Perdoar o passado, celebrar o renascimento e cumprir tradições. A primavera traz o Nowruz, o ano novo persa

Delil Souleiman / AFP

Celebrações do Nowruz, o Ano Novo persa

Assim que as flores começam a desabrochar e os dias ficam mais longos, fica claro que o Nowruz está prestes a chegar. A celebração do ano novo iraniano é secular, com raízes que remontam a mais de 3.000 anos.

Também conhecido como Nauryz, Navruz ou Nowrouz (que significa “novo dia”), o ano novo persa começou no dia 20 de março e não é por acaso que coincide com o primeiro dia da primavera.

O calendário iraniano é um calendário solar, o que significa que o tempo é determinado, através de observações astronómicas, pelo movimento da Terra à volta do Sol. É por isso que o primeiro dia do ano começa sempre com o fenómeno natural do equinócio.

Segundo a CNN, o Nowruz não é um feriado religioso, mas uma celebração universal de novos começos: o objetivo é desejar prosperidade e dar as boas-vindas ao futuro enquanto se desfaz do passado. A celebração dura cerca de um mês e é repleta de festas, comida, artesanato, apresentações de rua e rituais públicos.

Em 2010, o dia 21 de março foi oficialmente reconhecido como o Dia Internacional do Nowruz pelas Nações Unidas a pedido de países como o Afeganistão, a Albânia, a Índia, o Irão, o Cazaquistão, a Turquia e o Turquemenistão.

Atualmente, de acordo com a cadeia televisiva norte-americana, mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo celebram o Nowruz.

Como qualquer celebração, o ano novo persa está envolto em tradições. Uma das mais conhecidas é saltar por cima de fogueiras, uma tradição trazida pelos zoroastrianos, que adoravam o fogo como um sinal de força e saúde eternas.

Na última quarta-feira do ano, Chaharshanbe Soori (ou “quarta-feira vermelha”), as pessoas saltam por cima do fogo para se limparem dos males – físicos, emocionais e sociais – do ano passado, como uma forma de se preparar para o renascimento.

A tradição também encoraja os indivíduos a fazerem as pazes com aqueles que os prejudicaram no passado e a procurar perdão para os seus próprios erros.

No centro da mesa, as famílias colocam o haft-visto – traduzido como “sete S’s” – onde concentram sete elementos, que começam com a letra S, cada um com um significado particular.

Seeb (maçã) é o símbolo da beleza; seer (alho) é o símbolo da saúde e da medicina; somagh (sumagre) representa o nascer do Sol; sabzeh (relva) representa a cura e o renascimento da Terra; serkeh (vinagre) simboliza a paciência; senjed (azeitonas) representa o amor e samanu (massa de pastelaria) o poder e a força do perdão.

De acordo com o The Conversation, as mesas também incluem espelhos para ajudar na reflexão; flores para simbolizar a cura da Terra; ovos que representam a vida e um peixe vivo como sinal da conexão com o mundo animal.

Algumas famílias também colocam um livro religioso na mesa, como o Alcorão ou a Bíblia, ou livros de poetas iranianos.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

“Incompetência e arrogância”. Cabrita está (novamente) debaixo de fogo. Partidos pedem a sua demissão

Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, está mais uma vez no centro da polémica. Depois de ter avançado com uma requisição civil para que mais de 20 imigrantes fossem transportados para o Zmar, durante a …

Fernando José é o candidato do PS a Setúbal. Ana Catarina Mendes concorre à Assembleia Municipal

O deputado e vereador socialista Fernando José é o cabeça de lista do PS às próximas eleições autárquicas para a Câmara de Setúbal e Ana Catarina Mendes à Assembleia Municipal, revelou fonte oficial do Partido …

Portugal na zona de queda dos restos do foguetão chinês

O foguete de Longa Marcha chinês que foi lançado a 29 de abril, e agora está a preocupar o mundo. As previsões é que a reentrada na atmosfera se dê até ao próximo dia 9 …

CIP propõe "almofada" pública de 8.000 milhões para resolver moratórias

A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) propôs ao Governo criar uma "almofada" de garantias públicas no valor de oito mil milhões de euros para dar poder às empresas e levar a banca a renegociar os …

Reino Unido. Variante indiana é “preocupante“ e já infetou idosos vacinados

No Reino Unido, já foram encontradas 48 cadeias de transmissão da variante indiana e sabe-se que há transmissão comunitária. A Public Health England classifica esta variante como “preocupante”. A direção geral de saúde de Inglaterra (PHE …

Petição para cancelar Jogos Olímpicos conta já com 200 mil assinaturas

Uma petição 'online' a pedir o cancelamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 devido à pandemia da covid-19 ultrapassou esta sexta-feira as 200 mil assinaturas, avançou a agência Lusa. A campanha, lançada na quarta-feira pelo advogado e ativista …

“Não queremos estragar a nossa joia da coroa“. Governo pode limitar acesso da Peneda-Gerês

O Secretário de Estado da Conservação da Natureza concorda com os autarcas, sobre o impacto positivo do turismo para as populações, mas nota que o sucesso do PNPG não pode pôr em causa os valores …

Fome e seca levam milhares de angolanos a fugirem para a Namíbia

A fome provocada pela seca extrema na província de Cunene, no sul de Angola, está a levar milhares de pessoas a fugir para a Namíbia. "A estiagem provocou a rutura de 'stocks' alimentares das comunidades e …

Governo britânico confirma Portugal na “lista verde” de viagens. Preço das viagens disparou

Portugal vai estar na “lista verde” de países considerados seguros para viajar e isentos de quarentena na chegada a Inglaterra a partir de 17 de maio, anunciou hoje o ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps. Portugal …

Nova Zelândia vai proteger fiorde emblemático de turismo de massas

O Governo da Nova Zelândia anunciou que vai proteger do turismo de massas a paisagem natural do icónico fiorde Milford Sound-Piopiotahi, património mundial na ilha do Sul. O turismo em Milford Sound-Piopiotahi, considerado um dos principais …