Marcelo apela à responsabilidade de Costa. “É o primeiro-ministro que escolhe os seus colaboradores”

10

Tiago Petinga / Lusa

Presidente da República realçou ainda a importância da nova infraestrutura para o país e da população confiar nos decisores políticos encarregues do dossier.

A poeira já tinha a assentado quando Marcelo Rebelo de Sousa se dirigiu ao país, ontem, no palácio de Belém. Depois de Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, ter dado a conhecer a sua intenção de não se demitir e do primeiro-ministro ter ressalvado que a saída também não seria ordenada por si, só o Presidente da República poderia ditar um desfecho diferente, à semelhança do que já acontecera com Constança Urbano de Sousa, a propósito dos incêndios de outubro que se seguiram aos de Pedrógão Grande.

Não o fez. Em vez disso, dividiu a sua curta declaração em três pontos, todos com recados ao Governo e, sobretudo, a António Costa, a quem imputou total responsabilidade pela eleição do elenco que o acompanha. “É o primeiro-ministro que escolhe os seus colaboradores e que vê, em cada momento, se são os que estão em melhores condições para terem êxito nos seus objetivos”, acrescentando ainda que é o chefe de Governo o “responsável pela escolha, mais feliz ou menos feliz, e pela avaliação que faz a cada momento, mais feliz ou menos feliz.”

O chefe de Estado realçou ainda a importância do assunto do novo aeroporto para o país, pelo que, no seu entender, é preciso que os portugueses sintam confiança nos responsáveis encarregues das decisões. No entender de Marcelo Rebelo de Sousa, a resolução para a infraestrutura deve ser “consensual”, “tão rápida quanto possível” e “clara e consistente do ponto de vista político, técnico, económico e do direito”.

  ZAP //

10 Comments

  1. Depois destas declarações do PR, o ministro ainda não percebeu que está a mais?!!! Alguém lhe faça um desenho. Que ele é muito limitado já todos percebemos, mas não perceber esta…

    • Este ministro é um artolas que não tem o mínimo jeito para a política nem o mínimo de competência e responsabilidade para desempenhar uma função governativa. Na terra dele (S.João da Madeira) toda a gente o conhece como o “estoira-vergas”.

  2. Hahahaha votaram no PS aguentem até ao fim e depois quando aprecer a troika!! Só no final é que têm autorização para mudar!!! Não Vão fazer como fizeram da última vez!! Fazem merda os outros aguentam e depois a culpa é do Passos!!

    • “É ele que escolhe os seus colaboradores”. Se Costa escolheu este patego e revolucionário Pedro Santos, então é responsável por este ato miserável de desgovernação. Isto não é ser chefe da opositação, mas uma constatação objetiva da mais alta figura do Estado. que, se não o fizesse seria apenas uma figura decorativa do país..

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.