/

Novas imagens mostram que o Titanic está a desaparecer

1

(dr) Atlantic Productions

Pela primeira vez em 15 anos, uma equipa de mergulhadores captou imagens do Titanic que mostram o seu avançado estado de deterioração, podendo vir a desaparecer em breve.

De acordo com a BBC, uma equipa internacional de mergulhadores efetuou cinco mergulhos, no início de agosto, para captar imagens do Titanic, que se encontra a 3.800 metros de profundidade no Oceano Atlântico.

Esta foi a primeira vez em quase 15 anos que uma equipa desceu ao fundo do oceano para visitar o famoso navio, que afundou na sua viagem inaugural, em abril de 1912, depois de embater num icebergue.

A equipa da Triton Submarines constatou que o navio está a deteriorar-se rapidamente. Embora algumas partes da embarcação estejam surpreendentemente em boas condições, outras já se encontram em mau estado, destacando-se o lado estibordo dos alojamentos dos oficiais.

O historiador Parks Stephenson, citado pela emissora britânica, afirma que o que viu durante o mergulho foi “chocante”. “A banheira do capitão é uma das imagens favoritas entre os entusiastas do Titanic — e agora desapareceu”.

“A casa do convés daquele lado está a colapsar, levando consigo os quartos principais. E essa deterioração vai continuar a progredir”, explica Stephenson, acrescentando que a próxima estrutura a colapsar pode ser o telhado do compartimento interior.

“O Titanic está a regressar à natureza”, disse ainda o historiador. As fortes correntes oceânicas, a corrosão salina e as bactérias que comem metais estão a contribuir para a rápida degradação do navio.

Os mergulhos foram filmados pela Atlantic Productions para um documentário e contou com cientistas que estão também a estudar as criaturas que vivem nos destroços.

“Há micróbios que estão a corroer o ferro dos destroços do navio, criando estruturas ‘rústicas’, que são uma forma muito mais fraca do metal”, explica Clare Fitzsimmons, da Universidade de Newcastle, no Reino Unido.

Estas estruturas ‘rústicas’ — estalactites de ferrugem penduradas no navio — são tão frágeis que podem desintegrar-se numa nuvem de pó à mínima perturbação. Os cientistas estão agora a estudar como é que os diferentes tipos de metal erodem nas águas profundas do Atlântico, para avaliar quanto tempo o Titanic ainda tem.

O Science Alert recorda que estudos anteriores apontam para o desaparecimento total do Titanic até 2030, podendo ficar nada mais do que uma “mancha de ferrugem no fundo do Atlântico”.

O RMS Titanic está submerso há mais de 100 anos, a cerca de 600 quilómetros da costa de Newfoundland, no Canadá. Dos 2.200 passageiros a bordo, mais de 1.500 morreram. Os mergulhadores prestaram uma homenagem às vítimas, deixando uma coroa de flores.

  ZAP //

1 Comment

  1. Não, ele vai ficar intacto para sempre no fundo do oceano para os turistas verem….
    Francamente…. há cada um neste mundo!!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.