Netflix e Disney admitem deixar de filmar no estado da Geórgia se lei anti-aborto avançar

A Netflix está a estudar a possibilidade de deixar de gravar no estado norte-americano da Geórgia, caso as autoridades efetivaram a lei anti-aborto. Também a Disney disse que trabalhar neste local pode passar a ser “muito difícil”.

A notícia é avançada pela Variety, que recorda que a lei em causa, assinada pelo governador Brian Kemp, será promulgada em 2020.

Com a lei em vigor, as mulheres passam a ser proibidas de interromper a gravidez a partir do momento em que os batimentos cardíacos do feto pode ser detetados, algo que costuma ocorrer por volta das seis semanas de gravidez. Esta é considerada uma das leis mais restritivas dos Estados Unidos, uma vez que com este tempo de gestação muitas das mulheres nem sabem ainda que estão grávidas.

“Temos muitas mulheres a trabalhar em produções na Geórgia, cujos direitos, juntamente com outros milhões, serão severamente restringidos por esta lei”, afirmou o diretor de conteúdo da plataforma de streaming, Ted Sarandos, citado pela a revista.

De acordo com o Departamento de Desenvolvimento Económico da Geórgia, a Netflix está, neste momento, a produzir várias séries neste estado, entre as quais “Ozark”, “Insatiable” e “Stranger Things”, bem como o longa-metragem “Holidate”, com Emma Roberts.

“Tendo em conta que a legislação ainda não foi implementada, continuaremos a filmar lá. Ao mesmo tempo, vamos apoiar os parceiros e artistas que optarem por não gravar. Se algum dia a lei entrar em vigor, vamos reconsiderar todos os nosso investimentos na Geórgia”, acrescentou Sarandos.

A Netflix anunciou ainda que vai colaborar com a organização sem fins lucrativos American Union for Civil Liberties (ACLU), bem como com outros grupos ativistas locais na sua “luta em tribunal” contra a nova regulação do aborto.

“Muito difícil” continuar na Geórgia, diz Disney

Também a Walt Disney já admitiu deixar de gravar no estado caso a lei anti-aborto se efetive. Em declarações à agência Reuters, Bob Iger, o CEO da empresa, disse ser “muito difícil” continuar a gravar na Geórgia sob estas condições. “Black Panther” e “Avengers: Endgame” são alguns dos filmes gravados neste estado.

Iger foi questionado sobre se a sua empresa continuaria a trabalhar na Geórgia, ao que respondeu dizendo ser “muito difícil”. “Duvido (…) Acho que muitas pessoas que trabalham para nós não vão querer trabalhar lá, e teremos que atender aos seus desejos nesse sentido. Neste momento, estamos a observar [a situação] com muito cuidado”.

Caso a lei entre em vigor, “não vejo que seja prático filmar lá“, apontou.

O jornal espanhol El País aponta que a indústria do cinema e da televisão rende, anualmente, cerca de 2,7 mil milhões de dólares à Geórgia. De acordo com a Motion Picture Association of America, a indústria é ainda responsável por mais de 92.000 postos de trabalho. Só em 2018, foram filmados na Geórgia 455 produções.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Irão e Estados Unidos trocam prisioneiros

Irão e Estados Unidos realizaram, este sábado, uma troca de prisioneiros que envolveu a troca de um investigador sino-americano por um cientista iraniano detido pelos EUA, num avanço diplomático que surge após meses de tensão …

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …

Ford está a reciclar palha de café do McDonald's. Quer transformá-la em peças de carro

https://vimeo.com/377768195 A Ford está a fabricar peças de carro através de palha de café reciclada do McDonald's. A iniciativa contribui para a redução da pegada ecológica e do desperdício alimentar. O combate às alterações climáticas cabe um …

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …