Nem o mau tempo trava os protestos em Hong Kong. Debate sobre lei polémica adiado

Jerome Favre / EPA

Apesar do mau tempo que se faz sentir em Hong Kong, onde chove torrencialmente, milhares de manifestantes, que protestam contra a lei da extradição, estão reunidos junto ao Conselho Legislativo de Hong Kong e a formar barricadas para impedir qualquer ação policial.

Junto ao parlamento, os manifestantes, sobretudo jovens, gritam palavras de ordem como “Não à China!” e “Precisamos de democracia!”. Uma esmagadora maioria enverga máscaras ou lenços a cobrir quase a totalidade da cara.

Alguns dos manifestantes que falaram com a Lusa, muitos deles estudantes, disseram estar dispostos a permanecer no local até que o Governo recue na intenção de avançar com as alterações à lei da extradição, que permitiriam a extradição de suspeitos para países que não têm acordo com Hong Kong, como é o caso da China continental.

A polícia já bloqueou algumas vias no centro da cidade e posicionou-se para uma eventual intervenção no local onde os manifestantes repetiram o protesto de domingo, considerado o maior em Hong Kong em pelo menos mais de uma década.

Centenas de milhares de pessoas protestaram no domingo contra esta legislação, com os organizadores a falaram de mais de um milhão de pessoas na rua e as forças policiais a admitirem apenas a participação de 240 mil.

Algumas empresas anunciaram planos para fecharem as portas de forma a permitir que os funcionários se juntem à manifestação prevista, dia em que o Conselho Legislativo prossegue o debate sobre as emendas.

Proposto em fevereiro e com uma votação final prevista para antes do final de julho, o texto permitiria que a Chefe do Executivo e os tribunais de Hong Kong processassem pedidos de extradição de jurisdições sem acordos prévios. Em teoria, os tribunais locais analisariam os casos individualmente e poderiam usar o poder de veto para impedir certas extradições no território semi-autónomo da China e antiga colónia britânica.

Os defensores da lei argumentam que caso se mantenha a impossibilidade de extraditar suspeitos de crimes para países como a China tal poderá transformar Hong Kong num “refúgio para criminosos internacionais“. Os manifestantes dizem temer que Hong Kong fique à mercê do sistema judicial chinês como qualquer outra cidade da China e de uma justiça politizada que não garanta a salvaguarda dos direitos humanos.

A transferência de Hong Kong e Macau para a República Popular da China, em 1997 e 1999, respetivamente, decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas”, precisamente o que os opositores às alterações da lei garantem estar agora em causa. Para as duas regiões administrativas especiais da China foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judiciário, sendo o Governo central chinês responsável pelas relações externas e defesa.

Adiado debate sobre polémica lei de extradição

O Governo de Hong Kong adiou um debate no Conselho Legislativo sobre a proposta de lei da extradição, quando milhares de manifestantes estão concentrados junto ao edifício num protesto contra o documento.

Uma nota de imprensa do Governo referiu que a sessão de debate no Conselho Legislativo (LegCo, parlamento local), que devia ter começado às 11h00 (04h00 em Lisboa), foi adiada para “hora posterior a ser determinada”. De acordo com outro comunicado, os acessos às instalações do Governo foram bloqueados e os funcionários aconselhados a não irem trabalhar.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novo estado de emergência. Especialistas voltam a reunir no Infarmed, Marcelo recebe partidos

Especialistas, dirigentes dos partidos políticos e parceiros sociais voltam a reunir-se esta quinta-feira para analisar a situação epidemiológica da covid-19, em vésperas de nova renovação do estado de emergência e da decisão sobre as medidas …

A tríade Mendes-Fosun-Wolves. O quid pro quo que pode estar perto do fim

A ligação entre Jorge Mendes, a Fosun e o Wolverhampton há muito que é contestada. Agora, pode estar perto do fim graças a novos regulamentos para agentes de jogadores. As participações sociais da Gestifute S.A. e …

Greve de fome. Ljubomir Stanisic assistido no hospital, Governo desmente recusa em receber manifestantes

O chef Ljubomir Stanisic, um dos rostos do movimento "A Pão e Água" e que estava há seis dias a fazer greve de fome em frente ao parlamento, foi na quarta-feira transportado para o Hospital …

"Não tenhamos ilusões". Marcelo alerta que o processo de vacinação vai levar muitos meses

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, alertou esta quarta-feira que o processo de vacinação contra a covid-19 em Portugal vai levar "muitos meses", apelando aos portugueses para não baixarem a guarda. “Não tenhamos ilusões, …

As primeiras vacinas de combate à covid-19 exigem conservação a temperaturas negativas. A ciência explica porquê

O mês de novembro trouxe notícias encorajadoras sobre a produção de vacinas de combate à covid-19. Contudo, tanto a promissora descoberta da Moderna como a da Pfizer /BioNTech, usam uma tecnologia que obriga a que …

Já dois nomes na calha para substituir Zidane no Real Madrid

Já há dois nomes na calha para substituir o treinador do Real Madrid, Zinedine Zidane, cuja continuidade no emblema espanhol está em risco depois de alguns desaires no campeonato e na Liga dos Campeões.  A notícia é …

Câmara do Porto quer isentar estacionamento em parques municipais por 120 minutos

A Câmara do Porto vai propor isentar do pagamento da taxa de estacionamento em cinco parques municipais, por um período de 120 minutos, por cada cliente, entre os dias 8 de dezembro e 8 de …

Registada a maior explosão solar dos últimos 3 anos

No domingo, dia 29 de novembro, o Sol desencadeou a erupção solar mais potente dos últimos três anos. A explosão foi medida como um M4.4 na escala que os astrónomos usam para tempestades solares. No dia …

Puxar, torcer e deformar. A Grande Nuvem de Magalhães perturba violentamente a nossa galáxia

O disco espiral de estrelas e planetas, na Via Láctea, está a ser puxado, torcido e deformado com extrema violência pela força gravitacional de uma galáxia mais pequena, a Grande Nuvem de Magalhães. Os cientistas acreditam …

2020 entre os três anos mais quentes desde que há registo

O ano de 2020 anuncia-se um dos três mais quentes, alertou hoje a Organização das Nações Unidas (ONU), apontando a probabilidade de o aumento da temperatura em 2024 exceder o limite de 1,5° C do …