“Obsessão” pelo défice é para Bruxelas ver. Esquerda exige execução do OE2021

Manuel de Almeida / Lusa

Catarina Martins (BE) e Jerónimo de Sousa (PCP)

As metas do défice e da dívida previstas no Programa de Estabilidade, que o Governo entregou esta quinta-feira no Parlamento, não mereceram a aprovação do Bloco de Esquerda e do PCP.

Num período de muita incerteza, devido à pandemia de covid-19, a prioridade devia ser a de responder aos problemas das pessoas e das empresas, em vez de se “dar prioridade à redução acelerada do défice”, reagiu o deputado comunista Duarte Alves, em declarações ao Expresso.

É para inglês – ou Bruxelas – ver, disse. “Discutir o défice e a dívida à décima com toda esta incerteza que vivemos é apenas para cumprir calendário e mostrar a Bruxelas.”

O PCP olha com desconfiança para os números e sublinha que “a prioridade devia ser responder aos problemas do país, nomeadamente ao nível dos salários, dos apoios sociais relacionados com a pandemia, do apoio às micro, pequenas e médias empresas, e do investimento público, nomeadamente pela contratação de mais profissionais para o SNS”.

O Orçamento do Estado em curso já prevê avanços – mas ainda não saíram da gaveta, referiu Duarte Alves. “O Governo deve-se concentrar em garantir a execução do Orçamento do Estado de 2021.”

Mariana Mortágua, do Bloco de Esquerda, concorda com o deputado comunista. À TSF, a deputada disse lamentar a “fixação” do Executivo pelo défice em vez de reforçar os apoios sociais às famílias e às empresas.

“O Governo mantém a sua estratégia de não executar todo o Orçamento para acabar o ano sempre com uma folga que depois transita para o ano seguinte, permitindo fazer uma consolidação orçamental superior à prevista”, disse, exigindo o cumprimento do que está estipulado no Orçamento em curso.

O Governo prevê que a meta de défice orçamental para este ano aumente apenas duas décimas face ao que estava no Orçamento do Estado, para 4,5% do PIB, o correspondente a 470 milhões de euros, e que volte aos limites de Bruxelas já em 2023 (abaixo dos 3%).

A dívida pública vai começar a descer este ano, de 134% para 128% do PIB, e baixará da fasquia dos 120% dentro de três anos, segundo as previsões do Governo.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Nova Iorque quer oferecer vacina aos turistas. Miami vai começar a vacinar no aeroporto

Em Nova Iorque os turistas irão receber a vacina da Johnson & Johnson e em Miami a vacina da Pfizer. Com o objetivo de reativar o turismo na cidade, as autoridades de Nova Iorque querem oferecer …

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …