Parlamento Europeu exige um carregador comum de telemóveis para reduzir resíduos

O Parlamento Europeu (PE) instou na quinta-feira a Comissão Europeia a tomar medidas até julho para a introdução de um carregador comum para telemóveis e outros aparelhos portáteis para reduzir os resíduos e fomentar escolhas sustentáveis dos consumidores.

A resolução foi aprovada na quinta-feira em Bruxelas, com 582 votos a favor, 40 contra e 37 abstenções, e exige ao executivo comunitário adotar o ato delegado previsto na Diretiva de Equipamentos de Rádio ou, se necessário, apresentando “uma medida legislativa até, o mais tardar, julho de 2020”, noticiou o Diário de Notícias, citando a agência Lusa.

A Comissão Europeia deve “garantir que o quadro legislativo para um carregador comum seja objeto de um exame regular, de molde a ter em conta o progresso técnico”.

Para a eurodeputada social-democrata Maria da Graça Carvalho, uma das autoras da resolução, “a questão do carregador comum se reveste da maior importância não só para a vida prática dos consumidores, que se veem obrigados a comprar uma panóplia de carregadores para cada dispositivo eletrónico, mas também por razões ambientais”, visto que a produção atual ascende “a 50 mil toneladas de carregadores obsoletos por ano”.

No documento, os eurodeputados pedem ainda que o colégio de comissários assegure da melhor forma possível de interoperabilidade dos diferentes carregadores sem fios com diferentes dispositivos móveis e que a quantidade de cabos e carregadores recolhidos e reciclados nos Estados-membros aumente.

Assim, o PE quer assegurar que os consumidores não sejam obrigados a comprar um novo carregador com cada novo dispositivo. “Qualquer medida que vise a dissociação deve evitar preços potencialmente mais elevados para os consumidores”, frisou.

Segundo as estimativas, são produzidas cerca de 50 milhões de toneladas de resíduos eletrónicos em todo o mundo por ano, uma média superior a seis quilos por pessoa. Em 2016, a Europa gerou 12,3 milhões de toneladas, uma média de 16,6 quilos por habitante, enquanto os ciclos de vida de alguns equipamentos eletrónicos são cada vez mais curtos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

    • Errado!

      As empresas devem ser livres de competir em todos os aspetos. Se uma empresa quiser criar um novo cabo e carregador, possivelmente com vantagens face aos existentes, deve poder fazê-lo, e as pessoas são livres de escolherem o que querem comprar.

      Isto nem sequer reduz o desperdício. Em minha casa há vários dispositivos que usam o mesmo tipo de cabo e carregador, mas nem por isso tenho apenas um carregador e um cabo. A única coisa que isto faz é prejudicar a inovação, coisa em que aliás a UE é perita.

      Compreendo que isto possa fazer confusão para mentes socialistas.

      • Eh pá… mais uma brilhante dedução!…
        Bora lá acabar com os standards/padrões e, cada fabricante faz os equipamentos como lhe apetece…
        Iria dar um belo resultado… a pistola da gasolina a não caber no bocal do depósito de combustível do carro, a ficha do frigorífico a não encaixar nas tomadas da casa, pilhas que não cabem no comando da tv, etc, etc…
        Tudo livre, “ao molho e, fé em Deus”… assim é que há inovação (e competição)!…
        .
        Não sei como é no teu caso mas boa parte das pessoas que conheço, usa o mesmo carregador microUSB para vários equipamentos e, já há muitos equipamentos com ficha microUSB que se vendem sem o carregador!

        • Todos os exemplos que deu me dão razão… não foi preciso fazer leis a standardizar as pistolas de combustível e os respetivos bocais dos depósitos dos carros. Se algum fabricante resolver vender um frigorífico que não funcione com a tomada lá de casa, é livre de o fazer, mas não vende. Tudo isto se resolve sozinho, não é preciso regular nada disto, e quanto mais regulação mais se estrangula a capacidade de inovação e competição das empresas.

