Há um país que ainda olha para Saddam Hussein como um herói

Em Amã, capital da Jordânia, é comum encontrar fotografias de Saddam Hussein em adesivos colados em automóveis ou adereços. O ex-ditador parece ser o protagonista de um história com duas versões: se é considerado um assassino por muitos, outros encaram-no como um herói.

Dezassete anos depois de os Estados Unidos terem invadido o Iraque pela segunda vez, e 14 anos depois da morte de Saddam Hussein, o rosto do antigo ditador ainda pode ser visto na vizinha Jordânia. Há até uma conta no Instagram dedicada a identificar a sua imagem na capital Amã.

A Jordânia é um país politicamente moderado e um importante aliado dos Estados Unidos. Perante esta proximidade, a contínua proeminência de Saddam Hussein pode ser uma surpresa, destaca o Atlas Obscura.

A popularidade de Saddam não parece depender do sexo ou da idade, e a verdade é que há muitos cidadãos a olharem para o líder com admiração.

Hala Al-Shwayat, uma jornalista de 23 anos ouvida pelo Atlas Obscura, disse que a personalidade de Saddam convenceu alguns jordanos de que era a única voz na região. “Algumas pessoas que frequentaram a escola comigo para obter o diploma de mestrado, olham para Saddam como uma espécie de herói.”

A popularidade de Saddam na Jordânia remonta a décadas. Segundo o analista iraquiano Mohammed Al-Waeli, Saddam fez questão de cortejar aqueles que não tiveram de passar pelo seu regime. “Ele tinha uma máquina de propaganda muito forte. Saddam realacionou-se com jornalistas árabes, atores e celebridades.”

As atividades internacionais de Saddam remontam a 1979, quando assumiu o poder pela primeira vez na Presidência do Iraque e procurou aliados que pudessem emprestar-lhe legitimidade. Na altura, ofereceu petróleo barato, educação e empregos para a Jordânia de maioria sunita.

Pressionado pelo influxo de refugiados palestinos e pela extrema necessidade de energia, o Governo da Jordânia cedeu e ganhou muito com o relacionamento próximo com o Iraque.

Depois da invasão dos Estados Unidos ao Iraque, o país caiu na violência e no caos, o que acabou por afetar a Jordânia. No país, muitos cidadãos interpretam estas lutas como um sinal de que Saddam foi responsável por manter a paz. “Havia algumas pessoas que consideravam Saddam como um símbolo de paz, especialmente as gerações mais jovens, que não tinham uma compreensão das atrocidades do ditador”, explicou Al-Waeli.

Na Jordânia, um país onde a guerra nos países vizinhos passou a parecer comum, é possível que as pessoas anseiem por uma paz que viram apenas pela metade.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Armas químicas ele não tinha, mas morreu por isso. (?)
    O país com ele estava muito melhor, sem ele virou um caos. Ou não? Se há aqui heróis não serão os americanos, ou são? O Iraque não é uma colônia da América é um país com direito à sua independência. Há países por esse mundo fora onde os direitos das pessoas não são respeitados e as injustiças são gritantes mas estando os governos do lado da América, nenhumas vozes se levantam.
    Fala-se da ocupação do Iraque sem que falem do crime que foi a ocupação do Iraque e as desgraças que com isso originou.
    O maior crime de Saddam Hussein foi ter-se atrevido a enfrentar os americanos, e estar a preparar-se para que o petróleo deixasse de lhe ser pago em dólares lhes fosse pago em euros.

    • Foram os crimes pelo qual ele foi executado, ter desafiado a América e estar a preparar-se para comercializar o petróleo em euros.

RESPONDER

Em abril, o vírus matava 6 vezes mais do que agora. Mas estes números podem mudar em breve

O número de infetados já bateu recordes durante o mês de outubro, mas o mesmo não de pode dizer em relação ao número de mortos. O dia com mais óbitos em Portugal ocorreu a 3 …

Orçamento não reflete "trabalho notável" dos profissionais de saúde, diz bastonário

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, considera que a proposta de Orçamento do Estado para 2021 não corresponde às "expectativas dos profissionais de saúde e dos portugueses" nem investe no Serviço Nacional …

Trump tem uma conta bancária na China (e andou uma década a tentar investir no país)

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é detentor de uma conta num banco chinês, e há vários anos que tenta implementar negócios no país. Donald Trump passou uma década a tentar investir na China, onde …

Ricardo Pereira revela segredo para o FC Porto derrotar o City

A jogar em Inglaterra há três anos, Ricardo Pereira conhece bem o próximo adversário do FC Porto na Liga dos Campeões. O internacional português deu alguns conselhos à equipa portista. Ricardo Pereira está a cumprir a …

OE em duodécimos deixa 2.700 milhões de estímulo orçamental em suspenso

A hipótese de haver um Orçamento em duodécimos em 2021 está em cima da mesa. Se tal acontecer, há pelo menos 2.700 milhões de estímulo orçamental que não chegarão à economia. Se o Orçamento do Estado …

Grupo Luz Saúde foi o que mais faturou com a pandemia

O Grupo Luz Saúde faturou quase 40 milhões de euros com a venda de material à Direção-Geral da Saúde (DGS), a hospitais e até a autarquias. A GLSMed Trade, do grupo Luz Saúde, foi a empresa …

Pinto da Costa: "Varandas fará um grande serviço quando se dedicar à medicina"

Manchester City, Luís Filipe Vieira e Frederico Varandas foram alguns dos temas abordados por Pinto da Costa numa recente entrevista ao Porto Canal. Em entrevista ao Porto Canal, Pinto da Costa fez a antevisão ao encontro …

Espanha pondera recolher obrigatório em todo o país. Esperam-se semanas "muito difíceis"

Salvador Illa, ministro da saúde de Espanha, referiu que o governo está a estudar um recolhimento obrigatário no país, como forma de travar a propagação do novo coronavírus que nos últimos dias tem feito infetado …

Algarve pode consagrar Lewis Hamilton como piloto mais vitorioso de sempre

O Autódromo Internacional do Algarve está a caminho de ver a consagração do piloto britânico Lewis Hamilton (Mercedes) como o piloto mais vitorioso de sempre da Fórmula 1, no domingo, no Grande Prémio de Portugal. Depois …

Antigo túmulo siberiano contém casal de guerreiros (e um enorme stock de armas)

Uma equipa de arqueólogos desenterrou um túmulo com 2.500 anos que continha os restos mortais de quatro pessoas da antiga cultura Tagar. Arqueólogos da Universidade Estadual de Novosibirsk, na Rússia, desterraram um túmulo com 2.500 anos …