Ministério da Saúde alinha com o Fisco para cobrar taxas moderadoras à força

(dr) Hospital de São João

-

A edição desta segunda-feira do Diário de Notícias revela que vai arrancar em setembro um projeto-piloto para cobrar coercivamente as taxas moderadoras.

O projeto vai arrancar no Centro Hospitalar do Alto Ave, em Guimarães, e funcionará através de uma ferramenta, denominada SITAM, criada pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), que envia informação para as Finanças tendo em vista a cobrança de taxas moderadoras quando não são pagas dentro do prazo legal.

O sistema permite que o utente receba uma referência para pagar as taxas em qualquer multibanco no prazo de 48 horas, sempre que for às urgências ou a uma consulta. Se a taxa não for paga, segue uma carta de aviso para o pagamento num período de 10 dias. Há ainda uma terceira possibilidade para pagar, com um novo prazo de dez dias através de carta registada, enviada automaticamente para a morada fiscal.

A partir daí – ou seja, cerca de um mês depois da consulta ou atendimento hospitalar -, caso o valor não seja pago, procede-se à cobrança coerciva. Para isso, o sistema informático do Ministério da Saúde envia a informação com todas as dívidas em atraso, a nível nacional, para a Autoridade Tributária.

As multas vão de 30 euros até cinco vezes o valor da dívida. Até agora, o pagamento de taxas moderadoras em dívida prescrevia ao fim de três anos.

“Aplaudido” por uns, “não tem cabimento” para outros

O Movimento de Utentes de Saúde considera não ter cabimento a criação de uma ferramenta para o fisco cobrar taxas moderadoras em dívida, defendendo que o que devia preocupar o Governo é a eliminação dessas taxas.

“A cobrança coerciva [de taxas moderadoras] não tem cabimento”, disse à agência Lusa Manuel Villas-Boas, acrescentando que existem já, em sede da Assembleia da República, propostas para a revogação da medida, nomeadamente por parte do grupo parlamentar do PCP.

O responsável adiantou ainda que o Movimento dos Utentes reivindica “há muito” a eliminação das taxas moderadoras e considerou que o ministro da Saúde está “mais preocupado” com as taxas do que com o Serviço Nacional de Saúde e a prestação dos cuidados médicos aos doentes.

“O ministro da Saúde está a obrigar ao pagamento de taxas sabendo que a maioria dos utentes, com o aumento do custo de vida, não o pode fazer. É um contrassenso”, frisou Manuel Villas-Boas.

Por outro lado, a presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Marta Temido, aplaude o novo sistema, já que cobrar taxas moderadoras em falta não é uma tarefa dos hospitais.

Em declarações à Antena 1, a responsável afirma que a medida “corresponde àquilo que há muito tempo os hospitais sentiam como uma necessidade, na medida em que havia uma etapa incontornável na prestação de cuidados de saúde, que é a cobrança da taxa moderadora que é devida, que até à data de alguma forma também passava pelos próprios hospitais”.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui há três semanas atrás recebi uma carta para pagar uma taxa moderadora devido a uma urgência de há 3 anos atrás no hospital de Cascais. Davam 10 dias (em pleno período de férias!) para pagar o que eles não quiseram cobrar, caso contrário tinha de pagar multa. Antes de avançar para a coerciva que tal ter um sistema de facturação que funcione?

  2. Pois, um dia desta a população vai se revoltar como fizeram em frança em que a guilhotina cortou a cabeça até da rainha… Ai se segurem…

RESPONDER

Comissão Europeia aprova comercialização da primeira vacina para o Ébola

A Comissão Europeia anunciou no início da semana que concedeu uma autorização para a comercialização da primeira vacina contra o Ébola, designada Ervebo e produzida pela farmacêutica Merck. A vacina estava a ser produzida desde o …

Facebook lança o seu próprio MB Way

O Facebook lançou nos Estados Unidos uma nova funcionalidade para facilitar pagamentos através das quatro principais aplicações do grupo, que é semelhante ao funcionamento das transações com o MB Way. Em comunicado, Deborah Liu, responsável do …

O dilema dos chumbos, o "engano" de Ventura e o "falso liberal". O primeiro debate aqueceu

O primeiro debate quinzenal da legislatura arrancou esta quarta-feira e ficou marcado pelas retenções até ao 9.º ano - Chumba ou não chumba?, quis saber a direita, bem como pelo aumento do salário mínimo nacional …

Sondagem europeia defende tratado internacional que proíba "robôs assassinos"

Quase três em cada quatro pessoas querem que o seu governo colabore com outros países para proibir sistemas letais de armas autónomas. A organização não-governamental Human Rights Watch (HRW) divulgou esta quarta-feira os resultados de uma …

Pentágono está a criar bactérias que detetam explosivos no subsolo

O Pentágono, em conjunto com a empresa de defesa Raytheon, está a desenvolver um sistema capaz de produzir bactérias geneticamente modificadas no subsolo, com o objetivo de detetar explosivos no subsolo. Neste projeto, iniciado pela Agência …

Hospitais voltam a não poder aumentar número de trabalhadores sem visto da tutela em 2020

Os hospitais vão continuar em 2020 impedidos de aumentar o número de trabalhadores sem a autorização prévia do Ministério da Saúde, segundo um despacho a que a agência Lusa teve acesso. O despacho assinado pelo secretário …

Onda crescente de ataques com explosivos alarma Suécia

A Suécia tem visto um aumento sem precedentes de ataques com explosivos. Em outubro, Estocolmo foi alvo de três ataques em apenas uma noite.  Se pensarmos num país com guerras de gangues constantes, o último nome …

Ruben foi libertado depois de passar 11 anos na prisão por crimes que não cometeu

Ruben Martinez Jr. saiu em liberdade do Supremo Tribunal de Los Angeles após ter passado 11 anos na prisão por uma série de assaltos à mão armada que não cometeu. Um homem que passou 11 anos …

Um em cada três portugueses não vai ao dentista ou só vai em caso de emergência

Mais de 30% dos portugueses não vão ao dentista ou só o fazem em caso de urgência e quase 10% não tem qualquer dente, segundo o Barómetro da Saúde Oral de 2019. De acordo com os …

Pintura de Monet rende 25 milhões de euros em leilão

A Sotheby's vendeu por 27,6 milhões de dólares (25 milhões de euros) uma pintura de Claude Monet, "Charing Cross Bridge", na terça-feira à noite em Nova Iorque num leilão de arte impressionista e moderna. O trabalho …