Nem o mau tempo trava os protestos em Hong Kong. Debate sobre lei polémica adiado

Jerome Favre / EPA

Apesar do mau tempo que se faz sentir em Hong Kong, onde chove torrencialmente, milhares de manifestantes, que protestam contra a lei da extradição, estão reunidos junto ao Conselho Legislativo de Hong Kong e a formar barricadas para impedir qualquer ação policial.

Junto ao parlamento, os manifestantes, sobretudo jovens, gritam palavras de ordem como “Não à China!” e “Precisamos de democracia!”. Uma esmagadora maioria enverga máscaras ou lenços a cobrir quase a totalidade da cara.

Alguns dos manifestantes que falaram com a Lusa, muitos deles estudantes, disseram estar dispostos a permanecer no local até que o Governo recue na intenção de avançar com as alterações à lei da extradição, que permitiriam a extradição de suspeitos para países que não têm acordo com Hong Kong, como é o caso da China continental.

A polícia já bloqueou algumas vias no centro da cidade e posicionou-se para uma eventual intervenção no local onde os manifestantes repetiram o protesto de domingo, considerado o maior em Hong Kong em pelo menos mais de uma década.

Centenas de milhares de pessoas protestaram no domingo contra esta legislação, com os organizadores a falaram de mais de um milhão de pessoas na rua e as forças policiais a admitirem apenas a participação de 240 mil.

Algumas empresas anunciaram planos para fecharem as portas de forma a permitir que os funcionários se juntem à manifestação prevista, dia em que o Conselho Legislativo prossegue o debate sobre as emendas.

Proposto em fevereiro e com uma votação final prevista para antes do final de julho, o texto permitiria que a Chefe do Executivo e os tribunais de Hong Kong processassem pedidos de extradição de jurisdições sem acordos prévios. Em teoria, os tribunais locais analisariam os casos individualmente e poderiam usar o poder de veto para impedir certas extradições no território semi-autónomo da China e antiga colónia britânica.

Os defensores da lei argumentam que caso se mantenha a impossibilidade de extraditar suspeitos de crimes para países como a China tal poderá transformar Hong Kong num “refúgio para criminosos internacionais“. Os manifestantes dizem temer que Hong Kong fique à mercê do sistema judicial chinês como qualquer outra cidade da China e de uma justiça politizada que não garanta a salvaguarda dos direitos humanos.

A transferência de Hong Kong e Macau para a República Popular da China, em 1997 e 1999, respetivamente, decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas”, precisamente o que os opositores às alterações da lei garantem estar agora em causa. Para as duas regiões administrativas especiais da China foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judiciário, sendo o Governo central chinês responsável pelas relações externas e defesa.

Adiado debate sobre polémica lei de extradição

O Governo de Hong Kong adiou um debate no Conselho Legislativo sobre a proposta de lei da extradição, quando milhares de manifestantes estão concentrados junto ao edifício num protesto contra o documento.

Uma nota de imprensa do Governo referiu que a sessão de debate no Conselho Legislativo (LegCo, parlamento local), que devia ter começado às 11h00 (04h00 em Lisboa), foi adiada para “hora posterior a ser determinada”. De acordo com outro comunicado, os acessos às instalações do Governo foram bloqueados e os funcionários aconselhados a não irem trabalhar.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Avó e tios do bebé deixado no lixo estão a tentar a guarda da criança

O embaixador de Cabo Verde em Portugal explicou, esta sexta-feira, que a mãe e os irmãos da cabo-verdiana suspeita de abandonar o filho num ecoponto estão a tentar obter a guarda da criança por acreditarem …

Esta tecnologia de edição de genoma pode mudar o mundo (mas o seu criador tem receio disso)

A inovação de Kevin Esvelt tem potencial para ser usada tanto para o bem como para o mal. Os perigos que pode advir dela, deixam o biólogo reticente em relação a esta tecnologia, que também …

Governo quer "conciliação" entre tribunais criminais e de família em casos de violência doméstica

O Governo quer que os juízes de instrução possam determinar simultaneamente as medidas de coação a um agressor em contexto de violência doméstica e as medidas provisórias relativas às crianças, seja de promoção e proteção …

Sp. Braga critica autarquia por transmitir jogo do Flamengo em ecrã gigante

O Sporting de Braga acusou a Câmara Municipal de Braga de desrespeitar o clube e os seus adeptos por colaborar na organização da transmissão da final da Taça dos Libertadores de futebol, entre Flamengo e …

Hermínio Loureiro pede suspensão de mandatos na FPF e COP

Hermínio Loureiro pediu a suspensão dos mandatos de vice-presidente da FPF e do COP, esta sexta-feira, na sequência da acusação do Ministério Público na operação Ajuste Secreto. Numa carta enviada à FPF, a que a agência …

Oxford escolhe "emergência climática" para Palavra do Ano 2019

A Palavra do Ano 2019 escolhida pelos Dicionários de Oxford foi "emergência climática", "situação na qual é requerida uma ação urgente", revelou na quinta-feira esta componente da editora da Universidade homóloga. A Palavra Oxford do Ano …

Erro no IRS de 2015. Contribuintes podem contestar nova liquidação

O novo apuramento do imposto abrange cerca de dez mil declarações no valor de 3,5 milhões de euros. A Autoridade Tributária e Aduaneira já enviou uma carta aos contribuintes cuja liquidação do IRS relativo a 2015 …

Jesus vai receber título de cidadão honorário do Rio de Janeiro

O técnico português do Flamengo será condecorado, na próxima segunda-feira, com o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro. A distinção a ser entregue pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro foi anunciada num cartaz …

Governo compromete-se a concluir processo de regularização dos precários

O Governo comprometeu-se com a conclusão, no início da legislatura, do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP), mas sem avançar uma data concreta. O debate temático sobre o PREVPAP, que decorreu …

Camboja acaba com passeios turísticos de elefante em Angkor

Os passeios de elefante, que são umas das principais atrações turísticas pelas áreas dos templos de Angkor, no Camboja, deixarão de o ser em 2020. Em 2016, uma elefante fêmea morreu por insuficiência cardíaca depois de …