Merkel admite que acordo TTIP não será concluído

Moritz Hager / World Economic Forum

Angela Merkel, chanceler alemã

Angela Merkel, chanceler alemã

A chanceler alemã admitiu esta quinta-feira que o acordo de livre comércio entre os Estados Unidos e a União Europeia não será concluído agora, após a eleição de Donald Trump, opositor daquele tratado e defensor de uma política comercial protecionista.

“Sempre estive firmemente empenhada na conclusão de um acordo de comércio com os Estados Unidos, e fizemos muitos progressos nas negociações, mas não serão concluídas agora“, afirmou Angela Merkel.

A chanceler alemã esteve em conversações com o ainda Presidente norte-americano, Barack Obama, que está a realizar uma visita oficial à Alemanha, naquele que será o seu último périplo europeu enquanto chefe de Estado.

O acordo de livre comércio transatlântico está em negociação desde 2013 e era um dos principais focos da administração Obama.

Ao lado de Obama, Merkel afirmou esperar, no entanto, que o acordo seja possível “um dia”.

“Tenho a certeza que um dia poderemos voltar. O que nos une é a convicção comum de que a globalização deve ser organizada humanamente, politicamente, mas não há como voltar ao tempo antes da globalização”, reforçou a chanceler.

Da sua parte, Obama sublinhou que a Merkel foi uma parceira internacional “extraordinária”, afirmando que a política demonstrou integridade, veracidade e o reconhecimento de que ser um bom líder significava também se envolver com o mundo.

“Tudo o que posso dizer é que a chanceler tem sido uma parceira extraordinária e que a chanceler Merkel foi talvez o único líder entre os nossos aliados mais próximos que estava presente quando eu cheguei”, referiu o Presidente norte-americano.

Barack Obama acrescentou que, caso fosse alemão e Merkel fosse candidata nas eleições legislativas de 2017, votaria nela sem qualquer dúvida.

Ainda na conferência de imprensa conjunta com Merkel, Obama declarou esperar que o seu sucessor na Casa Branca, o Presidente eleito Donald Trump, “enfrente” a Rússia quando Moscovo violar as normas internacionais, numa referência aos conflitos na Síria e na Ucrânia.

“Espero que o Presidente eleito tenha a vontade de enfrentar a Rússia quando ela não respeitar os nossos valores e as normas internacionais”, declarou.

Ao citar “a violação das normas internacionais“, o governante salientou o risco de colocar “países mais pequenos vulneráveis” ou de criar “problemas a longo prazo em regiões como a Síria”.

“É um assunto sobre o qual teremos mais informações mais à frente e à medida que o Presidente eleito componha a sua equipa”, prosseguiu Obama, numa altura em que se discute a manutenção das sanções existentes contra Moscovo na sequência da crise no leste da Ucrânia.

Esta sexta e última visita oficial à Alemanha de Obama será concluída esta sexta-feira com uma minicimeira com “os mais estreitos aliados europeus dos Estados Unidos” para debater, entre outros pontos, a relação política e económica entre a Europa e Washington.

Depois de uma visita à Grécia e desta passagem por Berlim, Obama segue depois para o Peru, para participar numa cimeira do Fórum de Cooperação Económica Ásia-Pacífico.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bloco apoia travão ao desconfinamento na região de Lisboa

O Bloco de Esquerda apoiou o adiamento do levantamento de restrições impostas pela pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, destacando que é importante aumentar a vigilância nas empresas de construção e trabalho …

Descoberto "cemitério" de mamutes nos arredores da Cidade do México

Investigadores descobriram um "cemitério" com cerca de 60 mamutes nos arredores da Cidade do México, avança o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do país. De acordo com o site Live Science, a descoberta aconteceu, …

David Luiz confirma rumores. Regresso "vai acontecer se o presidente permitir e os adeptos quiserem"

David Luiz confirmou este sábado os rumores que davam conta que o Benfica e o jogador estavam a negociar um eventual regresso do brasileiro à Luz. Em entrevista ao desportivo Record, David Luiz confirmou a …

Cães treinados para proteger animais selvagens salvam 45 rinocerontes

Há inúmeras razões que explicam o motivo pelo qual os cães são conhecidos como o melhor amigo do Homem. Além de leais e inteligentes, dão sempre o corpo às balas, mesmo nos piores momentos. Quarenta e …

Fez-se história. Foguetão da SpaceX lançado com sucesso rumo à EEI

O primeiro foguetão concebido e construído por uma empresa privada, a SpaceX, de Elon Musk, levando a bordo dois astronautas foi lançado este sábado na presença do Presidente do Estados Unidos, Donald Trump. O lançamento decorreu …

"A Rússia não permitirá a privatização da Lua", avisa Roscosmos

A Rússia não permitirá a privatização da Lua, independentemente de quem avance a iniciativa, avisou o chefe da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitri Rogozin, em entrevista ao jornal Komsomólskaya Pravda. "Não permitiremos que ninguém privatize a …

Plataforma flutuante extrai energia das ondas, do vento e do Sol

A empresa alemã Sinn Power criou uma plataforma marítima flutuante capaz de gerar energia renovável a partir de ondas, vento e energia solar. A plataforma híbrida combina turbinas eólicas, painéis solares e coletores de energia das …

Balneários proibidos e 3 metros de distância. As regras da DGS para a prática de exercício físico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda uma distância mínima de três metros entre pessoas que pratiquem exercício físico, no âmbito das medidas de prevenção da pandemia de covid-19. A orientação, intitulada “Procedimentos de Prevenção e Controlo …

Astronautas da NASA já se preparam para voo histórico a bordo do foguetão da Space X

Dois astronautas da NASA já estão a equipar-se para o lançamento histórico de um foguetão concebido e construído pela empresa SpaceX, de Elon Musk, apesar de as previsões meteorológicas indicarem mais tempestades. Com o voo já …

Há dez anos, Portugal adotou a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo

Portugal adotou há 10 anos a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo, após um debate fraturante que remeteu para mais tarde a adoção de crianças por estes casais, possível apenas desde …