Rui Moreira não quer transformar o Porto na Disneylândia

Rui Moreira / Facebook

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira

“Devo dizer que não quero transformar o Porto Na Disneylândia. Os turistas não me preocupam assim muito. Preocupam-me, sim, as atividades económicas”, assumiu Rui Moreira, em entrevista esta quinta-feira ao Jornal de Notícias.

O Porto é uma cidade “sitiada” pelo tráfico e consumo de droga e alguns bairros são particularmente problemáticos. Em entrevista ao Jornal de Notícias, esta quinta-feira, Rui Moreira assumiu que a situação piorou desde a demolição do bairro do Aleixo

Para controlar o tráfico, a autarquia vai instalar um sistema de videovigilância num dos bairros mais problemáticos – o Pinheiro Torres. “Encomendámos câmaras e vamos colocá-las. E se entenderem que é proibido, mandem prender-me.”

O município irá também discutir em Assembleia os procedimentos a tomar quando foram detetados traficantes a morar em habitações sociais. Moreira defende o despejo: “Aquilo que vemos é quando há um despejo, os partidos políticos aparecem a invocar o contrário”.

Rui Moreira recusou a ideia de que o tráfico se alastrou na cidade, principalmente após a demolição do bairro do Aleixo e começou a ser uma ameaça para o turismo. “Devo dizer que não quero transformar o Porto Na Disneylândia. Os turistas não me preocupam assim muito. Preocupam-me, sim, as atividades económicas.”

“Hoje, quem for apanhado na movida com garrafas de vidro é multado. E vai haver multas por deitar beatas no chão. Mas perante a situação de andarem a vender chá prensado – se calhar também vendem droga, não sei – parece não acontecer nada”, atirou o autarca.

Na mesma entrevista, Rui Moreira assumiu a criação de salas de consumo assistido no Porto. A autarquia vai disponibilizar 400 mil euros para apostar na “medida de prevenção”.

Moreira acusa partidos da Assembleia Municipal de eleitoralismo

O presidente da Câmara Municipal do Porto acusou os partidos da Assembleia Municipal de eleitoralismo e admitiu sentir-se “incomodado” com as propostas apresentadas pelos diferentes grupos para as políticas públicas de habitação.

“É evidente que nós estamos a algumas semanas das eleições legislativas e, sendo assim, é normal que as forças políticas tragam aqui a vontade natural de discursar opiniões que passam para além daquilo que são as fronteiras da cidade do Porto”, afirmou Rui Moreira.

O autarca, que falava esta quarta-feira na sessão extraordinária da Assembleia Municipal do Porto dedicada a um único tema – as políticas públicas da habitação na cidade -, afirmou que as propostas apresentadas pelos diferentes grupos municipais são “uma vergonha“.

“É uma vergonha. É uma vergonha porque os partidos que os senhores e as senhoras representam são os responsáveis e nós cidadãos somos todos responsáveis. Sabem porquê? Porque isto foi um esforço da cidade, tem sido um esforço solidário, porque isto não é pago pelo estado central, tem sido pago pelos recursos que nós temos“, frisou.

As declarações de Rui Moreira surgem no decorrer de uma discussão entre os diferentes grupos partidários sobre a habitação social, a habitação acessível, o alojamento local, a listas de pessoas à espera da atribuição de habitações sociais e a Lei de Bases da Habitação.

“Incomoda-me ver discutir isto aqui desta forma, até porque se acham que é preciso mais habitação social, façam o favor e em vez de decretos de lei, ponham dinheiro, construam habitação social. Mas por favor, não ponham em questão aquilo que é um património nosso e é património da cidade”, afirmou Rui Moreira.

Rui Moreira considerou ainda que as propostas apresentadas pelos vários grupos municipais eram “irrealistas”, acrescentando que as mesmas “põem em causa” os resultados que, ao longo das últimas décadas, a cidade conseguiu em matéria de políticas públicas de habitação.

“Portanto, peço desculpa, mas proponham coisas, o que quiserem, a lua, o sol, proponham o que quiserem, mas por favor não apontem aquilo que é história e o património da cidade”, disse.

Segundo o autarca, a cidade do Porto dispõe de 14.000 habitações sociais, das quais 13.000 são propriedade do município e as restantes propriedade do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), situação que “só foi possível graças ao esforço e dinheiro dos contribuintes” da cidade do Porto.

“Como cidadão, acho uma vergonha aquilo que hoje propõem, porque parece que a cidade do Porto vive numa situação de catástrofe (…) de repente parece que como há eleições vamos dizer que tudo o que cá esta é mau“, concluiu.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. o Rui Rio fez um grande trabalho no Porto,sim parou uma cidade e voltamos 20 anos atrás ,não fez nada de jeito a não ser dar de mamar aos amigos do PSD

RESPONDER

Regra para filhos de pais separados em casas alternadas divide partidos

A lei já prevê que os filhos de pais separados possam ficar em residência alternada se o tribunal assim o decidir. Porém, as regras não são claras e vai ser discutida a melhor forma de …

Helicóptero do INEM avariou durante missão. Vítima que ia socorrer acabou por morrer

Um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), localizado em Loulé, teve uma avaria a meio de uma missão de socorro, sendo obrigado a abortar a viagem que visava ajudar uma mulher de 22 …

Águas do Porto alerta para cobranças fraudulentas porta a porta

A empresa municipal Águas do Porto alertou, esta segunda-feira, para uma fraude que está a ser cometida em seu nome com falsos funcionários que tentam fazer cobranças à porta. De acordo com a Águas do Porto, …

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …