Panama Papers. Mossack Fonseca não gostou do filme e processou Netflix por difamação

A dupla de sócios do escritório de advogados Mossack Fonseca, envolvido no caso “Panama Papers”, moveu um processo em tribunal por difamação contra a Netflix.

A plataforma anuncia a estreia, para esta sexta-feira, do filme “Laundromat: O escândalo dos Papéis do Panamá”.

Jürgen Mossack e Ramón Fonseca dizem, na acusação que foi submetida esta semana num tribunal norte-americano, que “Laundromat” retrata os dois sócios da firma como “advogados cruéis e indiferentes que estão envolvidos em lavagem de dinheiro, evasão fiscal, suborno e outras atos criminais”.

A história do filme anda à volta de uma mulher viúva que “investiga uma fraude e segue pistas que a levam a uma dupla de advogados do Panamá, cujo negócio é tirar partido das fragilidades do sistema financeiro mundial”, como se pode ler na descrição da Netflix. No filme, os dois advogados são interpretados por Gary Oldman e Antonio Banderas.

Os queixosos processam a Netflix, plataforma online onde o filme tem estreia agendada para esta sexta-feira (dia 18), por difamação e violação de marca registada, entre outras acusações.

Mossack e Fonseca afirmam que o filme os poderá sujeitar a “condições adicionais” por “cada novo crime” que lhes é imputado na história, podendo “levar os procuradores no Panamá a investigarem acusações ou implicações criminais” descritas no filme.

A acusação considera ainda que “Laundromat” pode interferir com o direito a um “julgamento justo” nos Estados Unidos, país onde os advogados estão sob investigação pelo FBI.

Do processo submetido em tribunal faz parte também a acusação de uso “depreciativo” do logo da marca registada dos advogados. “Os queixosos não autorizaram” a utilização dos logos e consideram que a forma como a imagem da marca é usada “diminui grandemente” o seu “valor e boa vontade”. Com o lançamento do filme, os advogados consideram que estão sujeitos a “danos imediatos irreparáveis”.

Mossack e Fonseca foram presos preventivamente em março deste ano. As autoridades acusam os sócios de lavagem de dinheiro. A Mossack Fonseca fechou as portos em março do ano passado, dois anos depois da divulgação dos Panama Papers.

O caso revelou um vasto sistema de evasão fiscal à escala global exposto em 11,5 milhões de documentos, numa investigação coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ).

O ICIJ, fundado em 1997 e dirigido pelo jornalista australiano Gerard Ryle, reúne 190 jornalistas de mais de 65 países. A organização, com sede em Washington, é autora de investigações que cobrem áreas como a corrupção, a criminalidade internacional e os paraísos fiscais.

O caso já afetou várias figuras do mundo da política, incluindo o ex-presidente do Peru Alejandro Toledo, a campanha do ex-presidente da Colômbia Juan Manuel Santos e vários parentes do ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli. Foram também colocadas em causa atividades de vários desportistas e há portugueses na lista de visados no caso dos “Panama Papers”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Os terrenos contaminados de Fukushima vão tornar-se num centro de "energia verde"

Fukushima, local que sofreu um dos maiores desastres nuclear do mundo, vai reinventar-se e tornar-se num centro de energia renovável. Depois de ser atingido por um terramoto e um tsunami de 15 metros em 2011, três …

Cientistas identificaram neurónios específicos que mapeiam memórias

Neurocientistas descobriram um aspeto curioso de como a nossa memória funciona: Quando o cérebro precisa de recuperar informação relacionada com um lugar específico, neurónios individuais podem atingir memórias específicas. De acordo com o estudo publicado na …

Grande tempestade de areia pode ter ditado o fim de um império da Mesopotâmia

O Império Acádio da Mesopotâmia entrou em colapso devido a uma enorme tempestade de areia, sugeriu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão. Em comunicado, os especialistas explicam …

Encontrado templo milenar usado em rituais pagãos de veneração da água

O local tem 3.000 anos, onde investigadores encontraram 21 sepulturas, bem como várias peças de cerâmica e anéis de cobre. O templo era usado em rituais pagãos de veneração da água. Uma equipa de arqueólogos encontrou …

Elon Musk diz que inovações da Neuralink vão conseguir curar o autismo

Musk disse que a sua empresa Neuralink iria "solucionar uma série de doenças neurológicas", entre as quais o autismo. Contudo, o autismo não é uma doença relacionada com o cérebro, mas sim uma perturbação do …

"Indivíduos desconhecidos" terão obrigado Marinha a apagar vídeo do incidente do USS Nimitz com um OVNI

Vários membros da Marinha que testemunharam o famoso Incidente do USS Nimitiz, em 2004, disseram que "indivíduos desconhecidos" apareceram depois do acontecimento e obrigaram-nos a apagar as gravações de vídeo. Em novembro de 2004, um porta-aviões …

Coreia do Norte detonou bomba atómica equivalente a 17 "Hiroshimas"

Dados de um satélite japonês revelam que a explosão de um teste nuclear na Coreia do Norte, em 2017, terá sido 17 vezes mais poderosa do que a bomba de Hiroshima. A Coreia do Norte estimou que …

Invenção financiada por Bill Gates pode invisivelmente resolver a malnutrição

Uma invenção financiada por Bill e Melinda Gates pode ser a solução para resolver o problema da malnutrição a nível mundial. O próximo passo é conseguir o apoio dos Governos locais. A malnutrição é um problema …

Com a ajuda de um radar, cientistas revelaram pegadas de mamutes e humanos pré-históricos

Espalhados pelo Monumento Nacional de White Sands, nos Estados Unidos, encontram-se os "rastos fantasma" de mamutes mortos há milhares de anos. Agora, investigadores conseguiram revelar pegadas de humanos. De acordo com o Science Alert, esta descoberta, …

A desertificação está progredir na Índia. Mas a solução pode estar no conhecimento tradicional

Quase 45% da área de Maharashtra está a transformar-se em deserto, assim como uma grande parte da Índia. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o ritmo da desertificação no país é agora …