Parlamento holandês reconhece “genocídio” dos chineses uigures

O Parlamento dos Países Baixos votou esta sexta-feira a favor de considerar “genocídio” a repressão e violações dos direitos humanos da minoria étnica chinesa de origem muçulmana uigur, sendo o primeiro na Europa a assumir esta posição.

A maioria dos deputados holandeses votou a favor de uma moção proposta pelo grupo progressista D66, que inclui a Esquerda Verde GroenLinks, os Social-democratas PvdA, o Partido dos Animais PvdD, além de dois partidos dos quatro que compõem a coligação que governa o país.

“Estes são abusos terríveis, cometidos contra a minoria uigur muçulmana, não devemos poupar nas palavras, devemos designá-los como genocídio”, afirmou Sjoerd Sjoerdsma (D66), que promoveu a moção.

Organizações não governamentais de defesa dos direitos humanos alegaram que mais de um milhão de uigures estão detidos em campos de reeducação política. Pequim negou e afirmou tratarem-se de centros de treino vocacional, destinados a distanciar os uigures do terrorismo e do separatismo.

O Parlamento Europeu condenou os abusos, mas o maior crítico de Pequim na comunidade internacional continua a ser a Turquia, um país que partilha laços históricos e culturais com os uigures.

O ministro dos Negócios Estrangeiros holandês, Stef Blok, do executivo cessante nos Países Baixos, preferiu não usar a palavra “genocídio” contra a China, embora tenha reconhecido a existência de violações em grande escala dos direitos humanos, como a esterilização forçada de mulheres uigures.

Blok optou por esperar a decisão da ONU ou do Tribunal Penal Internacional (TPI) sobre a situação na província de Xinjiang (noroeste).

Na Europa, também França, Suécia ou Reino Unido estão a debater medidas semelhantes às do Parlamento holandês, embora não seja claro qual o efeito que a moção agora aprovada possa ter nas relações sino-holandesas.

O Parlamento do Canadá aprovou na segunda-feira, com a ausência do primeiro-ministro, Justin Trudeau, e de vários membros do Governo, uma moção do Partido Conservador a considerar as ações da China em Xinjiang “correspondem à definição de genocídio”, estipulado na Convenção das Nações Unidas.

O termo genocídio foi usado inicialmente pela anterior administração norte-americana, incluindo pelo então secretário de Estado Mike Pompeo.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Genocídio e tal… e na prática acontece o quê?? O mesmo que aconteceu à Rússia na sequência da anexação da Crimeia: Nada!

    Rússia e China, podem fazer o que lhes der na real gana. A realidade é essa.

  2. É bem, mas depois há o pormenor de a Holanda (porto de Roterdão) ser a maior porta de entrada de lixo chinês na Europa!…

RESPONDER

Ucrânia diz que Rússia não responde a pedido de conversações, mas conta com o apoio da NATO

O Presidente ucraniano, Volodimir Zelenskii, disse que ainda não conseguiu falar com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, para discutir a escalada do conflito no Leste da Ucrânia. A Rússia e a Ucrânia acusam-se mutuamente de …

"O trabalho liberta." Polícia comunica pichagem nazi no Porto ao Ministério Público

A Polícia Municipal vai comunicar ao Ministério Público (MP) uma pichagem num portão da Avenida do Brasil, no Porto, com a frase nazi "o trabalho liberta". Uma pichagem num portão da Avenida do Brasil, no Porto, …

Um morto e um ferido em tiroteio junto a hospital em Paris. Atirador encontra-se em fuga

Um tiroteio numa rua no bairro 16 da capital francesa causou a morte de um segurança do hospital Henry Dunant e ferimentos muito graves numa utente. Os disparos deram-se em frente ao hospital Henry Dunant, …

Bloco de Esquerda quer plano nacional de férias de Verão financiado pelo Governo

O Bloco de Esquerda vai entregar um projeto de lei na Assembleia da República para que o Governo defina um programa de férias de Verão. Catarina Martins, coordenadora do partido, frisa que a maior parte …

Índia ultrapassa Brasil e é o segundo país mais afetado pela covid-19

A Índia é o segundo país mais afetado pela pandemia de covid-19, ultrapassando o Brasil, depois de registar um valor máximo de 168 mil novas contaminações nas últimas 24 horas. O país, com 1,3 mil milhões …

Dois anos depois, mulher de Assange pede que Reino Unido pressione EUA para acusações caírem

A mulher de Julian Assange, Stella Moris, disse que a Grã-Bretanha seria mais forte a fazer campanha contra regimes autoritários se pressionasse o Governo Biden a retirar o seu apelo para o extraditar sob acusações …

Operação Marquês. Ministério Público pede alargamento do prazo previsto na lei para recorrer

Depois da decisão instrutória tomada pelo juiz Ivo Rosa, os procuradores Rosário Teixeira e Vítor Pinto já entregaram um requerimento a pedir 120 dias para o recurso. O alargamento do prazo passaria assim a ser …

Duas mortes e 271 infetados em 24 horas. Rt continua a subir em Portugal

O boletim da DGS desta segunda-feira dá conta de mais 271 novos casos. Registaram-se ainda mais duas mortes por covid-19. Segundo a DGS existem 25.784 casos ativos, menos 176 do que na véspera, e há mais …

Maioria dos pobres em Portugal trabalha (os "três D" da pobreza e 4 perfis que são uma "supresa")

Um quinto da população portuguesa é pobre e a maior parte das pessoas em situação de pobreza trabalha, mantendo vínculos laborais sem termo. As conclusões são de um estudo promovido pela Fundação Francisco Manuel dos …

Guillermo Lasso declara-se vencedor das eleições presidenciais no Equador

Guillermo Lasso declarou-se vencedor da segunda e última volta das eleições presidenciais no Equador, numa altura em que foram contabilizados 96,94% dos votos, que lhe deram uma diferença de 5,04 pontos percentuais sobre o socialista …