/

Ministro avisa Governo: “Investimentos parados terão os fundos cortados”

Nelson de Souza foi muito claro ao avisar os restantes ministros que os investimentos que não avançassem até ao final do mês, teriam os seus fundos comunitários cortados.

O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, lançou um ultimato ao Governo após se ter reunido com os outros ministros que gerem pastas com fundos europeus atribuídos. Nelson de Souza avisou que quem não conseguir concretizar os projetos até ao final do mês de novembro, fica sem os fundos.

Não só a execução dos fundos europeus do Portugal 2020 estão em causa, mas também a negociação para o Portugal 2030. De forma a potenciar os fundos comunitários, Nelson de Souza não está com meias medidas e já deixou o aviso aos seus colegas de Governo.

Em entrevista exclusiva ao jornal Expresso, o ministro do Planeamento garante que não há outra alternativa: “Toda a Ferrovia 2020, os metros, os portos e demais investimentos públicos e privados terão mesmo de avançar“, reforçou.

A resolução destes investimentos é de ordem prioritária, já que ” há projetos aprovados, mas que nunca mais foram contratados porque, por exemplo, não têm condições para serem licenciados” e outros que nunca se iniciaram ou que se iniciaram, mas depois pararam. Empresas, autarquias, universidades – “esta medida tem de ser igual para todos”, realçou.

O ministro reitera que Portugal não pode desperdiçar estes fundos comunitários, aplicando-os noutros investimentos que importam ao país.

Em relação ao Portugal 2030, Nelson de Souza mostra-se otimista em conseguir um envelope de fundos semelhante ao do Portugal 2020. “Em causa está a necessidade de chegarmos a um consenso rápido até porque a política de coesão é praticamente o único instrumento poderoso de estímulo económico”, disse.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE