A NASA quer enviar balões de ar quente para Vénus

Don P. Mitchell, Paolo C. Fienga / Lunar Explorer Italia / IPF / Soviet Space Agency

Aspeto da superfície e do céu de Vénus tal como captados pela sonda Venera 13

A NASA planeia enviar balões de ar quente para Vénus, visando medir as vibrações e a atividade sísmica do planeta e obter mais pistas sobre a sua composição interna. As condições severas do “vizinho” da Terra representam grandes desafios ao enviar sondas até à sua superfície.

Nos testes realizados em 19 de dezembro no deserto perto de Pahrump, no estado norte-americano do Nevada, cientistas da NASA observaram que balões cheios de hélio podem detetar atividades sísmicas com centenas de metros de altura.

Durante os testes, uma equipe de investigadores do Departamento de Energia dos Estados Unidos simulou, recorrendo a uma explosão química de 50 toneladas, um sismo de magnitude compreendida entre 3-4 a cerca de 300 metros de profundidade.

O sismo produzido foi identificado por dois balões que transportavam instrumentos para detetar mudanças na pressão atmosférica e ondas infra-som de baixa frequência, sinais associados à atividade sísmica. Um dos balões estava amarrado ao chão, enquanto o outro voava livremente durante o teste.

Os cientistas concluíram que ambos os balões globos seriam capazes de medir sismos tão fracos como de magnitude 2, e ajudar a confirmar uma hipótese que se arrasta há muito, que defende que o calor está ainda a tentar escapar do núcleo de Vénus – processo que estaria associado a terramotos na superfície do planeta.

No entanto, fazer como que esta tecnologia funcione em Vénus não será fácil, uma vez que a sua atmosfera tem ventos supersónicos que podem interferir no funcionamento dos instrumentos sintonizados nos balões. Procedimentos experimentais futuros estão a ser projetados no estado de Oklahoma para melhorar a tecnologia de deteção.

“Nunca fizemos uma medição sísmica direta em Vénus”, disse Siddharth Krishnamoorthy, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL), na Califórnia, citado pela publicação Science Magazine. “Há muito que os balões podem oferecer para esclarecer algumas questões importantes sobre o planeta”, acrescentou.

Em 1985, a União Soviética enviou dois balões para Vénus. Estes balões – que não foram projetados para medir a atividade sísmica – ficaram na atmosfera do planeta durante mais de dois dias, parando de registar dados quando as baterias acabaram.

ZAP // RT

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …