/

Médico argentino diz que Maradona foi enterrado sem coração

EPA / Demian Alday Estévez

Diego Armando Maradona

Nelson Castro escreveu um livro, intitulado A saúde de Diego: a verdadeira história, no qual alega que El Pibe foi enterrado sem coração.

Numa entrevista ao programa Almorzando con Mirtha Legran, do canal El Trece, médico e jornalista Nelson Castro apresentou o seu novo livro e fez algumas revelações surpreendentes sobre a estrela argentina.

De acordo com a versão do médico e jornalista, revelada na obra, Maradona foi “enterrado sem coração” para evitar que o corpo fosse profanado.

“Houve um grupo de adeptos que planeava extrair-lhe o coração. Não chegou a acontecer porque era um ato de uma ousadia enorme. Mas soube-se que podia suceder”, disse durante a promoção do livro.

“O seu coração foi extraído, também para ser estudado porque o coração é um órgão muito importante para determinar a causa do falecimento de Maradona. Evidentemente, a informação é que está enterrado sem o coração”, acrescentou, citado pelo Diário de Notícias.

O médico foi ainda mais longe, revelando algumas características do órgão. “O coração dele pesava meio quilo, quando o normal são 300 gramas. Tinha um coração grande por outras razões, como a insuficiência cardíaca e a patologia de que padecia.”

No que toca à resistência, Diego Maradona tinha “um corpo privilegiado”, revelou Nelson Castro, depois de ter acesso a arquivos secretos e documentos inéditos.

Na obra, lê-se que El Pibe revelou “uma personalidade aditiva desde muito cedo”, tendo começado a consumir drogas ainda no Boca Juniors, além de ser viciado em sexo.

“Tinha uma voracidade sexual impressionante, como se viu quando esteve em Cuba. Estava sempre rodeado por mulheres, o que foi um pesadelo para a Claudia Villafañe [a sua primeira mulher]”, sustentou o médico.

Diego Maradona morreu a 25 de novembro do ano passado. O Ministério Público ainda investiga o caso, tendo já citado sete profissionais de saúde por homicídio simples.

O astro morreu em casa, onde se encontrava a recuperar de uma cirurgia à cabeça quando sofreu uma paragem cardiorrespiratória. A autópsia revelou que o argentino morreu devido a um edema agudo no pulmão e uma paragem cardíaca.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.