Panama Papers. Mossack Fonseca não gostou do filme e processou Netflix por difamação

A dupla de sócios do escritório de advogados Mossack Fonseca, envolvido no caso “Panama Papers”, moveu um processo em tribunal por difamação contra a Netflix.

A plataforma anuncia a estreia, para esta sexta-feira, do filme “Laundromat: O escândalo dos Papéis do Panamá”.

Jürgen Mossack e Ramón Fonseca dizem, na acusação que foi submetida esta semana num tribunal norte-americano, que “Laundromat” retrata os dois sócios da firma como “advogados cruéis e indiferentes que estão envolvidos em lavagem de dinheiro, evasão fiscal, suborno e outras atos criminais”.

A história do filme anda à volta de uma mulher viúva que “investiga uma fraude e segue pistas que a levam a uma dupla de advogados do Panamá, cujo negócio é tirar partido das fragilidades do sistema financeiro mundial”, como se pode ler na descrição da Netflix. No filme, os dois advogados são interpretados por Gary Oldman e Antonio Banderas.

Os queixosos processam a Netflix, plataforma online onde o filme tem estreia agendada para esta sexta-feira (dia 18), por difamação e violação de marca registada, entre outras acusações.

Mossack e Fonseca afirmam que o filme os poderá sujeitar a “condições adicionais” por “cada novo crime” que lhes é imputado na história, podendo “levar os procuradores no Panamá a investigarem acusações ou implicações criminais” descritas no filme.

A acusação considera ainda que “Laundromat” pode interferir com o direito a um “julgamento justo” nos Estados Unidos, país onde os advogados estão sob investigação pelo FBI.

Do processo submetido em tribunal faz parte também a acusação de uso “depreciativo” do logo da marca registada dos advogados. “Os queixosos não autorizaram” a utilização dos logos e consideram que a forma como a imagem da marca é usada “diminui grandemente” o seu “valor e boa vontade”. Com o lançamento do filme, os advogados consideram que estão sujeitos a “danos imediatos irreparáveis”.

Mossack e Fonseca foram presos preventivamente em março deste ano. As autoridades acusam os sócios de lavagem de dinheiro. A Mossack Fonseca fechou as portos em março do ano passado, dois anos depois da divulgação dos Panama Papers.

O caso revelou um vasto sistema de evasão fiscal à escala global exposto em 11,5 milhões de documentos, numa investigação coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ).

O ICIJ, fundado em 1997 e dirigido pelo jornalista australiano Gerard Ryle, reúne 190 jornalistas de mais de 65 países. A organização, com sede em Washington, é autora de investigações que cobrem áreas como a corrupção, a criminalidade internacional e os paraísos fiscais.

O caso já afetou várias figuras do mundo da política, incluindo o ex-presidente do Peru Alejandro Toledo, a campanha do ex-presidente da Colômbia Juan Manuel Santos e vários parentes do ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli. Foram também colocadas em causa atividades de vários desportistas e há portugueses na lista de visados no caso dos “Panama Papers”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Indivíduos desconhecidos" terão obrigado Marinha a apagar vídeo do incidente do USS Nimitz com um OVNI

Vários membros da Marinha que testemunharam o famoso Incidente do USS Nimitiz, em 2004, disseram que "indivíduos desconhecidos" apareceram depois do acontecimento e obrigaram-nos a apagar as gravações de vídeo. Em novembro de 2004, um porta-aviões …

Coreia do Norte detonou bomba atómica equivalente a 17 "Hiroshimas"

Dados de um satélite japonês revelam que a explosão de um teste nuclear na Coreia do Norte, em 2017, terá sido 17 vezes mais poderosa do que a bomba de Hiroshima. A Coreia do Norte estimou que …

Invenção financiada por Bill Gates pode invisivelmente resolver a malnutrição

Uma invenção financiada por Bill e Melinda Gates pode ser a solução para resolver o problema da malnutrição a nível mundial. O próximo passo é conseguir o apoio dos Governos locais. A malnutrição é um problema …

Com a ajuda de um radar, cientistas revelaram pegadas de mamutes e humanos pré-históricos

Espalhados pelo Monumento Nacional de White Sands, nos Estados Unidos, encontram-se os "rastos fantasma" de mamutes mortos há milhares de anos. Agora, investigadores conseguiram revelar pegadas de humanos. De acordo com o Science Alert, esta descoberta, …

A desertificação está progredir na Índia. Mas a solução pode estar no conhecimento tradicional

Quase 45% da área de Maharashtra está a transformar-se em deserto, assim como uma grande parte da Índia. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o ritmo da desertificação no país é agora …

Um dos videojogos mais famosos do mundo é acusado de propaganda anti-Rússia

Call of Duty é uma das franquias de maior sucesso na história dos videojogos, mas atualmente existem pedidos para boicotar o seu último lançamento devido à descrição de conflitos militares do jogo. Call of Duty: Modern …

Nova aplicação rastreia todos os seus passos em troca de descontos

Todas as pessoas gostam de aproveitar descontos, negócios e saldos. A Miles é uma nova aplicação que lhe oferece isso em troca de algo: a sua privacidade. A app rastreia todos os seus movimentos, disponibilizando descontos …

Mulher do amigo de Sócrates suspeita de chantagem e denuncia ex-governante

A mulher de Carlos Santos Silva, o empresário suspeito de ser o principal testa-de-ferro de José Sócrates, terá denunciado detalhes comprometedores sobre o antigo primeiro-ministro em conversas telefónicas que foram gravadas, no âmbito da Operação …

Não é só Espanha. Portugal também não cumpre com caudais do rio Tejo

Portugal também "não assegurou os caudais" do rio Tejo previstos na Convenção de Albufeira, no ano hidrológico que terminou em Outubro, alerta o Movimento pelo Tejo (proTEJO) numa altura em que se aponta o dedo …

Lisboa considerada uma das cidades mais bonitas do mundo

Lisboa foi votada por especialistas como uma das cidades mais bonitas do mundo. A capital portuguesa surge no 12º lugar da lista que contabiliza outras 49 cidades. Mais de mil especialistas em Turismo foram questionados num …