Mapa online interativo ajudou indígenas do Panamá a fazer frente à pandemia

(dr) Carlos Doviaza

O cartógrafo panamiano Carlos Doviaza

Quando a covid-19 chegou ao Panamá no ano passado, o cartógrafo Carlos Doviaza temeu pelas pessoas indígenas da sua comunidade. Por isso, para as ajudar, dedicou-se a fazer aquilo que faz melhor: mapas.

“Pensei: ‘Porque não usar os meus pontos fortes para construir uma plataforma, criada por povos indígenas para povos indígenas, que mostre informação relevante sobre a pandemia de uma forma visual e fácil?”, explicou o panamiano, de 26 anos, à National Public Radio.

O cartógrafo nasceu numa aldeia indígena sem eletricidade, em El Salto, no coração de uma floresta tropical. Durante a adolescência, mudou-se com os pais para a Cidade do Panamá para ter melhores condições de vida, mas acabou por abandonar a universidade, onde estudava Engenharia de Computação, por não conseguir pagar as propinas.

No entanto, sendo um verdadeiro crente no poder da cartografia, decidiu aprender sozinho tudo o que sabe hoje e começou a fazer mapas para ajudar as comunidades indígenas a lidar com vários problemas.

“Aprendi que os dados e os mapas geralmente são mais poderosos do que as palavras”, declarou Doviaza, um dos 400 mil membros da comunidade nativa do Panamá (12% da população do país).

No início da pandemia, o jovem temeu que a sua já vulnerável comunidade – que corre um maior risco de contrair doenças devido à falta de acesso a água potável e cuidados de saúde – fosse duramente atingida.

“Sempre estivemos em desvantagem e eu sabia que tínhamos de nos preparar para o pior”, explicou à NPR.

Foi então que o cartógrafo criou um mapa online interativo para monitorizar a situação pandémica nas comunidades indígenas. O mapa sobrepõe o número diário de casos de covid-19 relatados pelo Ministério da Saúde em cada distrito com as localizações dessas comunidades.

A plataforma, criada em maio do ano passado com a ajuda da fundação de caridade Rainforest Foundation, também mostra quais são os recursos que estão em falta em cada comunidade, como chegar a estas aldeias e onde estão as diferentes organizações que estão a oferecer ajuda.

O mapa foi ideal porque mostra não só os dados relativos à covid-19, como também todas as informações estruturais de que precisamos para fazer face à crise nestes lugares”, declarou Beatriz Schmitt, coordenadora nacional dos programas de pequenas doações do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (UNDP) no Panamá.

Reynaldo Santana, líder da comunidade indígena Naso e conhecido no Panamá como o “último rei das Américas”, partilha da mesma opinião, sobretudo depois de vários meses a ver as pessoas a lutar contra a fome e a falta de cuidados médicos no confinamento.

“Mesmo na cidade mais próxima, as pessoas não nos conhecem e não sabem onde vivemos, muito menos o Governo. Com este mapa, passámos a existir.”

ZAP ZAP //

 

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo convida Ramalho Eanes para presidir comemorações dos 50 anos do 25 de Abril

O presidente da República em funções, Marcelo Rebelo de Sousa, convidou o ex-presidente da República Ramalho Eanes para presidir as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril. O convite dirigido ao general Ramalho Eanes, um …

Vacinas contra a covid-19 para menores de 16 anos podem ser aprovadas em breve

Vacinas contra a covid-19 para menores de 16 anos podem ser aprovadas em breve. Contudo, os especialistas têm dúvidas em relação à necessidade de vacinar os mais jovens. Atualmente há apenas uma vacina contra a covid-19, …

Netanyahu não conseguiu formar Governo em Israel. Segue-se Lapid

Esta quarta-feira, Reuven Rivlin, Presidente de Israel, chamou Yair Lapid, líder do partido Yesh Atid, para lhe entregar a responsabilidade de formar um Governo que consiga o apoio do Knesset (Parlamento). O partido de Yair Lapid, …

Almofada de prevenção contra a pandemia. Câmara de Lisboa quer pedir 20 milhões à banca

A Câmara Municipal de Lisboa quer contrair um empréstimo de 20 milhões de euros junto do BPI, uma almofada de prevenção para fazer face às despesas correntes emergentes do combate à pandemia de covid-19. O Público …

Resort Zmar

BES, falência e um fundo abutre. Resort Zmar "deve 60 milhões de euros ao Estado"

Os proprietários das casas privadas do empreendimento turístico Zmar, na Zambujeira do Mar, em Odemira, continuam a protestar contra o alojamento de imigrantes por causa da covid-19. Isto numa altura em que se revela que …

Há estranhas rádios-fantasma na Rússia (e exploradores entraram numa delas)

Aos 14 anos, um jovem comprou um rádio de ondas curtas e estava a testá-lo quando encontrou a transmissão errada - uma rádio fantasma. Imagine que é um entusiasta da rádio, sozinho à noite, a trabalhar …

Deputado do Bloco acusado de violência doméstica avança com queixa em tribunal

Catarina Alves, ex-namorada do deputado Luís Monteiro, acusa-o de violência doméstica. O bloquista nega as acusações e diz que vai apresentar queixa no tribunal. Luís Monteiro vai apresentar queixa contra a ex-namorada que o acusou de …

Gestão do Novo Banco vai receber bónus de 3,9 milhões em 2022

A equipa de administração do Novo Banco tem à sua espera um bónus de 3,9 milhões de euros no próximo ano. O banco registou prejuízos de 1.329 milhões de euros no ano passado. O Novo Banco …

Ainda não há planos para vacinar voluntários com AstraZeneca e J&J (nem dados sobre combinação de vacinas)

A vacinação de voluntários com menos de 60 ou 50 anos que aceitem receber as vacinas da AstraZeneca ou da Johnson & Johnson ainda não tem planos ou datas para arrancar. A Comissão de vacinação …

Celebrar ou cancelar Napoleão? 200.º aniversário da morte do imperador desperta debate em França

No 200.º aniversário da morte de Napoleão Bonaparte, o presidente francês Emmanuel Macron optou por fazer o que os seus antecessores evitaram. Ao escolher colocar uma coroa de flores esta quarta-feira no túmulo de Napoleão sob …