Pandemia: 59% dos senhorios têm rendas por receber

Simon Collison / Flickr

A Associação Lisbonense de Proprietários (ALP) realizou um inquérito que revela que mais de metade dos inquilinos dos senhorios inquiridos deixaram de pagar a renda durante os meses do estado de emergência. O inquérito apontam ainda para a falta de confiança dos proprietários e falta de adesão aos programas de arrendamento acessível do Estado.

De acordo com o Público, cerca de 59,1% dos 320 proprietários de imóveis habitacionais e comerciais inquiridos pela ALP, deixaram de receber o pagamento de rendas durante o estado de emergência e nos meses seguintes. Esta é um dos indicadores presentes no barómetro “Confiança dos Proprietários ALP”, um estudo realizado entre 22 de agosto e 15 de setembro.

Com o país em estado de emergência, e com muitos estabelecimentos encerrados, muitas famílias viram uma diminuição drástica nos seus rendimentos. Para tentar mitigar os efeitos da pandemia na economia das famílias, o Governo avançou, no início de Abril, com um pacote de medidas em matéria de habitação.

Contudo, os proprietários das casas dizem que as medidas do Governo para fazer face à pandemia, como a moratória no pagamento de rendas, ou a suspensão de prazos para a denúncia de contratos, têm sido “arbitrariamente utilizado pelos inquilinos”.

Pelo menos 56% dos inquiridos revelam ter deixado de receber as rendas e dizem não ter recebido um aviso prévio por parte do inquilino, nem uma apresentação de documentação que comprovasse a perda de rendimentos, tal como a lei prevê.

Nos casos em que todos os procedimentos foram cumpridos, metade dos senhorios afirmou não ter começado ainda a receber os valores das rendas vencidas. Entre os inquiridos, apenas 3,2% dos proprietários disseram ter inquilinos que recorreram à linha de empréstimo sem juros (pagamentos dos valores em falta em duodécimos), que foi entretanto estendida até 31 de dezembro.

Os 320 senhorios inquiridos têm 2692 imóveis arrendados em Portugal, sendo que a maioria se situa na Grande Lisboa. Devido à pandemia, 43,5% dos senhorios indicam ter tido uma quebra de rendimentos entre 10% e 20%, e 1 em cada 3 registaram perdas entre os 20% e os 40%. Cerca de 16,1% dos senhorios viram-se privados de 75% a 100% do seu rendimento disponível.

Ainda de acordo com o inquérito realizado, está presente a “pouca vontade” que os proprietários têm em aderir aos programas de arrendamento acessível promovidos pelo Estado central ou pelos municípios: apenas 1% dos senhorios assinalaram ter interesse em colocar os seus imóveis neste tipo de programas.

Para o presidente da ALP, Luís Menezes Leitão, este é o reflexo da “desconsideração do Governo pela situação dos senhorios”, o que resulta numa “quebra” de confiança no mercado de arrendamento, “votando ao falhanço os programas de arrendamento acessível do Estado”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Dupla de cientistas apresenta uma nova abordagem para reciclar plástico

Um novo estudo oferece uma abordagem totalmente nova para reciclar plástico, tendo sido inspirada na forma como a natureza naturalmente "recicla" os componentes dos polímeros orgânicos presentes no ambiente. As proteínas são um dos principais compostos …

Edição de 2021 da Web Summit recebe 40 mil participantes. Moedas como presidente não será problema

Evento, que se realiza entre 1 e 4 de Novembro, volta a decorrer em formato presencial depois de em 2020 a pandemia ter transferido as atividades para o ambiente digital. O presidente executivo da Web Summit, …

Alunos carenciados com desempenho inferior aos dos mais favorecidos

Mesmo tendo acesso a meios digitais, o desempenho dos alunos carenciados foi sempre “inferior” aos dos seus colegas oriundos de meios mais favorecidos.  Segundo noticia o Público, esta é uma das principais conclusões a que chegou …

José Rendeiro condenado a três anos e seis meses de prisão efetiva

Embaixador jubilado Júlio Mascarenhas acusa o BPP de o ter convencido a investir num produto com juros e capital garantido num momento em que o banco já atravessava sérias dificuldades. O antigo presidente do Banco Privado …

Cantor R. Kelly declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual

O cantor norte-americano R. Kelly foi esta segunda-feira declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual, após um julgamento em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), que decorreu durante seis semanas, no qual …

"A FIFA engloba 211 países e 133 nunca estiveram num Mundial"

Arsène Wenger apresenta argumentos para defender a realização de um campeonato do mundo de dois em dois anos. O novo calendário FIFA continua a originar reacções e entrevistas. Arsène Wenger falou sobre as propostas - a …

Responsáveis do Lar do Comércio acusados por 67 crimes de maus tratos

O Ministério Público (MP) imputou 67 crimes de maus tratos, 17 deles agravados por resultarem em morte, a um ex-presidente e a uma diretora de serviços do Lar do Comércio, em Matosinhos. Num processo em que …

Sporting: espanhóis analisam o "maior" Haaland

Avançado do Borussia Dortmund apresenta recordes que, nem Messi, nem Cristiano, tinham. O Sporting entra em campo para a segunda jornada da Liga dos Campeões, diante de um Borussia Dortmund que tem no seu plantel uma …

Escola proíbe alunos de levarem almoço de casa. Ministério da Educação fala em “recomendação”

Interpretações distintas das normas emitidas pelo Ministério da Educação e a inexistência de equipamentos para aquecer as refeições em linha com as recomendações de segurança motivadas pela covid-19 podem estar na origem da decisão. Os alunos …

Autárquicas foram prova de vida para o CDS. Rodrigues dos Santos respira, Melo põe-se à espreita

Nuno Melo já se tinha colocado em posição de ataque na corrida interna, mas terá de esperar. O CDS "está vivo" e as autárquicas foram prova disso. O CDS decidiu apoiar Carlos Moedas e não se …