”Licença para matar”. Mesmo com proibição do Supremo, operações policiais continuam a causar mortes nas favelas

Fernando Frazão / Agência Brasil

De acordo com dados do Fogo Cruzado, no ano passado, foi morta, em média, uma criança por mês no Rio de Janeiro por uma bala perdida. A maioria dessas mortes aconteceu durante operações policiais nas favelas da cidade, que albergam grande parte da população pobre.

A plataforma digital que monitoriza a violência armada no Rio de Janeiro, revela ainda que quase 30% destas ações acabaram por envolver mortes.

Kaio Guilherme da Silva, de apenas 8 anos, foi uma das vítimas. O menino estava numa festa de escola quando foi atingido na cabeça por uma bala perdida.

“Eu soube que era uma bala perdida. A nossa comunidade vive num estado constante de medo que um de nós possa ser a próxima vítima”, disse Thais Silva, mãe da criança.

O pequeno Kaio acabou por morrer este fim de semana após estar vários dias em coma, tornando-se na centésima criança a ser atingida por uma bala perdida naquela cidade nos últimos cinco anos.

Em junho do ano passado, os moradores das favelas conseguiram ter um alívio temporário das operações policiais, após uma proibição emitida pelo Supremo Tribunal Federal.

O tribunal decidiu suspender as ações policiais durante a pandemia de covid-19, exceto em “circunstâncias absolutamente excecionais”, nas quais a polícia foi obrigada a justificar as razões por escrito ao Ministério Público.

Segundo dados de relatório do Ceni, grupo de pesquisa da Universidade Federal Fluminense (UFF), os resultados da proibição foram promissores, pelo menos no início.

As operações policiais caíram 64% entre junho e setembro, em comparação com a média do mesmo período dos anos anteriores, fazendo com que se registasse o menor número de mortes desde o início dos registos, em 2007. Ainda assim, mais de 1.200 brasileiros foram mortos pela polícia em 2020.

No entanto, apesar da proibição ter aparentemente salvo vidas, o número de operações e assassinatos voltou a subir em outubro, e as operações rapidamente começaram a surgir.

Alguns especialistas dizem que Claudio Castro, o governador do Rio de Janeiro que assumiu o cargo em setembro, é o culpado. Isto porque o líder da cidade nomeou Allan Turnowski como comissário da Polícia Civil do Rio.

Turnowski é um ex-chefe de polícia que foi expulso da força policial da cidade durante dez anos sob acusações de corrupção, mas foi reintegrado quando Castro se tornou governador.

Numa das suas primeiras entrevistas, Turnowski revelou que a decisão do Supremo Tribunal Federal não impediria a entrada da polícia nas favelas e defendeu o uso de tanques e helicópteros.

A Suprema Corte voltou a indicar esta semana que as operações só são justificadas pela cláusula “excecional”, caso a vida das pessoas esteja em perigo iminente ou para evitar a expansão territorial de fações criminosas. Porém, vários moradores queixam-se que a polícia continua a atuar de forma violenta, pondo de lado a exceção justificativa.

“Estão a travar uma guerra contra os negros. É uma violação dos nossos direitos humanos e as mortes raramente são investigadas. Não há interesse do estado. Isso dá à polícia impunidade e licença para matar”, referiu Gizele Martins, especialista em periferias urbanas e moradora da favela do Mar.

Contudo, segundo a VICE, ainda há margem para o cenário piorar. Em março, o Ministério Público do Rio eliminou o Grupo de Ação Especializada em Segurança Pública (GAESP), órgão de investigação independente que analisava mais de 700 casos policiais.

Embora o GAESP tratasse apenas de um pequeno número de casos, a sua remoção levantava questões de imparcialidade.

Agora, todas as investigações sobre a má conduta policial serão conduzidas por promotores que trabalham em estreita colaboração com os policiais sob investigação.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Temos duas opções. Uma é o estado abandonar as pessoas daquela área ao desgoverno e justiciamento dos bandidos e facções criminosas organizadas ou o estado intervir para retomar o controle da área para que o estado de direito lá se restabeleça. Como isso não pode acontecer com diálogo, tem de ser pela força mesmo. A notícia parece tendenciosa, porque arbitra a culpa apenas para a polícia, ou será que os bandidos tem mais cuidado atirando a esmo nas comunidades do que a polícia? Afinal, a quem devemos maior crédito? aos criminosos ou à polícia? ai está a tendenciosidade desta notícia, também pela omissão de citar que os bandidos matam MUITO MAIS pessoas de diversas formas lá dentro, subvertem jovens retirando-os da escola, expulsam famílias por motivos torpes, ocupam e revendem imóveis, monopolizam a venda de alimentos e gás e até internet (na conhecida gatonet) mas ao problema é a polícia???? e ainda temos que aguentar um juiz esquerdista militante do Supremo Tribunal Federal impedindo o estado de ocupar o lugar, reprimindo a nossa própria soberania … esta é a realidade

  2. Sério mesmo? Vocês colocaram a foto do Exército Brasileiro para falar da Policia Militar? Muito tendencioso e raso essa notícia. Gosto muito do site de vocês, mas viram só o lado da história.

RESPONDER

Após 12 anos de Netanyahu no poder, Israel tem um novo primeiro-ministro

O Parlamento de Israel aprovou, este domingo, o Governo de coligação do novo primeiro-ministro Naftali Bennett, que sucede a Benjamin Netanyahu, que esteve no poder cerca de 12 anos. Dos 119 deputados presentes, de um Parlamento …

Áustria 3-1 Macedónia do Norte | Banco austríaco vale triunfo inédito

A Áustria estreou-se, este domingo, com um triunfo sobre a Macedónia do Norte, por 3-1, no Euro2020, no primeiro jogo do Grupo C da competição, disputado em Bucareste. Stefan Lainer (18 minutos), Michael Gregoritsch (78) e …

Facebook restringe conta de André Ventura

A rede social decidiu restringir, durante 24 horas, a conta do presidente e deputado único do Chega, após terem sido denunciadas duas publicações. De acordo com o Correio da Manhã, denúncias em duas publicações feitas por …

Com parecer desfavorável, arraial da IL juntou centenas (e fez mira a adversários)

A Iniciativa Liberal organizou, este sábado, apesar do parecer desfavorável das autoridades de saúde, um arraial comício, onde se juntaram centenas de pessoas, para dar "esperança" a Lisboa e mostrar que "não há impossíveis". No seu …

Marcelo reafirma: "Comigo não vai haver volta atrás" no desconfinamento

O Presidente da República declarou, este domingo, que, no que depender de si, não haverá "volta atrás" no desconfinamento, e deu a Feira da Agricultura de Santarém como exemplo do “virar de página”. "Já não voltamos …

Líderes do G7 prometem milhões de vacinas, mas evitam apoio claro a suspensão de patentes

Os líderes do G7 prometeram entregar milhões de doses adicionais de vacinas contra a covid-19 ao longo do próximo ano, mas evitaram apoiar claramente a suspensão de patentes, de acordo com o comunicado final. "Os compromissos …

Bolsonaro multado por não usar máscara em desfile de motociclistas

O Presidente brasileiro foi multado, este domingo, em 552 reais (cerca de 89 euros) por estar sem máscara quando participava num desfile de motociclistas no estado de São Paulo. Milhares de motociclistas participaram no desfile "Acelere …

Inglaterra 1-0 Croácia | Três leões matam borrego à décima tentativa

A Inglaterra estreou-se este domingo com uma vitória no grupo D do Euro2020 de futebol, ao bater a Croácia por 1-0, em jogo disputado no estádio Wembley, em Londres. Um golo de Raheem Sterling, aos 57 …

Bloco ataca ministro do Ambiente, que acusa Catarina Martins de fazer declarações "infames e infundadas"

O Bloco de Esquerda anunciou, este domingo, que vai pedir a apreciação parlamentar do decreto que regula a lei das minas e acusou o ministro do Ambiente de ser "mais rápido a defender negócios" do …

Antes de se lesionar, Vertonghen foi ignorado

Defesa do Benfica não cumpriu os 90 minutos da estreia vitoriosa da Bélgica no Europeu 2020. E também ficou esquecido pela realização televisiva. A Bélgica começou muito bem o Europeu 2020, confirmando no campo o que …