Merkel admite que acordo TTIP não será concluído

Moritz Hager / World Economic Forum

Angela Merkel, chanceler alemã

Angela Merkel, chanceler alemã

A chanceler alemã admitiu esta quinta-feira que o acordo de livre comércio entre os Estados Unidos e a União Europeia não será concluído agora, após a eleição de Donald Trump, opositor daquele tratado e defensor de uma política comercial protecionista.

“Sempre estive firmemente empenhada na conclusão de um acordo de comércio com os Estados Unidos, e fizemos muitos progressos nas negociações, mas não serão concluídas agora“, afirmou Angela Merkel.

A chanceler alemã esteve em conversações com o ainda Presidente norte-americano, Barack Obama, que está a realizar uma visita oficial à Alemanha, naquele que será o seu último périplo europeu enquanto chefe de Estado.

O acordo de livre comércio transatlântico está em negociação desde 2013 e era um dos principais focos da administração Obama.

Ao lado de Obama, Merkel afirmou esperar, no entanto, que o acordo seja possível “um dia”.

“Tenho a certeza que um dia poderemos voltar. O que nos une é a convicção comum de que a globalização deve ser organizada humanamente, politicamente, mas não há como voltar ao tempo antes da globalização”, reforçou a chanceler.

Da sua parte, Obama sublinhou que a Merkel foi uma parceira internacional “extraordinária”, afirmando que a política demonstrou integridade, veracidade e o reconhecimento de que ser um bom líder significava também se envolver com o mundo.

“Tudo o que posso dizer é que a chanceler tem sido uma parceira extraordinária e que a chanceler Merkel foi talvez o único líder entre os nossos aliados mais próximos que estava presente quando eu cheguei”, referiu o Presidente norte-americano.

Barack Obama acrescentou que, caso fosse alemão e Merkel fosse candidata nas eleições legislativas de 2017, votaria nela sem qualquer dúvida.

Ainda na conferência de imprensa conjunta com Merkel, Obama declarou esperar que o seu sucessor na Casa Branca, o Presidente eleito Donald Trump, “enfrente” a Rússia quando Moscovo violar as normas internacionais, numa referência aos conflitos na Síria e na Ucrânia.

“Espero que o Presidente eleito tenha a vontade de enfrentar a Rússia quando ela não respeitar os nossos valores e as normas internacionais”, declarou.

Ao citar “a violação das normas internacionais“, o governante salientou o risco de colocar “países mais pequenos vulneráveis” ou de criar “problemas a longo prazo em regiões como a Síria”.

“É um assunto sobre o qual teremos mais informações mais à frente e à medida que o Presidente eleito componha a sua equipa”, prosseguiu Obama, numa altura em que se discute a manutenção das sanções existentes contra Moscovo na sequência da crise no leste da Ucrânia.

Esta sexta e última visita oficial à Alemanha de Obama será concluída esta sexta-feira com uma minicimeira com “os mais estreitos aliados europeus dos Estados Unidos” para debater, entre outros pontos, a relação política e económica entre a Europa e Washington.

Depois de uma visita à Grécia e desta passagem por Berlim, Obama segue depois para o Peru, para participar numa cimeira do Fórum de Cooperação Económica Ásia-Pacífico.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Vacinação de crianças divide peritos. Mas sem a inoculação dos mais novos a imunidade pode não chegar

Na sexta-feira, a Direção-Geral de Saúde anunciou que recomenda que a vacinação contra a covid-19 de jovens dos 12 aos 15 anos com comorbilidades. No entanto, o tema está a gerar controvérsia e divide opiniões …

Governo com margem política para abdicar de 15% do Novo Banco

Em 2022, o Governo tem margem política para abdicar do direito de entrar como acionista no Novo Banco (NB), inicial­mente com uma participação de mais de 2%, mas que pode subir a 15%. Para já, nem …

Tóquio2020. Biles renuncia também às finais de salto e barras assimétricas

A ginasta norte-americana Simone Biles, que renunciou à final do concurso geral individual dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, também não vai participar das finais de domingo de salto e barras assimétricas, informou esta sexta-feira a Federação …

Governo não pediu parecer à CNPD sobre as "bodycams" em polícias. Método vai "aumentar a transparência"

A proposta da nova lei da videovigilância, que vai permitir que os polícias passem a usar câmaras nos uniformes, já foi aprovada em Conselho de Ministros, mas ainda não chegou ao Parlamento. Também não foi …

Marcelo reuniu com Lula, mas não revela o teor da conversa. Presidente diz que visita é apenas de cariz cultural

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse sexta-feira à chegada a São Paulo que a cultura tem um "papel fundamental" na convergência entre Portugal e o Brasil, rejeitando que a agenda alargada de …

PSP abre processos disciplinares por uso indevido de farda em manifestação

A PSP abriu processos disciplinares, por uso indevido e incorreto do uniforme, a agentes que participaram em 21 de junho, em Lisboa, numa manifestação organizada pelo Movimento Zero, confirmou esta sexta-feira à Lusa o porta-voz, …

Por onde passou o caminho bíblico da Judeia a Edom? Cientistas encontram respostas

Por onde passava o caminho bíblico que ligava o reino de Judeia à nação vizinha de Edom? Um novo estudo dá novas pistas sobre o possível percurso da estrada. Os investigadores israelitas sugerem que havia, pelo …

PCP diz que acusação a grupos hospitalares privados por acordo anticoncorrencial evidencia "cartelização"

O PCP considerou esta sexta-feira que a acusação da Autoridade da Concorrência a cinco grupos hospitalares privados por acordo anticoncorrencial, confirma a “prática parasitária e de cartelização” destes grupos, que fazem “da doença um negócio”. O …

Ensino Superior. Vagas voltam a aumentar com Porto, Lisboa e Aveiro na frente

O concurso nacional de acesso ao ensino superior volta a registar um aumento do número de vagas, segundo dados divulgados este sábado, que mostram Lisboa, Porto e Aveiro com o maior crescimento. Depois de, no ano …

Os pterossauros conseguiam voar assim que eclodiam dos ovos

Os pterossauros tinham asas suficientemente longas e ossos suficientemente fortes para conseguirem sustentar o voo depois de eclodirem. Uma equipa de cientistas da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, descobriu que os pterossauros recém-nascidos seriam capazes …