“Este mês é perigosíssimo!” Costa avisa que “não podem ir à terra e ao Algarve” na Páscoa

Mário Cruz / Lusa

O secretário-geral do Partido Socialista (PS) e cabeça de lista por Lisboa, António Costa

“As pessoas não podem ir à terra!” O alerta é de António Costa que avisa que este mês de Abril “é perigosíssimo” por causa da Páscoa, admitindo “apertar mais um bocadinho” as medidas. O primeiro-ministro recomenda também aos emigrantes que não venham passar a quadra com a família, para evitar a propagação de Covid-19.

Alertas feitos por Costa durante uma entrevista à apresentadora Cristina Ferreira no seu programa matinal na SIC. O primeiro-ministro foi à “casa” da apresentadora na televisão para realçar que “este mês é perigosíssimo” porque se assinala a Páscoa.

“Vamos ter de viver a Páscoa de forma radicalmente diferente”, constata Costa, frisando que “as pessoas não podem ir à terra”. “Se os nossos números são bons devem-se à disciplina dos portugueses”, realça o primeiro-ministro.

O governante deixa também um pedido aos emigrantes portugueses, reconhecendo que é “uma coisa duríssima, mas que é preciso dizer”. “Este ano não venham”, pede Costa, lembrando-lhes que “se vierem, não podem sair de casa”.

“Não é uma época para grandes jantaradas”, considera ainda o primeiro-ministro, sublinhando que as “famílias numerosas vão ter que estar juntas separadas, cada uns nas suas casas”.

Costa admitiu ainda a possibilidade de as escolas, ou pelo menos algumas, poderem abrir, “porventura, no início do mês de Maio“. Isso poderá ocorrer no melhor dos cenários, mas a decisão sobre as escolas e a forma como vai ser o terceiro período só vai ser tomada no início da próxima semana. Certo é que o Governo vai manter “a regra” em que tem apostado, “máxima contenção com o mínimo de perturbação”, como realça António Costa.

O primeiro-ministro salienta a importância de “salvar o ano” lectivo num “ano absolutamente extraordinário”. Costa frisa que não é importante apenas a “justiça na avaliação”, mas também garantir “as melhores oportunidades” a todos e as “aprendizagens”. “Não podemos perder anos”, considera ainda.

Entretanto, o Governo vai “continuar a desenvolver através das escolas todas as plataformas digitais” e a “estudar ao máximo todas as possibilidades” para que os estabelecimentos de ensino possam ir abrindo gradualmente.

“Temos de ser sinceros uns com os outros, não sabemos se vamos estar um, dois ou três meses nesta situação. Isto é assustador para todos“, acrescenta o primeiro-ministro, admitindo que podem ser tomadas novas medidas no âmbito do Estado de Emergência. Certo é que este deve ser ampliado nesta quinta-feira por Marcelo Rebelo de Sousa, assume Costa.

O primeiro-ministro também avisa que o Governo vai assumir medidas “mais claras nesta altura da Páscoa”. “As pessoas não podem ir à terra e ao Algarve. Possivelmente, vamos ter de apertar mais um bocadinho nas medidas”, sustenta.

“Vamos viver mais um Inverno com o vírus e sem vacina”

Costa também destaca que “não vai haver vacinas antes da Primavera, Verão do próximo ano”. Por isso, é certo que “vamos viver pelo menos mais um Inverno com o vírus e sem vacina”, alerta, salientando que, entretanto, é preciso “conter a mola para que não haja uma situação de contaminação generalizada”. Algo que “seria dramático para o Sistema de Saúde e para a vida das pessoas”, diz.

Quanto à falta de material no Serviço Nacional de Saúde (SNS), Costa refere que “há uma luta mundial por ventiladores, por óculos, viseiras, máscaras, por tudo”. É uma “luta brutal em todo o mundo” porque “objectivamente não há” material, salienta Costa.

O primeiro-ministro repara que o mundo está “a pagar a factura” pelo facto de “grande parte” dos produtos que são necessários nos serviços de saúde “serem produzidos num único país”, a China, que esteve parada devido à pandemia.

