Montenegro “hipotecou-se” à China (e agora quer a ajuda da Europa para se libertar)

Montenegro aceitou um empréstimo gigante da China para construir uma rodovia. Agora, o minúsculo país montanhoso quer ajuda da União Europeia (UE) para pagar a dívida.

A situação em Montenegro é o mais recente conflito numa pressão global crescente por influência da China, que fez incursões em países economicamente fracos ao oferecer empréstimos que exigem lealdade a Pequim, mas que, por outro lado, têm poucos compromissos.

A nação montanhosa de 600 mil habitantes é membro da NATO e está prestes a entrar na União Europeia (UE), o que torna o país um alvo especialmente valioso. Segundo o The Washington Post, um dos principais focos da China é controlar elementos significativos da infraestrutura da Europa, como ferrovias e portos.

Os primeiros pagamentos da dívida de Montenegro terminam este verão. O empréstimo de mais de 831 milhões de euros é quase um quinto de toda a economia do país.

Os líderes de Montenegro garantem que não vão deixar passar o pagamento, mesmo que a UE não ajude. Contudo, os defensores de um resgate consideram que o país corre o risco de ser capturado financeiramente pela China, numa altura em que as nações democráticas falam de forma cada vez mais urgente sobre a influência chinesa em todo o mundo.

“Seria completamente irresponsável se a UE não fizesse nada”, disse Reinhard Bütikofer, um membro alemão do Parlamento Europeu. “Por que os deixaríamos sozinhos numa hora tão desesperante?”

O empréstimo foi usado para pagar a construção de parte de uma rodovia para a vizinha Sérvia. Embora a estrada, que também está a ser construída por uma empresa de Pequim, esteja anos atrasada, o banco estatal de desenvolvimento da China não está a oferecer a Montenegro uma pausa no reembolso.

Montenegro, um país de aldeias antigas e montanhas vertiginosas que se separaram da Sérvia em 2006, há muito que sofre com más estradas e ferrovias. Os líderes viram uma rodovia melhor para a vizinha Sérvia como um ponto de viragem para reiniciar a sua economia, que está fortemente dependente de turistas e investidores russos.

Porém, os críticos disseram que o contrato que Montenegro assinou com a China foi preenchido com dinheiro extra para funcionários corruptos e tornou o país demasiado dependente de um ator geopolítico que é rival das democracias em todo o mundo.

“É muito raro ter uma rodovia tão cara”, disse o novo ministro das Finanças do país, Milojko Spajic.

O contrato chinês, que é apenas para o primeiro trecho da rodovia, custa quase 19,8 milhões de euros por quilómetro e resolver o pagamento da dívida tornou-se uma prioridade para os líderes do país.

Como se não bastasse, a economia de Montenegro foi, tal como noutros países, atingida pela pandemia. A economia caiu mais de 15% em 2020, de acordo com uma estimativa do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Agora, o país quer estreitar os seus laços com a UE e reduzir a sua dependência da Rússia e da China. O movimento económico ajudaria a corresponder às suas ambições geopolíticas: juntou-se à OTAN em 2017 e quer entrar na UE assim que o bloco europeu o permitir.

Spajic disse que Montenegro está a procurar fundos de desenvolvimento europeus para ajudar a construir a infraestrutura. Refinanciar o empréstimo chinês a uma taxa mais baixa seria parte dessa ajuda.

As discussões já estão em andamento há algum tempo. Divisões foram abertas esta semana depois de a Comissão Europeia ter rejeitado o pedido de ajuda.

“Cada país é livre para estabelecer os seus próprios objetivos de investimento”, disse o porta-voz da Comissão Europeia, Peter Stano. “Não estamos a reembolsar os empréstimos que estão a receber de terceiros.”

Contudo, um importante aliado do presidente francês Emmanuel Macron disse que o seu país está a procurar uma forma de ajudar.

“Estamos a trabalhar com a Comissão Europeia para encontrar o apoio da UE e reduzir a dependência da China nos Balcãs”, escreveu Clément Beaune, ministro francês da Europa, no Twitter. “Esta ajuda da UE deve aumentar a consciencialização sobre a ajuda semelhante a uma miragem oferecida pelos nossos concorrentes”.

https://twitter.com/CBeaune/status/1381628443452973062

Vincular a ajuda ao empréstimo de forma muito direta pode ser politicamente difícil, uma vez que muitas autoridades europeias não querem estar em posição de pagar um empréstimo chinês que foi alvo de alertas dos líderes europeus.

A omissão de ação pode levar a consequências dramáticas. Os termos exatos do empréstimo de Montenegro permanecem secretos, mas empréstimos semelhantes noutros lugares exigem garantias que incluem terrenos e infraestrutura.

Quando o governo do Sri Lanka falhou em 2017 em manter os pagamentos de um porto construído e financiado pela China, foi pressionado a transferir o controlo da instalação para a China nos 99 anos seguintes.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Mas alguém sabe o que são “831 mil milhões de euros” e o que é que um montante destes significa (cerca de 4 vezes o nosso PIB que é um nadinha maior que o do Montenegro)? Dêem mais atenção à correcção dos dados senão um destes dias ninguém sabe o que é milhão ou bilião. Já basta a confusão dos biliões anglo-saxónicos ou dos “bilhões ” brasileiros que parecem saídos de um livrinho do Tio Patinhas!

  2. é assim que a china vai controlando o mundo.
    empresta dinheiro e quando nao podem pagar, tomam conta do pais.
    qualquer dia o mindo todo é chines.ha mais paises nesta situaçao

  3. Eles mereciam que vira-se-mos as costas porque não ouviram os nossos avisos realmente é verdade, o que a china anda a fazer é isso empresta e depois estás fod. se não pagas, querem controlar o mundo. Ora bem a Europa queira ou não pode muito bem pagar e ficam a dever-nos a nós (salvo seja) e não deixar que aconteça exactamente o que a China quer e ao mesmo tempo virar mais um para a europa, por muito pequeno que seja é mais um, ( grão a grão enche a galinha o papo )

  4. “O contrato chinês, que é apenas para o primeiro trecho da rodovia, custa quase 19,8 milhões de euros por quilómetro e resolver o pagamento da dívida tornou-se uma prioridade para os líderes do país.”

    … estrada a 20mil euros o metro parece-me um pouco caro, o Tino de Rans nos tempos áureos fazia isso por um pouco menos, pena não lhe terem dado o contacto.

  5. Em primeiro lugar, esses contratos não podem ser escondidos do povo, pois é ele que é chamado a pagar a dívida que não autorizou, mas sim um pequeno bando de corruptos.
    Se estas dívidas fossem transferidas a quem de direito, ou seja, a essa banda de corruptos, então resolver-se-ia muitos dos problemas.

  6. Empréstimos envolvendo compromissos políticos só são autorizados aos Estados Unidos que transformam os devedores em vassalos. A China não pode…

RESPONDER

PRR tem 36 milhões para apoiar contratação de 350 “cientistas”

O Governo tem 186 milhões de euros no Plano de Recuperação e Resiliência para reforçar e capacitar o Sistema Científico e Tecnológico nacional e fomentar a sua articulação com a indústria. Segundo avança o ECO, uma …

Comissão de revisão constitucional proposta pelo Chega deverá acabar rapidamente

A comissão de revisão constitucional proposta pelo Chega vai tomar posse na próxima quinta-feira, mas deverá acabar depressa, uma vez que apenas a Iniciativa Liberal apresentou projeto. A presidência da comissão cabe ao PS, a primeira …

Candidatura ibérica ao Europeu de andebol. Lisboa é a única cidade portuguesa

O campeonato da Europa da modalidade, em 2028, pode ser realizado em diversas cidades espanholas. E na capital portuguesa. A Federação de Andebol de Portugal e Real Federação Espanhola de Andebol confirmaram nesta terça-feira que submeteram …

Uber usou 50 empresas de fachada holandesas para evitar impostos, revela relatório

A Uber recorreu a cerca de 50 empresas de fachada holandesas para reduzir a sua carga fiscal global, revelou a mais recente investigação do australiano Center for International Corporate Tax Accountability and Research. Segundo avançou o …

Task force traça nova meta e prevê 70% da população vacinada até ao início de agosto

O processo de vacinação em Portugal vai contar, a partir deste segundo trimestre, com uma maior quantidade de vacinas disponíveis, principalmente a partir do final deste mês. Esta quarta-feira, no Parlamento, o vice-almirante Henrique Gouveia e …

Mais quatro mortes e 485 casos em Portugal. R(t) sobe ligeiramente

Esta quarta-feira, Portugal regista mais quatro óbitos e 485 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

Coroa de diamantes e safiras da rainha Maria II vai hoje a leilão em Genebra

A leilão vai também, esta quarta-feira, um conjunto de adornos, igualmente em safiras e diamantes, da coleção de Estefânia de Beauharnais, filha adotiva de Napoleão I Várias joias que pertenceram a casas reais europeias, entre as …

40 mortos em manifestações contra Governo na Colômbia. Presidente anuncia investigação a abusos policiais

Mais de 40 pessoas morreram nas manifestações contra o governo da Colômbia que começaram há duas semanas, segundo a organização não-governamental (ONG) Temblores. Em relatório divulgado na terça-feira, a ONG colombiana contabiliza pelo menos 40 mortes …

Netanyahu avisa: Hamas "vai receber ataques que não espera"

A escalada de violência continua em Israel e nos territórios palestinianos ocupados e já há vítimas mortais dos dois lados. O Conselho de Segurança das Nações Unidas volta a reunir-se de emergência esta quarta-feira. As forças …

Pela primeira vez, Governo admite que aplicação Stayway Covid não funcionou

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, um dos primeiros governantes a ver o protótipo da aplicação de rastreio de casos de covid-19, admitiu que a StayAway Covid não funcionou. Segundo Manuel Heitor, …