Governo decide que “não é necessário” voltar à situação de alerta

1

Paulo Novais/LUSA

Bombeiro em acção em Rebolo, Pombal

O Governo decidiu hoje que “não é necessário voltar a ativar a situação de alerta” para responder aos incêndios florestais, tendo em conta que para os próximos dias está previsto “um cenário tipicamente de verão” relativamente à meteorologia.

A secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, afirmou que “não é necessário voltar ativar a situação de alerta”, mas o risco de incêndio rural mantém-se devido à situação de seca extrema.

Patrícia Gaspar avançou que o mecanismo de resposta operacional e vigilância, que vai ser reforçado, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e da GNR “são suficientes para fazer face a eventuais ocorrências que possam surgir”.

A secretária de Estado da Proteção Civil falava aos jornalistas na sede da ANEPC, em Carnaxide, Oeiras, após uma reunião, por videoconferência, com membros das áreas governativas da Defesa Nacional, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Saúde, Ambiente e Ação Climática e Agricultura e Alimentação para avaliação das condições meteorológicas e do risco de incêndio.

Patrícia Gaspar afirmou que a situação volta a ser reavaliada na terça-feira.

  // Lusa

1 Comment

  1. Os fogos em Portugal estão mesmo institucionalizados como uma prática empresarial com a cumplicidade do governo e total impunidade judicial. Apanham apenas o maluquinho lá da terra a quem os empresários que encomendaram os incêndios pagaram umas notas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.