Neste âmbito, o governante destaca o facto de a indústria portuguesa estar a transformar-se para produzir ventiladores, viseiras, máscaras, entre outros equipamentos.

Por fim, o primeiro-ministro reforça o apelo à disciplina. “Eu quando vou ao médico queixar-me, aceito o diagnóstico e faço o que ele manda“, diz, frisando que, neste caso, “o médico é a DGS”, ou seja, a Direcção Geral de Saúde.

Costa realça que é preciso evitar, a todo o custo, que o SNS entre em ruptura, o que obrigará a que seja necessário tomar decisões difíceis, nomeadamente decidir quem deve ser ou não tratado.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. O sr. Pedro Coelho dizia que vinha o Diabo e seria ele o responsável pela calamidade, o sr. António Costa diz que é o vírus e a China.

    Ao ponto a que chegamos.

  2. Seria interessante que a tal Grande Parte dos produtos necessários aos serviços de saúde, deixassem de ser produzidos num único país.
    Talvez a Europa acorde.

RESPONDER

Norte sem contágios por covid-19. Grande Lisboa regista 96,5% dos novos casos

Portugal regista hoje 1.424 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que no domingo, e 32.700 infectados, mais 200, segundo o boletim da Direcção-Geral de Saúde (DGS). 193 dos novos casos são na área …

Aviões deixam de ter lotação reduzida a partir desta segunda-feira

Os aviões deixam, a partir desta segunda-feira, de ter a lotação de passageiros reduzida a dois terços, mas o uso de máscara comunitária é obrigatório. O Governo alinhou, assim, as regras nacionais pelas regras europeias no …

Marcelo pede que não se passe do "8 para o 80" e alerta para imagem do país

O Presidente da República reiterou hoje o apelo à população para que não se passe “do 8 para o 80” nas medidas de prevenção da covid-19, alertando para os riscos da imagem do país “cá …

Só metade das crianças deverá voltar ao pré-escolar esta segunda-feira

As crianças em idade pré-escolar regressam esta segunda-feira aos jardins de infância, que voltam a funcionar com novas regras, depois de encerradas durante mais de dois meses, devido à pandemia da covid-19. Apesar do regresso, que …

Dois astronautas (e um dinossauro de peluche) chegaram à EEI à boleia da SpaceX

Para além dos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken, seguia a bordo da Crew Dragon um dinossauro de peluche com lantejoulas. E há uma explicação para isso. Este sábado, o foguetão Falcon 9, da SpaceX, fez …

Pescadores já podem capturar sardinha, mas recuo no consumo é uma preocupação

Os pescadores voltam a poder capturar sardinha, a partir desta segunda-feira, e até 31 de julho, com limites diários e semanais, segundo um despacho publicado em Diário da República. De acordo com o diploma, assinado pelo …

Madeirense contesta quarentena obrigatória em Tribunal (e há uma sentença que lhe dá razão)

Uma cidadã madeirense que chegou no domingo à Madeira e recusa cumprir quarentena num hotel entregou um pedido de ‘habeas corpus’ no Juízo de Instrução Criminal do Tribunal do Funchal. A acompanhar o pedido está …

Idade é o maior factor de risco para se ser internado ou morrer de covid-19

As pessoas com idades entre os 70 e os 79 anos infetadas pelo novo coronavírus têm uma probabilidade de ser internadas em cuidados intensivos 10,4 vezes superior à de uma pessoa até aos 50 anos. Os …

Turismo de Portugal tem 10 milhões para apoiar campanhas de empresas que promovam o país

O Turismo de Portugal tem dez milhões de euros, que vão servir para financiar iniciativas “de valorização, inovação e promoção do destino Portugal” até 2025. A dotação de dez milhões de euros, aprovada por despacho de …

"Perdi quase tudo no casino." Daniel Kenedy explica adeus ao futebol com o vício

O ex-futebolista Daniel Kenedy, que passou por clubes como Benfica, FC Porto, Marítimo e Sporting de Braga, revela que perdeu "quase tudo" no casino por causa do vício do jogo, apontando este problema como uma …