/

Novo aeroporto, nova ponte e TGV Lisboa-Madrid. Mas há dinheiro para tudo?

8

António Pedro Santos / Lusa

Joaquim Miranda Sarmento, Luís Montenegro

O anúncio (outra vez) do novo aeroporto de Lisboa em Alcochete vem acompanhado de uma nova ponte sobre o Tejo e da ligação por TGV entre Lisboa e Madrid. As promessas do Governo são ambiciosas, mas não incluem dados quanto a custos.

Luís Montenegro anunciou que o novo aeroporto de Lisboa vai “nascer” no campo de Tiro de Alcochete. Na verdade, é um “re-anúncio”, uma vez que a ideia é antiga já foi anunciada como obra a fazer por José Sócrates em 2008, e por Pedro Nuno Santos em 2022.

Será que é desta que avança mesmo? Luís Montenegro promete que sim, prevendo que o futuro Aeroporto Luís de Camões terá duas pistas já terminadas em 2034.

Nesse mesmo ano, o Governo espera que a ligação TGV Lisboa-Madrid esteja também concluída, para que a viagem demore cerca de três horas.

Além disso, prevê reforçar a ligação ferroviária de Alta Velocidade entre Lisboa e o Porto, no sentido de que dure pouco mais de uma hora, e melhorar o acesso ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro e a ligação Porto-Vigo de comboio.

O plano do Governo para a mobilidade, no âmbito do novo aeroporto, inclui ainda uma terceira ponte sobre o Tejo, entre Chelas e Barreiro.

Mas quanto é que tudo isto vai custar?

Na verdade, ainda não há contas feitas quanto ao que tudo isto vai custar.

O Governo não adiantou valores, citando apenas dados do relatório da Comissão Técnica Independente quanto ao novo aeroporto, e que refere um valor total da ordem dos 10 mil milhões de euros.

A “construção das duas pistas ronda os 6.105 milhões de euros“, como cita o Diário de Notícias (DN).

Quanto ao TGV, os últimos dados avançados publicamente “apontavam para 4,5 mil milhões de euros” em termos de custos, como lembra o mesmo jornal.

Já a “ponte Chelas-Barreiro está calculada num valor que ronda os 2 mil milhões“, acrescenta o diário.

Contudo, tudo isto são verbas especulativas e o Governo não explicou nada quanto ao dinheiro envolvido nestes projectos.

Montenegro salientou apenas que “estas decisões, apesar de rápidas, são ponderadas, fundamentadas e estratégicas para o futuro de Portugal“.

Aumentar Aeroporto Humberto Delgado para desmantelar

O Governo anunciou também que, inicialmente, vai apostar em aumentar a capacidade do Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa, enquanto o novo aeroporto não fica concluído.

Mas o objectivo é que este acabe por ser desmantelado, sendo substituído de “forma integral” pelo futuro aeroporto Luís de Camões.

ZAP //

8 Comments

  1. E ficou por mencionar o dinheiro que irá cobrir as futuras “derrapagens” das ditas obras, para beneficiar amigos e pagar favores. Só nunca há dinheiro para melhorar a vida do cidadão!

  2. Nem aeroporto, nem TGV, nem Ponte, nem nada, mais uma mão cheia de nada.
    E Portugal de promessa em promessa ficando cada vez mais pobre…

  3. Criticaram as promessas faraônicas do Sócrates… agora com eles são essenciais … quanto mais disserem mais se enterram ..

    2
    1
  4. Bem que precisávamos de um hospital no algarve, mas mais uma vez fica na gaveta, temos ali como “espantalho” um estádio que “sobrou” do Euro que nem para sombra serve…40 milhões de betão no meio do nada. Temos um aeroporto que lhe mudaram o nome, temos uma via do infante que passou a A22 , a pagar…

  5. Sou do Centro, para alguns do Norte… sou VIseu!!!
    Concordo contigo Algarvio… sinto o mesmo aqui em Viseu!!!
    Somos arredores de Portugal (Lisboa)…
    Eles são tão mais portugueses que nós que até têm direito a uma Santa Casa… nós: somo paisagem!!!
    Viseu e Faro elegem 8 deputados no total… Lisboa(*) elege mais de 50… das (seus habitantes são maioritariamente do interior)!!!
    (*) Não está na Constituição o pós Tsunami… mas, claro que continuará a ser o “resto” do povo a repagar mais uma reconstrução da afundada Capital… desmenteralemos a Serra da Estrela para repor as Avenidas à beira Tejo…

  6. Quando os dinheiros são dos outros finge-se que se é Rico, e dá nisto. Muita conversa e nada de concreto. A fórmula portuguesa é errada desde sempre, há factos históricos que comprovam isso. Nunca ninguém disse que a corrupção no País é um nome bonito. Há a máfia Russa, Chinesa e há a corrupção portuguesa é tudo no nível top. Então não é que se fez a opção mais “barata”. Só no País Portugal é pode acontecer. Não faço conta de pagar o dito mas também não quero ficar sem a minha reforma. Abram a pestana…

  7. Mas todas as obras vão ser feitas em Parcerias Público Privadas como aliás as linhas de Alta Velocidade e assim são os privados que fazem e cobram uma taxa de uso.
    Agora falta saber é que contrapartidas já foram prometidas à VINCI para antes afirmar que só aceitavam o Montijo mais a Portela e agora afirmam que que aceitam.
    Lembro que a Vinci ficou com a ANA num Governo de Passos Coelho,
    Estou mesmo a ver que ampliam a Portela e depois logo se vê. Eu já não irei ver, só por milagre, porque com 85 é impossível.
    Mas antes ainda temos o Estudo de Impacte Ambiental, já que temos uma ave o maçarico-de-bico-direito aos milhares e o aquífero que segundo Joanaz de Melo são 50 albufeira do Alqueva.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.