Alcochete. “Se Mustafá estivesse lá aquilo não tinha acontecido”

Tiago Petinga / Lusa

O arguido Emanuel Calças disse, esta sexta-feira, em tribunal que, se Mustafá estivesse com o grupo que invadiu a academia do Sporting, “aquilo não tinha acontecido”.

“Tenho a certeza de que se o Mustafá estivesse presente aquilo não teria acontecido”, afirmou Emanuel Calças, durante a 33.ª sessão do julgamento, admitindo que só quando chegou “ao estacionamento de terra batida, junto à academia” percebeu que a ação não tinha o apoio da claque Juventude Leonina.

O arguido acrescentou ainda que só no momento em que Nuno Mendes [conhecido por Mustafá] não apareceu é que percebeu que não havia ligação com a Juve Leo, explicando que antes tinha visto uma mensagem no grupo de Whatsapp “de alguém a dizer que ele ia”.

Este elemento admitiu ter ido à academia numa ocasião anterior com o líder da claque, também arguido e acusado da autoria moral dos 97 crimes do processo, falar com os jogadores, reconhecendo que dessa vez passou pela segurança e foi de cara destapada.

O 14.º arguido a ser ouvido em tribunal disse que a única agressão de que se apercebeu na invasão foi quando ouviu o treinador Jorge Jesus a dizer que tinha sido agredido.

Emanuel Calças, que estagiou no gabinete de comunicação do Sporting, explicou que alguns arguidos organizaram um grupo de Whatsapp para “pressionar os jogadores sobre o que aconteceu na Madeira”, onde, dois dias antes da invasão, os leões perderam por 2-1 com o Marítimo e foram afastados do segundo lugar da I Liga e, consequentente do acesso à qualificação para a Liga dos Campeões.

O arguido, que disse ter colocado uma balaclava “por causa dos jornalistas”, afirmou não ter batido, nem ver ninguém a bater, admitindo ter pensado que o jogador Bas Dost “estava lesionado” quando o viu “a cambalear e a ser apoiado”.

No início da sessão da tarde, foi ouvido o jogador de voleibol Miguel Maia, testemunha arrolada pela defesa de Bruno de Carvalho, que descreveu o antigo líder do Sporting como “um presidente fora do normal”, destacando a sua proximidade com a equipa.

O arguido Afonso Ferreira também admitiu hoje em tribunal ter fugido “em pânico” da academia, quando viu o futebolista holandês “apoiado nos ombros de duas pessoas”.

“No corredor, antes de entrar para o balneário, vejo o Bas Dost aos ombros de duas pessoas, entrei em pânico e fugi dali. Só queria sair dali, não foi para aquilo que eu fui lá”, disse o arguido.

Afonso Ferreira, que à data dos factos tinha 19 anos, disse não se lembrar de “ter visto sangue” no corpo do futebolista, atingido na cabeça com um cinto durante a invasão.

O arguido, que entrou na academia com a cabeça “coberta com uma balaclava e em passo de corrida”, disse ter ido a Alcochete para “fazer pressão verbal para ver se os jogadores reagiam”.

O arguido Miguel Ferrão, também ouvido hoje, admitiu ter chegado ao balneário “depois de passar por Bas Dost, que não estava magoado, no corredor”, e ter-se dirigido ao jogador William Carvalho, o primeiro que viu.

“Estavam alguns jogadores, mas o primeiro que vi foi William Carvalho e disse-lhe que não era digno de vestir a camisola do Sporting”, disse, acrescentando: “Depois o Coates falou comigo, estava assustado e perguntou-me o que se estava a passar. Eu disse-lhe que também não percebia o que se estava a passar”.

Admitindo que o uso da balaclava “se calhar, era para criar um impacto maior nos jogadores”, disse ter saído do balneário quando ouviu alguém dizer: “Isto correu mal, vamos embora”.

Durante a manhã, foram também ouvidos os arguidos Paulo Patarra e Jorge Almeida, que disse ter ido a Alcochete para “dar uma força aos jogadores para o jogo de domingo [final da Taça de Portugal, com o Desportivo das Aves].

O julgamento prossegue, na próxima quarta-feira, com a audição de quatro arguidos, entre os quais Mustafá, que deverá ser ouvido à tarde.

O processo da invasão à Academia tem 44 arguidos, acusados da coautoria de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Bruno de Carvalho, Mustafá e Bruno Jacinto, ex-oficial de ligação aos adeptos do Sporting, estão acusados de autoria moral de todos os crimes.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Miranda do Corvo decreta três dias de luto municipal por morte de bombeiro

A Câmara de Mirando do Corvo decretou três dias de luto municipal em memória do bombeiro da corporação de voluntários da vila José Augusto Dias Fernandes, que morreu no sábado, durante o combate a um …

Bill Gates pede que medicamento para a covid-19 vá para os mais necessitados (e não para o "maior apostador")

O co-fundador da Microsoft Bill Gates pediu esta semana que os medicamentos e uma eventual vacina que possa surgir para a covid-19 sejam disponibilizados para quem mais precisa, e não para o "maior apostador". Citado pela …

Dois (ou três) jogadores do Flamengo podem chegar ao Benfica à boleia de Jesus

Os jogadores do Flamengo Gerson e Bruno Henrique podem chegar ao Benfica à boleia de Jorge Jesus, que tem sido apontado à Luz para suceder a Bruno Lage. Apesar de já se ter noticiado a …

Ensino Superior tem 2.370 vagas para alunos do profissional

O próximo ano letivo terá 2.370 vagas no Ensino Superior direcionadas para alunos do ensino profissional, avança o jornal Público este sábado, detalhando que, ao todo, 456 licenciaturas. As vagas em causa fazem parte do …

Horta Osório não exclui regresso a Portugal (e trabalhar fora da banca)

António Horta Osório, que em breve vai deixar a presidência executiva do banco britânico Lloyds, não exclui um regresso a Portugal no seu futuro profissional. “O meu futuro profissional [pós-Lloyds] está totalmente em aberto e …

Parede de estação de comboio na Polónia escondia carta escrita por trabalhadores forçados da 2ª Guerra

Uma carta escrita por dois trabalhadores forçados durante a II Guerra Mundial foi encontrada dentro de uma garrafa escondida na estação de comboios de Nowe Skalmierzyce, um cidade na Polónia. A carta foi descoberta por trabalhadores durante …

No século XVIII, um em cada cinco londrinos tinha contraído sífilis até aos seus 35 anos

Há 250 anos, pelo menos um em cada cinco londrinos tinha contraído "a varíola" (sífilis), causada pela bactéria Treponema pallidum, até aos seus 35 anos. Este estudo, com base em registos de internação, relatórios de inspeção e …

Cofre de antigo caçador de vampiros vai a leilão no Reino Unido. Está repleto de objetos

O cofre de um caçador de vampiros do século XIX vai ser leiloado em Dervyshire, no Reino Unido, informou a leiloeira Hansons. Em causa está uma caixa antiga, forrada a seda vermelha e decorada com …

Bombeiro morre no combate a um incêndio na Serra da Lousã

Um bombeiro morreu este sábado durante o combate a um incêndio na Serra da Lousã, disse à agência Lusa o presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes. O autarca desconhece as circunstâncias em que ocorreu a …

Cientistas descobrem os defeitos dentários que apodrecem os dentes

Os resultados deste novo estudo contribuem para o desenvolvimento de novos tratamentos para as cáries dentárias. Os investigadores capturaram o esmalte num detalhe sem precedentes. Uma equipa de investigadores está muito perto de descobrir aquilo que …