Musk está a vender todos os seus bens (para financiar uma colónia em Marte)

O CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, coroado a pessoa mais rica do mundo na quinta-feira passada, já tem planos para gastar o seu património líquido de cerca de 188 mil milhões de dólares.

O empresário multimilionário pretende investir o máximo de dinheiro possível na colonização de Marte e está a vender a maior parte dos seus bens materiais no processo, de acordo com o Business Insider numa entrevista com o CEO da Axel Springer, Mathias Döpfner, no mês passado.

“Na verdade, quase não terei bens com valor monetário, exceto as ações das empresas”, explicou Elon Musk. “Se as coisas são intensas no trabalho, gosto de dormir na fábrica ou no escritório. E obviamente preciso de um lugar se os meus filhos estiverem lá. Por isso, vou apenas alugar um lugar ou algo assim.”

Em maio do ano passado, Musk anunciou que planeava vender “quase todos” os seus pertences e que “não terá casa”. Desde então, o empresário vendeu várias casas do seu portfólio de imóveis, que já valia mais de 100 milhões de dólares.

Em 2020, Musk vendeu várias propriedades de alto valor, incluindo três casas vizinhas no bairro de Bel-Air, em Los Angeles, e uma propriedade que já chegou a pertencer ao ator Gene Wilder.

Segundo o Business Insider, Musk pode vir a desfazer-se do seu imóvel na Califórnia como parte das sua mudança para o Texas, que não cobra imposto de renda estadual.

O multimilionário disse que a principal razão pela qual está a acumular riqueza não é para bens materiais, mas para financiar uma colónia em Marte. “Eu acho que é importante a humanidade tornar-se numa civilização espacial e uma espécie multiplanetária. E vão ser necessários muitos recursos para construir uma cidade em Marte”, disse Musk. “Quero poder contribuir o máximo possível para a cidade de Marte. Isso significa muito capital.”

Aos olhos de Musk, a separação dos seus bens materiais também indica que está empenhado em ir para Marte. “Também estou a tentar deixar claro que estou a falar a sério sobre isto. E não se trata de consumo pessoal”, disse Musk. “Porque as pessoas vão atacar-me e dizer: ‘Oh, ele tem todos esses bens. Ele tem todas essas casas’. Ok, agora eu já não tenho.”

Em 2018, Elon Musk disse que queria ir viver para Marte e que havia 70% de hipóteses de o fazer.

O fundador da SpaceX planeia enviar um milhão de pessoas a Marte até 2050 e construir uma frota de mil naves estelares para transportá-los até lá. Musk pretende lançar três dos foguetes que a SpaceX está a desenvolver para viagens ao espaço profundo todos os dias.

O empresário disse ainda que pretende que haja “empréstimos disponíveis para aqueles que não têm dinheiro” e empregos no Planeta Vermelho para que os colonos consigam liquidar as suas dívidas. Alguns críticos dizem que os planos de Musk se assemelham a uma forma interplanetária de servidão contratada.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Isto só pode ser notícia de um de abril! O homem quer ir para Marte e nem sequer consegue sair da Terra?! Mas quem ele quer enganar? Nunca!

    • Consegue sim, lê as notícias relativamente ao Space X. O Foguete dele já fez várias viagens ao espaço e até já deixou um carro “solto” no espaço.

      • E daí? A semana passada fui a Toronto, e também fui pelo espaço. Mas tanto eu como o carro do Musk e os seus brinquedos espaciais, ainda estávamos muito longe de Marte.

  2. Este “espertalhionário”, espertalhão visionário, deve ter conhecido um marciano qualquer que lhe vai vender muitos lotes de terreno em Marte. Parece que é o mesmo que em tempos tentou vender a Torre Eiffel e a Ponte 25 de Abril.

RESPONDER

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …

Putin avisa que quem ameaçar a Rússia "se irá arrepender como nunca"

O presidente Vladimir Putin emitiu um alerta durante o seu discurso anual ao Governo. O líder frisou que qualquer membro da comunidade internacional que ameace a Rússia "se irá arrepender como nunca se arrependeu antes". O …

Nove anos depois, Bruxelas deixa de monitorizar atividade da CGD

A Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia (DG Comp) encerrou o processo de monitorização do plano estratégico da Caixa Geral de Depósitos (CGD). "A Caixa Geral de Depósitos, S.A. (CGD) informa que recebeu comunicação da Direção …