Metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona mantê-lo

A pandemia veio mudar a forma como trabalhamos. Quase metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona manter a atividade, ou parte dela, em regime de trabalho remoto. 

De acordo com um inquérito da CIP – Confederação Empresarial de Portugal, divulgado esta segunda-feira, quase metade das empresas portuguesas pretende manter a sua atividade, ou parte dela, em regime de teletrabalho.

Dados do estudo Sinais Vitais, realizado em parceria com o Future CastLab do ISCTE, revelam que, das 63% de empresas que podiam adotar o teletrabalho, 92% fizeram-no, e 48% tenciona manter o teletrabalho na sua empresa de uma forma permanente, mesmo após a pandemia.

No entanto, adianta o Público, a maioria (74%) aplicou o teletrabalho parcial e não a todos os trabalhadores. Mesmo assim, 26% estiveram a trabalhar totalmente em teletrabalho.

“As empresas aderiram muito rapidamente a esta forma de trabalho. Mais de 90% das empresas que o podiam fazer, fizeram-no. Havia alguma inexperiência inicialmente, mas os resultados mostram que foram bem-sucedidas. 10% das empresas respondeu que aumentou a produtividade”, explicou Rafael Campos Pereira, vice-presidente da CIP.

Embora 10% das empresas diga que a produtividade melhorou, 43% não registou qualquer ganhou ou perda de produtividade em teletrabalho e e 31% considera que é cedo para avaliar. Os restantes 16% acham que a produtividade piorou.

Apesar disso, quase nove em cada dez empresas que recorreu a esta modelo de trabalho considera que os processos internos (de gestão, administrativos, de suporte informático) foram facilmente executados.

O inquérito da CIP revela ainda que, na situação de ter trabalhadores em teletrabalho, mais de duas em dez empresas responderam que a solução preferível seria “manter o teletrabalho todos os dias da semana, com idas pontuais às empresas”, enquanto 50% das empresas considera preferível ter situações de teletrabalho dois ou três dias da semana.

Do lado dos trabalhadores a resposta também foi favorável, com 57% das empresas a considerar que o teletrabalho teve aceitação elevada ou muito elevada por parte dos seus funcionários.

Para os gestores, a principal desvantagem do regime é a dispersão dos trabalhadores com assuntos domésticos e familiares (43%). A falta de comunicação entre equipas (30%) e a falta de controlo (15%) foram os outros fatores negativos mais referidos.

Entre as vantagens estão a redução de custos de funcionamento e com instalações (apontada por 27%), a motivação dos trabalhadores (26%) e um aumento de produtividade (15%).

O diário aponta ainda que 18% referiram outra questão relevante: a capacidade de poder contar com trabalhadores mais qualificados e que não estariam disponíveis num regime presencial, por razões geográficas ou familiares.

Em relação ao Código de Trabalho, o dirigente referiu que, para já, não há necessidade de o rever. “Por enquanto, não há necessidade de se rever o Código de Trabalho, o qual prevê um acordo entre as partes. É cedo para tirar conclusões, mas queremos fazer uma reflexão mais aprofundada.”

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …

FC Porto já só sonha com o título, mas Amorim não faz vida fácil aos "dragões"

O FC Porto só precisa de empatar com o Sporting CP para ser campeão. Rúben Amorim quer estragar a festa dos portistas, embora não lhe interessem quer acabe por vencer o campeonato. O SL Benfica manteve …

Companhias aéreas e aeroportos arriscam multas até 2 mil euros por cada passageiro sem teste negativo

O Governo clarificou esta terça-feira as regras sobre tráfego aéreo e gestão de aeroportos no quadro da pandemia de covid-19 e estabeleceu o regime sancionatório do incumprimento dessas regras. "Clarificam-se regras referentes ao tráfego aéreo e …

GES já estava falido cinco anos antes de colapsar. Salgado acusado de 65 crimes

O Ministério Público acusa o ex-banqueiro Ricardo Salgado de 65 crimes no âmbito do caso BES. O Grupo Espírito Santo já estava falido cinco anos antes de colapsar. O Ministério Público proferiu, esta terça-feira, o despacho …

De achado a fardo. RDT complica contas do recém-despromovido Espanyol

O ex-Benfica RDT está a complicar as contas da próxima temporada do recém-despromovido Espanyol, uma vez que aufere quase meio milhão por mês e que a descida ao segundo escalão do futebol espanhol obriga a …

Governo quer desenvolver interligação elétrica a Marrocos que consta no plano de Costa e Silva

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, disse esta quarta-feira que o Governo quer desenvolver a questão da interligação elétrica a Marrocos, contemplada na versão preliminar do plano de recuperação económica do gestor da …