Farmacêuticas aumentam brutalmente o preço de centenas de medicamentos nos EUA

PhotoXpress

Mais de três dezenas de empresas farmacêuticas, como é o caso da Pfizer, juntaram-se para aumentar brutalmente os preços de centenas de medicamentos nos Estados Unidos (EUA) a partir de janeiro, mostra um relatório divulgado no primeiro dia do ano.

Desde 01 de janeiro, o aumento médio dos medicamentos já ultrapassou os 6,5%, com alguns fármacos a sofrer um aumento de dois dígitos, contrariando as promessas das farmacêuticas de manter os aumentos periódicos abaixo de 10%.

Os remédios em causa variam entre genéricos, medicamentos para pressão sanguínea e produtos específicos, indica o relatório, concebido pela empresa RX Savings Solutions – uma empresa que auxilia os consumidores a conseguirem planos de saúde e medicamentos mais acessíveis -, e difundido pelo The Wall Street Journal.

Apesar das pressões públicas e políticas quanto às alterações de preços por parte das farmacêuticas, estes aumentos não foram surpresa, lê-se num artigo do Ars Technica, de 02 de janeiro.

Em dezembro, a Reuters já tinha avançado que 28 fabricantes de medicamentos haviam notificado algumas agências da Califórnia (EUA) sobre a intenção de elevar o custo dos seus fármacos.

O aviso foi feito devido a uma lei recentemente aprovada, na qual é exigida que as farmacêuticas notifiquem as agências caso decidam elevar, em mais de 16%, os preços dos medicamentos nos Estados Unidos, num período de dois anos.

“Os pedidos efetuados e a vergonha pública não funcionaram”, disse na altura à Reuters Michael Rea, administrador executivo da RX Savings Solutions. “Prevemos os aumentos de 2019 seja ainda maiores do que nos anos anteriores”, reforçou.

Uma das farmacêuticas que planeia aumentar o preço dos seus medicamentos é a Pfizer. Em julho, a empresa foi notícia ao anunciar que faria uma pausa no aumento, caso o Governo dos EUA criasse novas políticas de saúde.

Essa decisão surgiu depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter referido, no Twitter, que tanto a Pfizer como outras empresas farmacêuticas “deviam ter vergonha” dos preços que praticavam.

Depois do anúncio da decisão da Pfizer em fazer uma pausa no aumento dos fármacos, Trump congratulou a empresa. “Aplaudimos a Pfizer por essa decisão e esperamos que outras empresas façam o mesmo. Ótima notícia para o povo americano!”, escreveu o presidente no Twitter.

No entanto, sem a criação das novas políticas de saúde, a Pfizer interrompeu o plano anunciado, estando agora pronta para aumentar o preço de 41 medicamentos até meados de janeiro, como tinha anteriormente delineado.

Outras empresas farmacêuticas que aumentaram ou pretendem aumentar os preços são a Allergan PLC, a GlaxoSmithKline PLC, a Amgen Inc., a AstraZeneca PLC, a Biogen Inc. e a Hikma Pharmaceuticals PLC. Na passada terça-feira, a Hikma elevou o preço de um dos seus medicamentos para pressão sanguínea – Enalaprilat – em 30%.

TP , ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Elon Musk alerta: Civilização pode colapsar daqui a 30 anos

De acordo com Elon Musk, uma "bomba populacional" vai surgir nas próximas décadas, quando uma população mundial cada vez mais idosa chocar com a queda das taxas de natalidade em todo o mundo. Esta não é …

O mundo árabe está menos religioso. Mas continua homofóbico

Há cada vez mais árabes que dizem não ter religião. Esta é a principal conclusão de uma grande sondagem feita a mais de 25 mil cidadãos de países árabes pelo centro de pesquisa Arab Network …

Tina morreu durante 27 minutos e foi ressuscitada 8 vezes. Quando acordou, escreveu "é real"

Uma mulher norte-americana entrou em paragem cardíaca em fevereiro de 2018 quando se preparava para fazer uma caminhada com o seu marido Brian. Depois de desmaiar, Brian ressuscitando-a duas vezes antes de os paramédicos chegarem para …

"Homem-árvore" pede que as suas mãos sejam amputadas

Abul Bajandar, um homem de 28 anos do Bangladesh conhecido como "Homem-árvore" devido às incomuns verrugas que nascem nos seus membros, pediu que as suas mãos fossem amputadas para aliviar as dores insuportáveis.  Bajandar sofre de …

EUA. Senadores republicanos do Oregon fogem para não aprovar lei ambiental

Senadores estaduais do Oregon, nos Estados Unidos (EUA), encontram-se a monte desde quinta-feira para não votarem uma lei ambiental. Procurados pela polícia, voltaram este domingo a faltar a uma sessão legislativa, impedindo que haja quórum …

O planeta enfrenta um "apartheid climático"

O planeta está confrontado com um “'apartheid' climático”. De um lado, os ricos que se podem adaptar melhor às alterações climáticas, e do outro, os pobres que vão sofrer mais, disse esta segunda-feira um especialista …

Governo repõe 40 horas semanais para trabalhadores do CNB. Greve mantém-se

A partir de 1 de julho, os trabalhadores da Companhia Nacional de Bailado (CNB) voltarão às 40 horas semanais, numa uniformização laboral com os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos. A decisão foi comunicada, esta …

Nova espécie de planta fóssil descoberta em Gondomar

Annularia noronhai foi encontrada no meio da cidade de Gondomar. Tem 300 milhões de anos, é um parente muito afastado da cavalinha e diz muito sobre o clima da época. Uma nova espécie de planta já …

Há um ano, 12 jovens ficaram presos numa caverna da Tailândia. Hoje, é um local turístico

Há um ano, 11 meninos foram explorar a província de Chiang Rai, na Tailândia, com o seu treinador de futebol, e acabaram presos no fundo de uma caverna sob uma montanha. Depois de terminar o …

Alemães compraram toda a cerveja de Ostritz para "secar" neonazis

Os habitantes de Ostritz, na Alemanha, impediram os participantes de um festival neonazi de beber álcool, esvaziando todas as prateleiras dos supermercados. Num protesto inédito contra a comemoração do aniversário de Hitler naquela localidade, os habitantes  …