Papa Francisco aprova manutenção do Banco do Vaticano

Mazur/catholicnews.org.uk / Flickr

-

O papa Francisco aprovou uma proposta para manter o Instituto para as Obras da Religião (IOR), o Banco do Vaticano, afirmando “a importância da sua missão para o bem da Igreja Católica”, anunciou o Vaticano.

Francisco confirmou a opção que parecia mais provável, a manutenção de uma instituição mais reduzida e melhor controlada. O encerramento da instituição foi sugerido e desejado por algumas pessoas, sobretudo depois dos escândalos de atividades de branqueamento de dinheiro.

“O papa aprovou uma proposta sobre o futuro do IOR, reafirmando a importância da sua missão para o bem da Igreja Católica, a Santa Sé e o Estado do Vaticano. O IOR vai continuar a servir com prudência e fornecer os seus serviços financeiros especializados à Igreja Católica em todo o mundo”, referiu o comunicado do Vaticano esta segunda-feira.

Graças à “confirmação da missão do IOR”, o presidente da instituição, Ernst Von Freyberg, nomeado pelo papa Bento XVI há pouco mais de um ano, e a sua direção vão poder “finalizar o seu plano para assegurar que o IOR possa cumprir a sua missão como parte das novas estruturas financeiras da Santa Sé”.

Este plano “será apresentado ao conselho de cardeais do papa e ao novo Conselho para a Economia”.

“Os serviços benéficos que podem ser oferecidos pelo IOR ajudam o papa na sua missão de pastor universal e ajudam também as instituições e pessoas que colaboram com o papa Francisco”, explicou o Vaticano.

De acordo com a nota, as suas atividades estarão “sobre a supervisão da Autoridade da Informação Financeira (AIF – órgão de controlo criado por Bento XVI e reforçado pelo papa Francisco)”, e “um quadro legal e institucional para regular as atividades financeiras dentro da Santa Sé e do Vaticano”.

Numa reação transmitida à agência AFP, o porta-voz do IOR, Max Hohenberg, saudou “o reconhecimento [pelo papa] da validade da missão de serviço e o trabalho feito durante os últimos doze meses”.

Acabar com a corrupção no Banco do Vaticano

O IOR é a instituição financeira pela qual passam os fundos das atividades das congregações do mundo inteiro.

Instituições católicas, eclesiásticas, os empregados e ex-empregados do Vaticano, as embaixadas e diplomatas acreditados podem ter contas no IOR. As contas que não estavam inscritas nestas categorias foram fechadas.

No final de 2012, os fundos dos clientes eram de 6,3 mil milhões de euros, geridos pelo IOR, que dispõe de um património líquido de 769 milhões de euros.

O papa Francisco comprometeu-se em realizar uma reforma no IOR, instituição afetada por numerosos escândalos financeiros, nomeadamente com o branqueamento de capitais da máfia.

O cardeal australiano George Pell, que dirige o novo secretariado (ministério) da Economia, confirmou a importância de um “alinhamento” do quadro jurídico e de regulamentação do Vaticano “com as melhores práticas em vigor a nível internacional”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …