ONU avisa: Novas tecnologias podem aumentar desigualdade

Justin Lane / EPA

O secretário-geral da ONU, António Guterres

Segundo um relatório da ONU, as novas tecnologias, desde a inteligência artificial à edição genética, têm potencial para melhorar a vida de milhares de pessoas, mas podem abrir caminho a uma maior desigualdade social.

O relatório, divulgado na segunda-feira, avalia como as tecnologias de ponta podem ser usadas para atingir as metas das Nações Unidas para 2030: erradicar a pobreza extrema, preservar o meio ambiente e promover o crescimento económico.

“Saúde e longevidade, prosperidade para todos e sustentabilidade ambiental estão ao nosso alcance se aproveitarmos o poder dessas inovações, no entanto, essas mesmas tecnologias também levantam sérias preocupações”, advertiu o secretário-geral da ONU.

António Guterres exortou os governos a adotarem políticas que garantam que as novas tecnologias “não sejam apenas comercialmente viáveis, mas também equitativas e éticas”.

No documento de 175 páginas sublinha-se que “muitos países em desenvolvimento ainda precisam de colher os benefícios das tecnologias existentes”, já que mais de mil milhões de pessoas vivem sem acesso à eletricidade e outros 2,5 mil milhões com frequentes quebras de energia.

Milhões de pessoas ainda dependem do “poder muscular humano ou animal” para cultivar terras e outros tipos de produção e não têm acesso à educação moderna que é crucial para adotar muitas novas tecnologias de fronteira.

“Sem um nível mínimo de educação, não é possível utilizar tecnologias digitais“, destaca-se no relatório.

Por outro lado, no relatório do Departamento de Assuntos Económicos e Sociais da ONU há uma advertência sobre os avanços em automação e inteligência artificial que estão a transformar os mercados de trabalho e a causar perdas de emprego nos países desenvolvidos mais ricos.

As redes sociais, com os novos anúncios direcionados, são cada vez mais usadas para “manipular a emoção humana e disseminar a desinformação e o ódio”, acrescenta-se.

Embora os sistemas de tomada de decisões baseados em inteligência artificial possam melhorar o acesso aos serviços públicos, “também correm o risco de reforçar preconceitos e formas de exclusão já existentes”, pode ler-se no documento.

Por fim, os especialistas da ONU pediram maior transparência e responsabilidade pelas decisões baseadas em inteligência artificial.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Minicérebro criado em laboratório consegue contrair músculos

Cientistas criaram em laboratório um minicérebro que se conectou espontaneamente à medula espinal de uma cobaia. O organóide foi também o primeiro da história a iniciar o movimento muscular. Composto por cerca de dois milhões de …

Orangotango sedado encontrado na bagagem de passageiro russo

Um turista russo que tentava traficar um orangotango foi detido em Bali, Indonésia, na sexta-feira. Andrei Zhestkov queria levar o animal para a Rússia e transformá-lo num animal de estimação. As autoridades do aeroporto indonésio decidiram …

Freddie Mercury quis que Mary Austin escondesse as suas cinzas (e já se sabe porquê)

Freddie Mercury é um dos ícones inquestionáveis da história da música. A sua maneira de entender o rock, a sua voz e a sua maneira de se mover no palco fizeram dele um dos melhores …

Fotógrafo pessoal de King Jong-un foi despedido. Estava demasiado perto

O fotógrafo pessoal do governante norte-coreano Kim Jong-un foi despedido do seu cargo e expulso do Partido Trabalhista por violar a "regra dos dois metros", ao tirar fotografias do líder supremo a uma distância muito …

Suplementos alimentares não previnem a depressão

A toma de suplementos alimentares mostrou-se incapaz de prevenir a depressão, segundo um estudo realizado em mais de mil pessoas de quatro países europeus. Os investigadores quiseram testar se a toma de suplementos nutricionais ou alimentares, …

A Wikipédia esteve em baixo (e foi de propósito)

Quatro linguagens da Wikipédia estiveram em baixo na quinta-feira: alemão, eslovaco, checo e dinamarquês - e não foi um erro técnico. Foi um protesto contra a nova lei que provavelmente será aprovada pelo Parlamento Europeu na próxima …

Cruzeiro à deriva na Noruega. Mais de 1300 pessoas resgatadas de helicóptero

Um navio de cruzeiro com cerca de 1.300 passageiros a bordo encontra-se, este sábado, à deriva na costa norueguesa, enfrentando um estado de tempo adverso, com vento forte. "O navio de cruzeiro Viking Sky lançou um …

“Coletes amarelos” passam despercebidos em Paris

Com os locais habituais de manifestação interditos e reforço militar junto às principais instituições francesas, os “coletes amarelos” são ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre turistas e parisienses. A manhã na capital …

Número de mortos em Moçambique sobe para 417

O número de mortos em Moçambique devido à passagem do ciclone Idai subiu para 417, anunciou este sábado o ministro do Ambiente moçambicano, Celso Correia, citado pela agência Reuters. O governante acrescentou que a situação …

Criação de novo centro orientado para as smart cities em debate numa conferência em Lisboa

Representantes de empresas ligadas à inovação e ao setor público vão participar num debate, na terça-feira, em Lisboa, para debater a importância das cidades inteligentes e a possibilidade de criação de um novo centro de …