Marina Gross é a única americana que sabe o que Trump e Putin disseram (e os democratas querem ouvi-la)

Heikki Saukkomaa / Lehtikuva Handout / EPA

A tradutora do Departamento de Estado norte-americano foi a única pessoa presente no encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin. Agora, os democratas querem ouvi-la.

Marina Gross é a tradutora do Departamento de Estado norte-americano e trabalha para o governo há, pelo menos, uma década. Pouco se sabe sobre esta mulher, além de ser uma das mulheres que a Câmara dos Representantes – agora liderada pelos democratas – mais quer ouvir.

Os democratas querem ouvir Gross porque foi ela a única norte-americana presente no encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin. Segundo a ABC News, a ideia de chamar Marina Gross não é de agora, mas, mais do que nunca, pode ser uma realidade.

Assim, os democratas em maioria na Câmara dos Representantes querem ouvi-la perante os comités dos Negócios Estrangeiros e de Segurança a fim de esclarecer o que foi falado à porta fechada, num encontro em que só participaram Donald Trump, Vladimir Putin, um tradutor da comitiva russa e, por último mas não menos importante, Marina Gross.

“Talvez seja algo sem precedentes intimar um tradutor a revelar os detalhes de uma reunião privada entre o Presidente e um outro líder. Mas as ações de Donald Trump também não têm precedentes no sentido de ameaçarem a nossa segurança nacional”, justificava Bill Pascrell Jr., o representante democrata no ano passado, quando surgiram as primeiras intenções de pedir uma audição de Gross.

De acordo com o Expresso, esta segunda-feira, advogados de ambos os comités encontraram-se para discutir as possibilidades legar para intimar a tradutora a depor. No entanto, chamar Gross a depor pode significar uma quebra no protocolo e dificultar a vida a futuras administrações em encontros diplomáticos.

Além disso, a equipa jurídica da Casa Branca pode sempre optar por construir uma argumentação de que o Presidente tem o privilégio diferente de ter um intérprete.

Para os democratas, tudo mudou esta semana, quando o The Washington Post publicou um artigo no qual dá conta de que Donald Trump fez questão de que não existisse qualquer nota do encontro que teve com Putin em Hamburgo, na Alemanha. Segundo o jornal norte-americano, Trump terá destruído as notas que Gross tirou ao longo da reunião.

“Isto levanta uma série de novas questões. Estamos a tentar compreender as implicações legais e a estudar as nossas opções”, assegurou um representante democrata á ABC.

O encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin aconteceu à margem da cimeira do G20 e terá sido aí que o Presidente dos EUA terá recolhido as notas de Gross. No entanto, segundo o Whashington Post, há um padrão de comportamento: em todas as reuniões entre os dois líderes, Trump exige que não existam registos daquilo que foi conversado.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …