/

Mauro vive sozinho numa ilha paradisíaca há 30 anos (mas está a ser obrigado a deixá-la)

2

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Há 30 anos que Mauro Morandi é o único habitante de uma ilha no Mar Mediterrâneo, onde queria continuar a viver o resto da sua vida. No entanto, está a ser obrigado a deixá-la.

As autoridades italianas estão a acelerar os planos de mudar o estilo à cabana de Mauro Morandi em ruínas e transformá-la num observatório ambiental, pondo fim à sua estadia na ilha de Budelli, na costa da Sardenha. O eremita está a enfrentar despejo se não for embora voluntariamente – o que não tem intenção de fazer.

De acordo com a CNN, Mauro Morandi, um ex-professor, chegou à ilha por acidente enquanto tentava navegar da Itália para a Polinésia há 31 anos. Apaixonou-se pelas águas cristalinas do atol, as areias dos corais e o belo pôr do sol e decidiu ficar.
O homem assumiu o cargo de zelador e, aos 81 anos, ainda lá está.

“Estou pronto para fazer tudo o que puder para ficar aqui, mesmo que isso signifique que terão de me arrastar para longe. Já não saberia para onde ir morar, certamente não voltarei para casa no norte, nem o que fazer – esta é a minha vida”, contou Morandi.

Morandi, que desfrutou de um retiro seguro durante a emergência de covid-19 em Itália, acredita que as autoridades lhe servirão o aviso de despejo assim que o verão terminar.

Morandi teme que Budelli siga o destino da sua ilha irmã Spargi, onde um observatório foi criado e depois foi vandalizado pelos visitantes.

“Tudo o que peço é que, se for mandado embora durante as obras de reforma, que possa voltar e continuar a fazer o que faço todos os dias: vigiar a praia de coral rosa ameaçada, manter os turistas afastados, proteger a natureza. Temo que se for embora, será o fim de Budelli”, disse.

Uma petição online foi lançada para esse fim e, em poucos dias, reuniu mais de 3.300 assinaturas.

A ilha mudou de propriedade várias vezes nos últimos anos. Desde 2015, Budelli pertence ao Parque Nacional de La Maddalena, tornando obsoleto o papel de Morandi.

Por seu lado, as autoridades dizem que estão simplesmente cumprindo a lei. “A nossa prioridade é intervir contra todas as construções ilegais dentro do parque, incluindo a cabana de Mauro. Precisamos de dar o exemplo, proteger o nosso meio ambiente restaurando essa estrutura ilegal e depois seguir adiante com um novo projeto que provavelmente será um centro científico para a disseminação da consciencialização ambiental”, disse Fabrizio Fonnesu, presidente da La Maddalena Park.

Segundo Fonnesu, não há data marcada para o despejo de Morandi, já que demorará meses para que a fase de reconstrução comece.

Budelli é uma das ilhas mais bonitas de todo o Mar Mediterrâneo. Remontando aos tempos pré-históricos em que a crosta terrestre ainda se estava a formar, reza a lenda que é um fragmento do mítico continente perdido da Atlântida engolido pelo oceano.

  ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.