PCP não muda nem uma palavra, nem uma letra

Miguel A. Lopes/ Lusa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou hoje, num momento de proximidade da discussão do próximo Orçamento do Estado, que o partido não muda “nem uma palavra, nem uma letra”.

Tendo em conta “a proximidade da discussão do Orçamento do Estado, nós não mudamos nem uma palavra, nem uma letra“, vincou hoje Jerónimo de Sousa, que discursava em Cantanhede, distrito de Coimbra, durante o Passeio das Mulheres CDU da Cidade do Porto.

Segundo o secretário-geral comunista, o PCP vai para o debate do Orçamento do Estado para 2019 com a ideia de lutar por melhores salários, um novo aumento extraordinário das pensões e reformas, uma política diferente na saúde, a valorização da escola pública e a expansão da gratuitidade dos manuais escolares até ao ensino secundário.

Para Jerónimo de Sousa, o problema não está na falta de dinheiro, “mas nas opções” que o Governo socialista toma, ao “manter intocável o lucro dos poderosos, em prejuízo de quem trabalha ou de quem trabalhou e que tem direito a uma vida digna”.

“Temos esta visão de que é possível avançar. Naturalmente, isto depois entra em contradição e ouve-se dizer: ‘Não há dinheiro para a saúde, para a escola pública, para as infraestruturas, para a defesa dos serviços públicos’. Não há dinheiro ou estão a ir buscar onde não devem?”, questionou.

O secretário-geral do PCP apontou para a banca, referindo que esta nunca teve dificuldades em “conseguir que o Estado faça investimentos de milhares de milhões de euros”, questionando também a posição do Governo em relação às parcerias público-privadas e à dívida portuguesa.

É uma dívida insustentável, que não é pagável, mas que o Governo encontrou forma de, nos próximos quatro anos, 35 mil milhões de euros – dinheiro que os portugueses produzem – irem direitinhos para o sorvedouro do serviço da dívida”, sublinhou, considerando que também no défice o Governo “é mais papista do que o papa”.

Nesse sentido, Jerónimo de Sousa considera que, se a atual solução governativa trouxe reposição de direitos e rendimentos e afastou um primeiro obstáculo – “o governo PSD/CDS”, falta vencer-se um outro.

“Houve um segundo obstáculo que não foi vencido e esse é a política de direita. Uma política de direita que continua a beneficiar o grande capital, os poderosos, que aceitou os ditames, imposições e ingerências da União Europeia e do euro e isso limitou os avanços” conseguidos nos últimos dois anos e meio, argumentou.

Na perspetiva de Jerónimo de Sousa, falta ao PS ser “capaz de sacudir essa política de direita”, a razão, no seu entender, de não se “ir mais longe” no caminho já trilhado pela atual solução governativa.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Joke Boon, a chef holandesa que não tem olfato nem paladar

Joke Boon perdeu o paladar e o olfato quando ainda era criança, mas isso não a impediu de viver da culinária, área na qual estes requisitos são, à partida, essenciais.  "Como seria a minha vida se …

Portugal com mais 39 mortos, mais 4007 casos e recorde de internamentos graves

Portugal registou hoje 39 mortos e mais 4.007 casos de novas infeções pelo novo coronavírus, tendo alcançado um novo recorde de 286 doentes internados nos cuidados intensivos por covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Registou-se este …

Leiloada carta de Nobel antissemita a desprezar Einstein e os judeus

Uma carta escrita em 1927 pelo Prémio Nobel Philipp Lenard a um colega a reclamar das conquistas de Einstein e do suposto domínio judaico da ciência foi a leilão no Nate D. Sanders Auctions, em …

Sue, o T-rex, terá tido uma forte dor de dentes devido a uma infeção

Sue, o T-rex cujo esqueleto é um dos mais completos já descobertos até aos dias de hoje, terá sofrido uma forte dor de dentes durante a sua existência. "Dois dentes estão realmente fundidos e um terceiro …

Câmara com IA confundiu careca do bandeirinha com a bola (e arruinou o jogo de futebol)

Os adeptos da equipa de futebol escocesa Inverness Caledonian Thistle FC experimentaram uma hilariante falha tecnológica durante um jogo no fim de semana passado. De acordo com o IFLScience, o clube escocês anunciou há algumas semanas …

"Francisco Louçã fez bullying para precipitar ruptura do Bloco com o PS"

O PS acredita que foi a postura de "bullying" de Francisco Louçã que forçou o Bloco de Esquerda a precipitar uma "ruptura com o PS", conforme avança o deputado João Paulo Correia, vice-presidente da bancada …

Remdesivir: de droga milagrosa a negócio milionário com "muito, muito mau aspeto"

Apresentado como único medicamento anti-viral eficaz no combate à covid-19, foi o primeiro medicamento aprovado pela FDA, regulador farmacêutico americano, no tratamento da doença. Agora, a sua eficácia é contestada — e os negócios milionários …

"Imagine there is no corruption". Há uma campanha contra a corrupção em Portugal nas ruas de Nova Iorque

Um professor português da Universidade de Columbia, nos EUA, tem em marcha uma campanha contra a corrupção em Portugal, com várias acções nas ruas de Nova Iorque. De guitarra em punho e a cantar "Imagine there …

Morreu Sean Connery, Sir James Bond

O actor escocês Sean Connery morreu, neste sábado, aos 90 anos de idade, conforme avança a BBC. As causas da morte não são ainda conhecidas. Sean Connery tornou-se conhecido como "James Bond", tendo sido o primeiro …

"Uma das actividades de maior risco é ir ao restaurante"

Medidas como a proibição de circulação entre concelhos e o recolher obrigatório "são mais simbólicas do que eficazes e efectivas" no combate à covid-19, defende o médico e investigador Carlos Martins, considerando que seria mais …