Justiça contra Berardo

Manuel de Almeida / Lusa

Joe Berardo

A comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos vai fazer queixa contra a Associação Coleção Berardo no Ministério Público por crime de desobediência, considerando que não enviou ao Parlamento os documentos devidos.

A comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos vai fazer queixa contra a Associação Coleção Berardo no Ministério Público por crime de desobediência, considerando que não enviou ao Parlamento os documentos devidos, disse esta terça-feira o presidente da comissão.

“Nós só podemos avaliar o papel desempenhado pelos responsáveis da CGD e nesse sentido não há dúvida de que a informação é devida à comissão, o argumento de que [essa informação] não tem a ver com o objeto da comissão não colhe. Vamos participar ao Ministério Público porque há aqui um crime de desobediência com argumentos que não são acolhíveis da nossa parte”, disse à Lusa o presidente da comissão de inquérito, Luís Leite Ramos.

O deputado do PSD disse que a Associação Coleção Berardo enviou alguma da documentação pedida pelos deputados, como atuais estatutos e algumas atas de assembleias-gerais e listagem de participantes, mas que outros não enviou tendo argumentado considerar que não se integram no objeto da comissão e que a associação é uma entidade privada em que a comissão parlamentar não tem de se imiscuir.

Segundo Luís Leite Ramos, o objetivo da comissão de inquérito não é imiscuir-se na associação, mas perceber se a Caixa Geral de Depósitos (CGD) fez tudo o que podia para cobrar a penhora sobre a associação.

“A nossa preocupação é perceber se a Caixa fez tudo o que tinha a fazer para acompanhar garantias e executar este processo, o que conseguimos só sabendo o que se passou na associação, na alteração de estatutos, no aumento de capital, se as convocatórias foram enviadas para a Caixa. O nosso foco é a CGD e avaliar todas as ‘démarches’ feitas”, afirmou.

A queixa para o Ministério Público deverá seguir ainda esta semana ou no princípio da próxima, junto com a transcrição da audição a Berardo, dando seguimento ao que tinha sido aprovado na comissão em 19 de junho.

Então, os deputados da comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da CGD aprovaram por unanimidade a comunicação ao Ministério Público caso a Associação Coleção Berardo não enviasse os documentos a tempo.

Ainda nas declarações hoje à Lusa, o presidente da comissão parlamentar de inquérito à CGD falou sobre as críticas de Berardo à gravação e transmissão da sua audição em maio, no parlamento, que o empresário afirmou ser uma violação dos seus direitos, repetidas esta segunda-feira, tendo o deputado considerado estranho que Berardo queira agora proteger a sua imagem quando a imprensa fez parte da construção da sua carreira e imagem pública.

As críticas de Berardo à gravação e transmissão da sua audição pelo Canal Parlamento foram novamente expostas esta segunda-feira, numa carta aberta ao presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, em que o empresário garantiu que já pagou, quase só em juros, cerca de 231 milhões de euros à banca a “troco de nada”, rejeitando a ideia de ter ficado “com muitos milhões” dos portugueses, e considerou que após a sua audição na comissão de inquérito (em 10 de maio) está a ser alvo de um ataque reputacional.

“E como se não bastasse o ataque ao meu património, tenho agora que defender-me do ataque ao meu bom nome”, vincou numa carta com cinco páginas, em que considera que foram violados os seus direitos fundamentais na audição na comissão parlamentar de inquérito à CGD em 10 de maio.

Em causa está o facto de o presidente da comissão parlamentar ter acedido ao seu pedido e ter mandado sair da sala as televisões e as rádios, mas ter mantido a gravação e transmissão em direto pelo Canal Parlamento, acabando a audição por ser transmitida por várias estações, usando essas imagens e áudio.

Para Berardo, a divulgação das imagens causou danos à sua honra pessoal, e faz com que a sua posição em vários processos judiciais que lhe foram movidos “dificilmente possa vir a ser apreciada com o necessário distanciamento”, uma vez que os tribunais, “ainda que inconscientemente, não são imunes aos efeitos da opinião pública“.

O presidente da Comissão de Inquérito à CGD, Luís Leite Ramos, disse à Lusa que mantém os argumentos que usou então para aceitar a transmissão da audição pelo Canal Parlamento, apesar de este ter pedido que não acontecesse, justificando desde logo com pelo interesse público daquela audição e pelo tratamento igualitário dado a todos os que foram depor àquela comissão.

As audições da comissão de inquérito à CGD já terminaram, tendo o relatório de ser entregue até 15 de julho (o deputado-relator é João Almeida, do CDS-PP), sendo depois discutido e votado em comissão, o que deverá acontecer a 17 ou 18 de julho, de modo a o relatório final ser discutido no último plenário deste ano parlamentar, marcado para 19 de julho.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A falha foi de todos incluindo o governo que não se eu ao trabalho de investigar o que esse animal fez na África do sul, ( mais do mesmo) e ainda lhe deram o titulo de comendador. É que nem para a família que esse porco tem na Madeira é bom: É mata-lo com polónio.

  2. Vamos lá ver se vai continuar a arreganhar os dentes ao povo.
    Certo é que muitos outros que por la (AR) passaram mereciam o mesmo tratamento por gozarem com o povo.

RESPONDER

É mesmo possível reconhecer um ditador pelas suas características faciais

Os líderes democraticamente eleitos tendem a ter rostos mais atraentes e simpáticos do que os líderes autoritários, conclui um polémico estudo. É comum as pessoas formarem juízos de valor baseados na aparência de um rosto. No …

Moedas já fala como presidente. "Temos que deixar a política da fricção e apostar na construção de soluções, de resultados"

Carlos Moedas, que se vê como um presidente inclusivo", recusa uma política de "fricção", nomeadamente na oposição ao poder nacional e promete concentrar-se nos "resultados e nas pessoas" para melhorar a vida dos lisboetas. Carlos Moedas, …

Responsabilidade é a característica mais importante para alcançar bons resultados escolares

Cerca de 300 estudantes do concelho de Sintra participaram no estudo internacional que teve como objetivo correlacionar o desempenho escolar com as competências sociais e emocionais dos mesmos. A responsabilidade é uma das características mais importantes …

CCB condenado por violar direitos laborais de técnicos de espetáculos

O Centro Cultural de Belém (CCB) foi condenado em tribunal por violação dos direitos laborais de 12 técnicos de espetáculos. Segundo o jornal Público, os juízes do Tribunal da Relação de Lisboa deram razão a 12 …

Berlinenses apoiam expropriação de grandes proprietários para conter preços da habitação

Resultados do referendo são um sinal da crescente divisão que se vive na sociedade berlinense em relação à especulação imobiliária. Agentes imobiliários interpretam o resultado como um "mau sinal" que pode levar à "paralisação imediata …

Portugal com 230 novos casos de covid-19 e uma morte. País cada vez mais próximo da zona verde da matriz de risco

Portugal registou, esta segunda-feira, 230 novos casos e uma morte na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). País está mais próximo da zona verde da …

Restauração defende manutenção do lay-off simplificado

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defendeu hoje a continuidade do lay-off simplificado para apoio à manutenção dos postos de trabalho das atividades da restauração, similares e alojamento turístico. “Esta medida assume …

Cumbre Vieja deixou de expelir lava, mas os sismos voltaram

O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, nas Canárias, parou de emitir lava. Apesar de a atividade ter sido a mais baixa da última semana, as autoridades alertam que a situação pode mudar rapidamente. A atividade …

Portugal continental tem 83,89% da população com vacinação completa

Cerca de 8,27 milhões de pessoas em Portugal continental tinham a vacinação completa contra a covid-19 até às 19h00 deste domingo, revelou à agência Lusa fonte oficial da task force que coordena o processo de …

Mulheres ganham 9% das câmaras, menos do que em 2017

Das 308 câmaras do país, 28 foram ganhas por uma mulher, o que corresponde a aproximadamente 9% do total e menos do que as 32 autarcas eleitas em 2017, segundo o portal de dados estatísticos …