Há novas regras para os recibos verdes em 2019

LucasTheExperience / Flickr

As novas regras chegam em janeiro e implicam mudanças nas taxas de desconto, na forma de cálculo do rendimento sobre o qual aquelas incidem ou mesmo na forma de informar a Segurança Social sobre o rendimento obtido.

Os trabalhadores independentes vão ter um novo regime contributivo. O regime de isenções também vai sofrer algumas alterações, sobretudo para quem soma rendimentos a recibo verde com salários e remunerações como trabalhador por conta de outrem.

A taxa contributiva que daqui em diante vai ser paga pelos trabalhadores independentes baixa dos atuais 29,6% para 21,4%. Para os empresários em nome individual, a taxa reduz-se de 34,75% para 25,17%.

As taxas de 21,4% e de 25,17%, de acordo com o Jornal de Notícias, passam a incidir sobre os rendimentos auferidos no trimestre imediatamente anterior. O novo regime foi desenhado de forma a que o desconto incida não sobre a média do rendimento total auferido nos três meses anteriores, mas sobre 70% do valor (ou de 20%, no caso de se tratar da produção e venda de bens).

O trabalhador pode reduzir ou aumentar em 25% a base de incidência contributiva – tudo depende se pretende gastar no imediato e receber mais tarde, seja na reforma, em caso de doença, de licença de maternidade ou subsídio de desemprego.

Para que a Segurança Social possa emitir o documento único de cobrança (DUC) e indicar o valor devido pelo trabalhador, é necessário que este lhe faça chegar trimestralmente uma declaração onde refere o valor de rendimentos obtidos no trimestre anterior.

Estas declarações têm de ser entregues em janeiro, abril, julho e outubro. As declarações podem ser entregues entre o primeiro e o último dia de cada um destes meses e ser corrigidas, sendo tida em conta a versão que constar no final do mês.

Se não tiver rendimento, o trabalhador é chamado a pagar uma contribuição mínima de 20 euros. Este valor impede que tenha “furos” na carreira contributiva.

Se a Segurança Social não receber a declaração trimestral emitirá um DUC oficioso no valor de 20 euros, podendo o trabalhador optar por pagar esta quantia ou por entregar a declaração nos 15 dias seguintes. Se o fizer no espaço de 5 dias após a receção do DUC não terá qualquer penalização.  Falhando este prazo, terá uma coima pela falha na obrigação declarativa.

Os valores errados também podem ser corrigidos, tanto na declaração trimestral como na anual que é entregue em janeiro de cada ano. Mais à frente, a Segurança Social cruzará os valores que constam deste procedimento anual com os da declaração anual do IRS. Havendo desconformidades, haverá lugar ao pagamento ou reembolso da diferença.

Se por algum motivo não receber qualquer rendimento, o trabalhador terá na mesma de entregar a declaração trimestral mencionado a ausência de rendimento e pagará o tal mínimo de 20 euros. A lei prevê que ao fim de 12 meses a pagar 20 euros, o trabalhador fica isento de descontos. Sempre que alguém perde a isenção, passa a ter de fazer a declaração no trimestre seguinte e terá de estar atento a este facto.

Em relação aos trabalhadores por conta de outrem, tudo dependerá do valor que recebem enquanto trabalhadores independentes. Ou seja, até agora os trabalhadores por conta de outrem estavam sempre isentos de qualquer desconto na parte que ganhavam via recibo verde.

Agora, apenas estão isentos se tiverem um rendimento relevante mensal inferior a 4 Indexantes de Apoios Sociais. Como o rendimento relevante é equivalente a 70% do valor total recebido, apenas quem ganha mais de 2450 euros (tendo por referência o IAS de 2018) como independente, tem de pagar.

Os trabalhadores por conta de outrem que não tenham a certeza de beneficiar de isenção devem entregar a declaração trimestral. O sistema irá avisar, caso se confirme a isenção.

Para quem estiver de licença de maternidade, basta que faça chegar à Segurança Social o pedido do subsídio de parentalidade. Esta informação é suficiente para que a Segurança Social suspenda o pagamento das contribuições. Esta mesma lógica faz com que fique dispensada de entregar declaração trimestral ou de suspender a atividade.

Os recibos verdes com dívidas não perdem direito às prestações sociais. No novo regime permite-se que mantenham o acesso às prestações sociais desde que adiram a um plano prestacional de pagamento da dívida. Deixa de ser necessário pagar na totalidade para ter acesso ao subsídio de parentalidade ou de doença, por exemplo.

Já em relação às empresas, eram chamadas a pagar uma taxa social única de 5% as empresas que fossem responsáveis por 80% do rendimento de um trabalhador independente. Daqui em diante, terão uma taxa de 7% se a dependência económica do trabalhador for entre 50% e 80% e uma TSU de 10% se a dependência superar os 80%.

Para todos os trabalhadores independentes o novo regime trouxe melhorias ao nível do pagamento das baixas por doença e das licenças de parentalidade e apoio à família. O apoio no desemprego também se alarga porque o universo de trabalhadores “economicamente dependentes” vai ser maior, uma vez que passam a ser abrangidos todos os que prestem mais de 50% da faturação a um empregador (em vez de 80%).

A Segurança Social lançou uma nova aplicação para telemóvel que, entre outras funções, avisa os trabalhadores das datas das obrigações declarativas e dos pagamentos.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O recibo verde continua a ser uma vergonha! Qualquer espaço aberto ao público precisa de empregados! Porque não empregam as pessoas?! Mantém as pessoas nestas condições 8 a 20 anos nestas condições ou mudam de profissão ou mantém se. Essas pessoas têm casa, filhos, rendas, seguros etc! Não tem subsídio Natal nem de Férias não tem direito a comprar casa a comprar carro. Maior parte tem menos trabalho quando trabalham em AEC’s com Escolas Públicas, Ginásios, Piscinas e Áreas Desportivas que na altura da Páscoa trabalham 15 dias, mês de junho 15 dias agosto não trabalha, setembro 15 dias e no Natal 15 dias! E recebem 7 a 9 euros hora entre 1 a 20 horas ou aulas por semana, valor o qual tem de fazer os respetivos descontos! Hora está aqui o sentido de ética de quem elaborou recibo verde é simplesmente vergonhoso!

    • Porque não empregam as pessoas?! Porque é estupidamente difícil despedir alguém e não se sabe o dia de amanhã – é preferível despedir 2 pessoas e salvar uma empresa que passa de 5 para 3 pessoas ou é melhor dar contrato sem termo e levar a empresa à falência e ficam os 5 sem emprego e o dono cheio de dívidas?
      Se acha assim tão fácil empregar pessoas abra uma empresa – um café, uma mercearia, o que seja. E depois venha aqui outra vez daqui a um ano Sr. José Manuel…

Responder a FH Cancelar resposta

Portugal produz menos lixo do que a média da OCDE (mas é o 3.º que menos recicla)

Portugal produz menos lixo do que a média da OCDE, mas é o 3.º que menos recicla, revelaram dados recentes da organização internacional. Em 2017, cada português produzir quase 500 quilogramas de lixo, valor inferior …

Novas demissões na Agência de Informações Financeiras do Vaticano

Um membro da entidade de regulação financeira do Estado do Vaticano, Marc Odendall, demitiu-se na sequência de buscas realizadas pela polícia e que originaram na suspensão do organismo do sistema de comunicações global. Marc Odendall, banqueiro …

Governo e Liga de clubes discutem redução do IVA para espetáculos desportivos

Secretário de Estado do Desporto afirma querer ouvir as reivindicações do organismo, mas sem se comprometer. O secretário de Estado da Juventude e do Desporto anunciou ontem que vai reunir-se com representantes da Liga Portuguesa de …

Tufão obriga a retirada de cerca de cinco mil pessoas do norte das Filipinas

Cerca de cinco mil pessoas foram retiradas do norte das Filipinas devido à aproximação do tufão Kalamaegi, que deverá tocar terra na província de Cagayan nas próximas horas, disseram esta terça-feira as autoridades locais. "Estamos preparados …

Acabaram-se as trotinetas no Algarve. Duraram 10 meses

A vereadora considera, no entanto, que a experiência foi “positiva”, já que permitiu recolher dados de mobilidade, nomeadamente, da utilização destas soluções em pequenos trajetos, ao mesmo tempo que colocou a questão na agenda pública. Sophie …

EasyJet diz que será a primeira a alcançar a neutralidade carbónica na aviação

A companhia aérea britânica easyJet afirmou esta terça-feira que será a primeira no mundo a alcançar a neutralidade carbónica através das compensações. Num comunicado publicado no seu site oficial, a companhia low cost anuncia ainda um …

Número de pré-avisos de greve até outubro é o mais alto dos últimos quatro anos

O número de pré-avisos de greve até outubro foi o mais alto dos últimos quatro anos, totalizando 781, segundo dados da Direção Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT). Entre janeiro e outubro deste …

Na Índia, já há "bares de oxigénio" para quem quiser respirar ar puro

A Índia é um dos países mais contaminado do mundo. Desde o final de outubro, a poluição alcançou um nível crítico devido à queimada de restolhos nos campos. Agora, há uma solução arrojada para que os …

Depois do Papão Harrison, o novo exame foi "duro" (e muitos jovens médicos já pensam em emigrar)

Foram quatro horas de exame, com 150 perguntas, na temida Prova Nacional de Acesso para a Formação Especializada em Medicina e muitos dos jovens médicos não conseguiram concluí-la. Os que temem não conseguir aceder à …

Situação trágica. "Veneza está a desaparecer"

A situação em Veneza é trágica, com 85% da cidade italiana inundada depois das piores cheias dos últimos anos. Mas estas inundações são apenas um alerta para o que pode vir a seguir, já que …