//

Pais da bebé Matilde reagem à polémica sobre os donativos

19

A família de Matilde diz que manteve parte dos donativos para fazer frente aos gastos que podem ter com a bebé no futuro e que a outra parte está a ser distribuída pelas famílias de outras crianças.

No Facebook, os pais da bebé Matilde informaram que a criança está a reagir bem ao medicamento inovador que lhe foi administrado na terça-feira, na esperança que trave a evolução da atrofia muscular espinham tipo 1.

“Nós como pais, e assim como os pais da Natália, Andrea Silva e Fernando Silva, temos os pés assentes na terra, mas acreditamos que as nossas meninas vão superar as expectativas e as limitações. Acreditamos que as suas vidas vão mudar”, escreveram.

Além desta informação, a publicação na rede social confirma que os donativos feitos pelos portugueses continuam na conta dos pais de Matilde. O dinheiro não chegou a ser usado, uma vez que o Estado assumiu o valor do remédio. Ainda assim, os pais da criança adiantam que a “conta foi aprovada pelo Ministério da Administração Interna e a sua utilização é monitorizada”.

Quando o Governo informou que pagaria o medicamento às famílias de Matilde e de Natália, os pais da menina prometeram distribuir o dinheiro por outras famílias com filhos com o mesmo problema de saúde.

Segundo a família da criança, parte do valor continua na conta de Matilde porque “não sabemos quanto vamos precisar para a Matilde agora nem no futuro”. No entanto, a família diz que já contactou “outras mães” e que já “começou a ajudar”, adianta o Observador.

https://www.facebook.com/320629462202840/photos/a.326664721599314/372869516978834/?type=3

De acordo com os pais, a distribuição de uma parte do dinheiro começou no dia 7 de julho. “Desde dia 7 de julho que iniciámos esta missão de ajudar outros bebés com a mesma doença da nossa Matilde. E quis o destino que ajudássemos também outros bebés e crianças especiais com diferentes doenças. Ainda aguardamos confirmação para avançar com ajudas a duas famílias. E vamos começar a ajudar as crianças com atrofia muscular espinhal tipo 2.”

Os pais responderam ainda às críticas que lhes foram tecidas por ainda manterem o dinheiro na sua posse. “Lamentamos muito que, para algumas pessoas, o dinheiro seja mais importante que a vida destes bebés. Continuamos a ser as mesmas pessoas e a fazer a nossa vida humilde para poder proporcionar à Matilde o melhor para ajudá-la a recuperar e ter uma vida normal.”

ZAP //

19 Comments

  1. Por isso é que eu não alinho nestas mobilizações em massa para financiar causas…
    Nunca sabemos depois o que é feito do dinheiro nem onde foi utilizado.

      • O pedido foi para aquisição do medicamento….certo?… sendo comparticipado a 100% por o Estado, o mais correcto era de devolver as somas aos donatários. De forma nenhuma estes Pais são donos do montante colectado. Fico Feliz por a atitude do Estado e por a recuperação da pequena Matilde, e espero o mesmo em relação a todas as “Matildes”. De certeza que o que for necessário de aqui para a frente, será igualmente contemplado por a SS. Quanto a “baboseiras” vem você de produzir uma !

  2. Não haver um organismo que fiscalize estas coisas. Mas depois estes organismos querem uma percentagem do total. Não há seriedade e na sociedade em que vivemos isso é muito triste. Devia existir um comunicado a dizer tudo certo e não estas noticias que falam de umas contas. Na minha opinião ficavam com 50k, as restantes famílias com igual valor e o restante para quem aparecesse com o mesmo problema.

    • Ah?!
      “a conta foi aprovada pelo Ministério da Administração Interna e a sua utilização é monitorizada”.
      Será assim tão difícil ler tudo antes de escreveres disparates?

      • Que disparate é que escrevi? A conta foi aprovada mas é gerida pelos próprios. Quem deveria gerir seria uma entidade neutra. Dispartes? Tens tanta vontade de ofender que qualquer interpretação é válida. Vai dar murros num saco de boxe; pode ser que te livres da maledicência que levas dentro de ti.

      • E desde quando o sistema é justo e honesto?? Nao sejas ingénuo, se o dinheiro não fosse importante ja teria sido devolvido e eles recebiam a parte deles. Lá porque alguém do estado está a “controlar” o que quer que seja, não significa nada… ainda vamos ver alguma notícia sobre esses fundos terem sido usados para coisas que não se devia.
        E para mais os pais quando pediram ajuda foi para comprar o medicamento, se já o têm so lhes ficava bem devolver o dinheiro, já conseguiram mais do que queriam, o medicamento e ajuda do estado.

  3. Considero que os donativos foram feitos para um fim específico e não outros. Na impossibilidade de devolver todo o dinheiro recebido, deveria haver um organismo, tipo associação de doentes, que beneficiaria de toda a ajuda!

    • Concordo plenamente.

      No meu caso fiz uma doação para um fim especifico, que foi para a compra do medicamento. Não acho correto reterem o dinheiro pois não sabem o que vai ser preciso no futuro.. E qual será o meu futuro ou o da maioria dos Portugueses?????

      • Devolução total do dinheiro! Estilo raríssimas era o que queria dizer, e sim, estilo raríssimas, é mesmo disso que se trata!

  4. já existe uma associação raríssimas,
    e parece que depois de resolvido o escândalo da anterior presidente já está a ajudar
    Acho que parte do dinheiro devia ser gerido por essa ou outras associações com transparecia e controle
    No entanto se o dinheiro foi doado para ajudar a Matilde acho que os pais teem direito a manter parte dele

  5. isto só prova que eu não dou donativos infelizmente a não ser eu a fazer, pois realmente o que estas pessoas têm a fazer é entregar o dinheiro a bombeiros hospitais, policia e também para as outras familias que precisem etc, porque na realidade só pediram dinheiro para o medicamento mais nada”ponto” e já estavam contentes,.. as imagens passadas na TV com lágrimas assim o dizem, mas agora vejo arrogãncia dizem “vamos ficar com parte do dinheiro porque não sabemos o futuro da Matilde”, também eu não sei a dos meus filhos e ninguém me dá nada, eles já deviam dár graças a deus, mas agora vêm o dinheirinho dá cá amão e tchau.

    • Prova?
      Só que tu tens algum déficit…
      .
      Dar “garças a deus”?
      Mas Deus deu alguma coisa?!
      Só se foi a doença…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.