“Insultos são a arma dos fracos”. Ministro defende lei das minas e lança farpas a Catarina Martins

Mário Cruz / Lusa

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes

Matos Fernandes defende acerrimamente o novo decreto lei da exploração mineira e lança farpas a Catarina Martins, que o criticou: “Insultos são a arma dos fracos”.

No domingo, o Bloco de Esquerda anunciou que ia pedir a apreciação parlamentar do decreto que regula a lei das minas e acusou o ministro do Ambiente de ser “mais rápido a defender negócios” do que recursos naturais.

“O Governo fez recentemente o decreto que regulamenta a lei das minas, no qual se permite que haja minas mesmo nas áreas protegidas. Permite que se possa ir buscar o lítio e outras matérias, tudo o que der para lucrar milhões para alguns, em qualquer zona do país”, apontou a coordenadora do Bloco, Catarina Martins.

Em resposta, em declarações à agência Lusa, João Pedro Matos Fernandes repudiou as posições assumidas por Catarina Martins.

É uma declaração infame. É infame, infundada e sem qualquer exemplo que a doutora Catarina Martins consiga dar”, reagiu o ministro do Ambiente. “Atrasar a vigência do decreto que regula a lei das minas apenas protege arrivistas e garimpeiros”.

Agora, em entrevista ao Expresso, Matos Fernandes explica o que quis dizer com isto, visto que a lei não é suspensa e apenas deverá ser debatida e revista na Assembleia da República em setembro.

“Os insultos são verdadeiramente a arma dos fracos e ficam mesmo com quem os provoca. Este novo decreto lei, regulamenta uma lei que vem do Governo anterior e, do ponto de vista ambiental, tem um regime que é em tudo melhor do que o vigente. O único exemplo que foi dado como assim não sendo, e que esta lei não regula, é o dos recursos marinhos sobre os quais não há aqui uma linha. Quando se diz que relativamente ao mar há uma desproteção, isso é falso”, disse o governante.

Relativamente à mineração dos fundos marinhos, Matos Fernandes justifica que foi uma decisão do Governo não a incluir nesta regulamentação, “porque é necessário haver uma discussão específica sobre essa questão”.

Confrontado com o facto de continuamos sem ter planos de gestão ativos das áreas de Rede Natura 2000, o ministro argumenta que “não é no decreto lei das minas que essas decisões devem ser tomadas”.

“E já agora, até parece que, na forma colocada por Catarina Martins, anteriormente havia regras mais limitativas. São agora muito mais limitativas!”, atirou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …