Mário Ferreira pede levantamento da imunidade da eurodeputada Ana Gomes

European Parliament / FLickr

Ana Gomes, euro-deputada do Partido Socialista

Ana Gomes, euro-deputada do Partido Socialista

O Parlamento Europeu recebeu um pedido de levantamento da imunidade parlamentar da eurodeputada, na sequência de uma queixa do grupo Douro Azul por declarações sobre a venda de um navio pelos Estaleiros de Viana do Castelo.

No início da sessão plenária, que decorre entre esta segunda e quinta-feira em Estrasburgo, o presidente do Parlamento, Antonio Tajani, anunciou a receção do pedido de levantamento da imunidade parlamentar – apresentado pela Procuradoria-Geral de Peso da Régua, distrito de Vila Real, no seguimento de uma queixa feita há quase um ano pelas empresas Mystic Invest, SGPS,SA, Mystic Cruises, SA e Douro Azul, SA, controladas pelo empresário Mário Ferreira -, que reencaminhou para análise e recomendação à comissão de Assuntos Jurídicos.

Em comunicado, a eurodeputada socialista Ana Gomes adianta que explicará diante desta comissão parlamentar a razão pela qual atuou, “em cumprimento” dos seus “deveres de cidadania” e do seu “mandato como parlamentar europeia, neste como noutros processos de luta contra a corrupção e a criminalidade económica organizada contra interesses do Estado Português”.

“E, desde já, declaro a intenção de me constituir assistente no processo de investigação em curso no DCIAP (Departamento Central de Investigação e Ação Penal) sobre a subconcessão a privados da empresa pública ENVC (Estaleiros Navais de Viana do Castelo), incluindo sobre a venda e revenda do navio Atlântida”, acrescenta.

Na origem do pedido de levantamento de imunidade parlamentar estão declarações proferidas em abril de 2016 por Ana Gomes, que as empresas queixosas consideram ofensivas e caluniosas, em reação a um comunicado da Procuradoria-Geral da República (PGR) a anunciar buscas e diligências do DCIAP e da PJ, no quadro da designada “Operação Atlantis”, relacionadas com a subconcessão dos ENVC e a venda do navio “Atlântida”.

Na ocasião, Ana Gomes declarou ao Diário de Notícias que a investigação era “um sinal de que algo está a mexer num caso de flagrante corrupção“, envolvendo a venda “a patacos” do ferryboat Atlântida ao Grupo Douro Azul, o qual, segundo a eurodeputada, tinha “muito que contar” às autoridades.

O grupo queixoso acusa a eurodeputada de fazer “insinuações e acusações graves, visando atingir a credibilidade e prestígio das queixosas” e de “insinuar uma qualquer relação entre a subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos ENVC com a venda do navio “Atlântida” ao Grupo Douro Azul, sabendo que não correspondia à verdade”.

Segundo o Jornal de Negócios, o navio “Atlântida” foi comprado pela Douro Azul por 8,75 milhões de euros e, oito meses depois, foi revendido a uma empresa norueguesa por 17 milhões de euros. A venda do navio está desde o ano passado a ser investigada pelo Ministério Público, por suspeitas de manipulação de concurso público, devido ao diferencial entre o valor inicial e o encaixe que o empresário conseguiu na revenda.

A eurodeputada já tinha apresentado junto da Procuradoria-geral da República queixas-crime contra incertos por causa da subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) ao grupo Navalria/Martifer Energy.

O levantamento da imunidade parlamentar visa permitir que a eurodeputada seja interrogada, como arguida, por alegados crimes de “ofensa a organismo, serviço ou pessoa coletiva e de “publicidade e calúnia”, escreve o jornal.

Em novembro de 2014, o Parlamento Europeu já tinha rejeitado o pedido de levantamento da imunidade parlamentar da socialista, que havia sido solicitado pelo MP, no quadro de um processo por difamação movido pelo ministro da Defesa José Pedro Aguiar-Branco.

Em causa estavam também declarações da eurodeputada à TVI24, nas quais criticou o processo de subconcessão dos estaleiros e defendeu a necessidade de verificar eventuais “negócios” entre o escritório de advogados do ministro e o grupo Martifer.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Esta deputada deveria ser demitida. É evidente que ela não percebe nada de negócios.
    Ora um barco à venda pelo estado português significa que está ao abandono, está degradado. Até porque o negócio do estado não é barco.
    Um barco à venda pela Douro Azul significa algo completamente diferente. Até porque a Douro Azul tem por base do seu negócio a relação com barcos. E mais, provavelmente tem uma carteira de clientes que lhe permite vender mais e melhor.
    Não vejo, face ao exposto nada de transcendente neste negócio, apenas a azia de uma xuxalista.

Populações da Idade da Pedra Média ocuparam (repetidamente) a costa da África Ocidental

A ocupação das costas tropicais de África durante a Idade da Pedra é pouco conhecida. No entanto, estudos recentes na África oriental deram uma nova perspetiva, detalhando as mudanças comportamentais dinâmicas perto da costa do …

Novo apoio social de até 501 euros aprovado. Inclui sócios-gerentes, informais e estagiários

O Parlamento continua na maratona de votações no âmbito da apreciação do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) na especialidade. Nesta quarta-feira, os parlamentares aprovaram o novo apoio social de até 501 euros, bem como …

Deco exige 1,1 milhões de euros ao Vitória de Guimarães em tribunal

O empresário e ex-futebolista Deco exige 1,1 milhões de euros ao Vitória de Guimarães, da I Liga portuguesa de futebol, numa ação interposta no Juízo de Execução de Guimarães, informa o portal Citius, do Ministério …

PSD junta-se a BE e PCP para travar transferências para Novo Banco (e as Finanças ficam "estupefactas")

No último dia de votações na especialidade, o PSD juntou-se à esquerda para impedir a injeção de 476,6 milhões de euros do Fundo de Resolução ao Novo Banco em 2021, tal como previsto no Orçamento …

Há uma planta que evoluiu para se "esconder" do Homem

Uma planta utilizada na medicina tradicional chinesa evoluiu, mudando a própria pigmentação, para se tornar menos visível ao Homem, sugere uma nova investigação, dando conta que em causa está uma estratégia de sobrevivência. O estudo, …

Luz verde. PAN abstém-se e garante aprovação do OE2021

A votação final global do Orçamento do Estado para 2021 acontece esta quinta-feira no Parlamento. A sua aprovação está garantida devido à abstenção do PCP, PEV e PAN, apesar do voto contra do Bloco de …

Mais de 500 funcionários públicos vão ajudar SNS. Camas de cuidados intensivos podem chegar às 1.000

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou, em entrevista ao Público e à Renascença, que mais de 500 funcionários públicos vão integrar as equipas de rastreio do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Na entrevista conjunta ao …

Erro de fabrico levanta questões sobre vacina de Oxford

A AstraZeneca e a Universidade de Oxford reconheceram esta quarta-feira um erro de fabrico que está a levantar questões sobre os resultados preliminares e a eficácia da sua vacina experimental contra a covid-19. O comunicado, onde …

Partiu o "mais humano dos deuses" quando tentava mudar de vida. 9 ambulâncias socorreram Maradona, mas foi em vão

A Argentina está em choque com a morte de Diego Armando Maradona. O coração de El Pibe não aguentou numa altura em que estava a tentar mudar de vida, com exercícios físicos, dieta e a …

Manter o ar de casa limpo pode reduzir a probabilidade de propagar covid-19

Além das precauções atualmente recomendadas, garantir que o ar em espaços interiores esteja o mais limpo possível também pode ajudar a reduzir a probabilidade de propagar o novo coronavírus. A grande maioria da transmissão do SARS-CoV-2 …