        • Já agora, o exemplo do micro USB é outro. Sempre foi um formato medíocre comparado com o Lightning da Apple. O USB-C vai buscar vários dos princípios usados pela Apple no Lightning. Agora que o mundo está a mudar para o USB-C, que é de facto um formato superior, a própria Apple já está a adoptar, e não foi preciso regular nada para que isto acontecesse.

        • Por fim, tenho para mim que o excesso de regulação na Europa é uma das razões pelas quais as gigantes tecnológicas são todas nos EUA. A Europa devia perder menos tempo a regular, e mais tempo a perceber como é reduz a dependência completa dos EUA em matéria de Sistemas Operativos para desktop e telemóvel, motores de busca na internet, redes sociais, comércio electrónico, e por aí fora.

RESPONDER

Brueckner absolvido de suspeitas no caso da "Maddie alemã"

Christian Brueckner foi absolvido das suspeitas que recaíam sobre si no caso do desaparecimento de Inga Gehricke, conhecida como a "Maddie alemã".  O The Sun avança, esta quarta-feira, que Christian Brueckner, suspeito do rapto de Madeleine …

Carlos Moedas é o candidato do PSD a Lisboa

Rui Rio está reunido com Carlos Moedas, ao final da tarde desta quinta-feira. Em cima da mesa está a corrida autárquica e a aposta no antigo comissário europeu para derrubar Fernando Medina da Câmara Municipal …

"Acabou-se o amor e as versões alteraram-se." Maria e Mariana julgadas pela morte de Diogo Gonçalves

O Tribunal de Portimão começou, esta quarta-feira, a julgar duas mulheres suspeitas de terem matado um jovem, em março do ano passado, no Algarve. As arguidas - uma enfermeira e uma segurança - estão acusadas pelo …

Dois anos depois, primeiro produto de canábis chega às farmácias em abril

Dois anos depois de aprovada a lei, as farmácias portuguesas já receberam "luz verde" para começar a vender o primeiro produto de canábis a partir de abril. De acordo com o Jornal de Notícias, que avança …

"Sucesso completo". China declara (outra vez) que erradicou a pobreza extrema

O Presidente da China, Xi Jinping, declarou esta quinta-feira oficialmente que o país concluiu a "árdua tarefa" de erradicar a pobreza extrema, apontando que 98,99 milhões de pessoas saíram daquela condição nos últimos oito anos. "Hoje, …

Relatório acusa príncipe saudita de aprovar a morte de Khashoggi

Um relatório da inteligência norte-americana conclui que o príncipe herdeiro saudita aprovou o assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, em 2018. O príncipe herdeiro e governante da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, aprovou o assassínio em 2018 …

Venda de barragens. Terra de Miranda acusa EDP de fraude fiscal

O Movimento Cultural da Terra de Miranda suspeita que o negócio das barragens da EDP foi arquitetado de forma a escapar ao pagamento de impostos. Em causa está o pagamento de 110 milhões de euros …

Entre acusações a um Governo "incompetente" que "saiu do armário", foi aprovado o estado de emergência até 16 de março

Esta quinta-feira foi aprovada, na Assembleia da República, a renovação do estado de emergência até 16 de março. O decreto passou com votos a favor do PS, PSD, CDS, PAN e deputada não inscrita Cristina …

Alterações climáticas geram mais de 12 mil milhões de euros de perdas anuais na UE

Na apresentação da nova estratégia de Bruxelas para fazer face à crise ambiental, o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, Frans Timmermans, afirmou que o combate às alterações climáticas já não passa apenas pela redução das …

Finalizada vacina da Moderna para combater variante sul-africana da covid-19

A vacina da Moderna, alterada para combater também a variante sul-africana da covid-19, está pronta e foi enviada, na quarta-feira, a vários institutos de saúde norte-americanos para o início dos testes clínicos. Como lembrou a TSF, …