Luís Montenegro é o novo presidente do PSD

5

ppdpsd / Flickr

O ex-líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro

Antigo líder do parlamentar conseguiu uma margem considerável em relação a Jorge Moreira da Silva. Mais de um terço dos militantes não votou.

Não houve surpresas: Luís Montenegro venceu as eleições directas e é o novo presidente do Partido Social Democrata (PSD).

No acto eleitoral realizado neste sábado, o antigo líder parlamentar do partido recolheu 72,47% dos votos, enquanto Moreira da Silva ficou-se pelos 27,53%.

A abstenção foi elevada: entre os quase 45 mil militantes que podiam votar, mais de 17 mil não votaram. Taxa de abstenção próxima dos 40%.

Luís Montenegro tem 49 anos e é advogado. Já tinha concorrido à presidência do partido, no início de 2020, mas foi derrotado por Rui Rio, que ainda é o líder do PSD.

Muitas vezes associado a Pedro Passos Coelho, foi líder parlamentar do PSD durante seis anos, entre 2011 (ano em que Passos Coelho derrotou José Sócrates nas eleições legislativas antecipadas) e 2017.

Montenegro quer, entre outras propostas, criar uma agência anti-corrupção, não afastou totalmente uma eventual coligação à Direita (incluindo o Chega), pretende discutir a nível europeu a semana laboral de quatro dias, recuperou a intenção de haver um médico de família para cada habitante em Portugal e tentará que a neutralidade carbónica seja atingida antes de 2050.

Reacções de vencedor e derrotado

Luís Montenegro apareceu perante os apoiantes em Espinho, já depois das 22 horas, e disse que “quem ganhou foi Portugal”. E explicou: “Portugal ganhou hoje a formação de uma alternativa política ao socialismo que nos tem governado e desgovernado nos últimos anos”.

“O dia de hoje vai ficar marcado como o princípio do fim da hegemonia do Partido Socialista em Portugal. O país precisa de nós e nós não vamos falhar ao país”, assegurou.

O novo presidente do PSD garantiu que não vai “prescindir do talento” de Jorge Moreira da Silva e daqueles que o apoiaram – mas o candidato derrotado disse que não vai integrar a futura estrutura do partido.

Jorge Moreira da Silva, que “sabia ao que vinha”, salientou o facto de não ter sido apoiado por qualquer estrutura distrital do PSD, nestas eleições. Mas poderá ser candidato novamente: “Não pensar em recandidatar-me seria um disparate”.

Moreira da Silva repetiu o lamento de Luís Montenegro não ter aceitado um debate entre os dois mas, continuou, vai persistir nas suas intervenções públicas:. “Não me conformo que um país que tem tudo para vencer esteja continuamente alheado do seu futuro. Esta candidatura perdeu esta eleição, mas as suas ideias ganharam direito ao futuro”.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

5 Comments

  1. Montenegro perguntar não ofende:que ideias tens para Portugal? Se as tens como as vais aplicar? Até hoje a única coisa que te tenho ouvido falar é contra o PS, só quem não tem ideias do que fazer nem como é que desvia as atenções do essencial e o essencial é os portugueses saberem o que cada dirigente político pensa fazer pelo País mas aí todos sem excepção não dizem nada, continuo a pensar da mesma forma não temos políticos a pensar no País, mas sim da melhor maneira de chegarem ao poder, resumindo e concluindo não temos políticos dignos desse nome, temos é oportunista que se dizem políticos.

  2. São más notícias para Portugal. Embora não seja simpatizante ou eleitor do PSD, é um partido importante para a democracia portuguesa. Moreia da Silva é uma pessoa de elevada craveira intelectual e um profissional com provas dadas (fora da polítca!). Iria trazer ideias e energias novas para a política portuguesa. Já o Montenegro…. é melhor nem dizer nada.

    RIP PSD

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.